Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Frist em Seg Dez 28, 2015 12:58 am

Aquele desgraçado é realmente forte, meu rosto ainda latejava provavelmente marcado com o punho do maldito, de longe um dos oponentes mais perigosos que já me deparei e que esbanjava aquela energia demoníaca sedenta por ver meu sangue escorrendo pelo metal gelado daquela estranha lança e minhas entranhas em suas próprias mãos, ele já conhece a sensação de transpassar meu corpo, quer terminar o serviço e ver os resquícios de minha vida sumindo diante de seus olhos.

Mas aqui não seu demônio maldito, se acha que pode inferir o medo em mim, saiba que o maior monstro de todos habita um local muito pior do que pode imaginar, aquele que me aterroriza a cada lufada de ar que sai de meus pulmões e me assombra em todos os pesade-los que revivo noite após noite, talvez você se depare com o real desespero hoje, talvez você sinta seus ossos tremerem perante o mal que está prestes a enfrentar - Que dia lindo... vou poder lhe devolver esse brinquedinho aqui... - Vendo aquela haste metálica cruzar o ar e o vulto de meu inimigo avançando incrivelmente veloz contra mim, me pareceu por um momento que tudo se passava devagar, meu corpo respondia a meus comando antes mesmo de eu pensar e meu punho já agarrava aquela foice que mutara apenas para sanar meu desejo de vingança contra aquele maldito, sei que esse sentimento é perigoso, principalmente em minha situação e enfermidade, mas esse talvez fosse um ótimo momento para parar de renegar essa parte de mim e abraçar toda essa desgraça - Hoje vou te mostrar a verdadeira... M O R T E!!!! -.

Com a arma empunhada com as duas mãos... avancei, de uma vez deixei que grande parte de meu poder vazasse de meu corpo, não tudo, mas naquele fluxo não demoraria muito tempo até que estivesse completamente livre, sentia o calor percorrer todo meu corpo, que ficava leve, veloz e me passava a sensação de invencibilidade. Aquela lança cortava rápida o ar e da mesma maneira o mascarado vinha, não pretendia deixar que ele a usasse mais e tentaria alcança-la antes dele, quando próximo a um impacto iminente, giraria ao redor de meu próprio corpo tomando impulso e tensionando cada fibra de músculo de meu corpo, embriagado com o poder e então deixaria que toda essa força acumulada passasse para a própria arma que parecia parte de meu corpo e para aquele golpe que pretendia deixar o mais poderoso que conseguisse. Ao final de meu giro cortaria em meia lua contra a arma do oponente e seguindo o próprio movimento que fizera, faria um segundo giro dessa vez firmando o pé dianteiro contra o chão e o empurrando com mais força ainda, brandiria minha arma com ambas mão sem um golpe de cima para baixo com aquela lâmina curva, visando acertar aquela meia lua produzida desde o fio de cabelo mais alto daquele maldito até transpassar um porção do próprio chão. Caso ele tentasse cancelar a própria investida e se esquivar de meu golpe, tentaria me adaptar a situação e se o errasse e minha arma cravasse no chão, a usaria como uma haste de bandeira para girando contra ela me lançar a ele socando com meu punho metálico. Já se percebesse que ele conseguiria de alguma maneira evitar meu golpe e ainda me atacar, tentaria chutar minha própria arma e me lançar longe dali.

Juro a Deus, se é que esse desgraçado ainda se importe ou se dê ao trabalho de tirar aquela bunda velha e gorda de onde está para me observar, que nem ao menos percebia que meu semblante era totalmente diferente do que o de costume, ele se deformava naquela face maldita que me assombra desde o dia em que se mostrou para mim pela primeira vez, refletida naquela possa de sangue rubra em meio a toda aquela atrocidade que cometi com minhas próprias mãos, aquele sorriso maquiavélico que vai de um canto da cara a outro, aqueles olhos vermelhos e sedentos, aquela teta franzida como a de uma fera que aproveita um belo massacre de sua presa, aquela face do... demônio. Talvez esse fosse o ponto em que ficava perto de perder a sanidade por mais um tempo, como já havia feito outras vezes, ou talvez fosse o ponto em que eu realmente começava a me fundir as duas partes de mim, não fazia ideia, mas que liberava aquele poder que passo a vida tentando conter, eu liberava, e que ansiava por ver aquele ser a minha frente despedaçado, aterrorizado com o fim iminente logo antes de sua vida esvair diante de meus olhos, eu anciava.


OFF: Liberando 70% do poder nesse turno e com o passar da luta(turnos), liberando mais.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
29

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Seg Dez 28, 2015 10:52 am


Ace Number

Do you even know what magic means?





Não tinha espaço para negar a força daquela criatura. Maldito fosse aquele ser, rápido demais para que pudesse reagir a tempo, poderoso demais para que me protegesse do impacto. Em um momento sentia o empurrão em meu braço, ele que vinha acompanhado do perfeito estalar conhecido, ossos se partiam. Meu ombro contra sua palma. Um ato tão simples como um empurrão, algo que fazia a dor penetrar pela fratura, que ardia como se tivesse uma faca cravada contra os ossos, queimava como se tivesse saltado contra uma maldita fogueira. Em pouco tempo Spark estava a meu lado, avançávamos enquanto demônios corriam contar nós, uma barreira havia sido desfeita, mas ao menos tinha a certeza de estar pronto para a guerra que acontecia.



Minhas cartas pouco faziam efeito contra aquele ser maior, mas de nada significava isso contra os outros demônios. Era um exercito deles, abates seriam abates vindo de qualquer posição. A energia do manto ainda fluía, a sentia quente e calorosa, ainda mais no local onde havia sido partido. O que era aquilo afinal de contas? Uma força misteriosa da qual não poderia negar a ajuda, não podia me importar no por que daquilo, apenas devia me focar que aquilo realmente funcionava. Respirava fundo, enquanto tomava o livro no braço ainda bom. Tinha suas páginas abertas enquanto o tomava a frente de meu corpo. A chuva criada pelo caçador me dava uma ideia.



Do livro viria o Julgamento. Tantas cartas laminadas quanto conseguisse invocar, todas sendo cuspidas para o céu, se acumulando ao meu redor como em uma nuvem de gafanhotos famintos. As fazia girar e dançar como em uma apresentação, todas prontas para um único fim, chover sobre quantos dos invasores visse. Atirava todas contra qualquer um que tentasse a invasão. Arremessando as laminas de ferro em formas de cartas contra todos, sem julgar aparência ou distinguir formas, tinha um caminho a proteger que tornava tudo mais fácil, qualquer coisa que estivesse vindo contra este caminho era um alvo em potencial.



Post: 003 ~ Rename: -X- ~ Location: Atalaia

Notes: -X-  

Thanks, Lollipop @ Sugaravatars
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
68

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Spark em Seg Dez 28, 2015 2:57 pm

Se encontrou com seu capitão e viu que o mesmo estava prestes a entrar em um embate com outro dos lideres do exercito, explicou para ele a situação e o porque de trazer Joker para lá, e então recebeu suas ordens, sem falar nada as aceitou, se pois a frente dos poucos homens que tinham sobrado e disse:

- Não vamos de encontro a batalha, impeçam que entrem, mas não avancem, os feridos que puderem lutar, por favor sirva mais uma vez a seu deus e sua raça nessa guerra sagrada! Nós somos a ultima esperança da humanidade e essa esperança não vai morrer hoje.

Se juntou aos homens que tentara motivar, mesmo que não fosse um guerreiro usaria todas suas habilidades para impedir que os demônios adentrassem o seu “ultimo bastião”
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
22

Data de inscrição :
07/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Seg Dez 28, 2015 2:58 pm

Tudo ia conforme o plano, menos a parte da chuva da agua benta, aquilo fora totalmente imprevisível. Alice corria com todas suas forças sem olhar para trás, chegou até o selo e com um simples balançar de Albeiron o partiu e seguiu seu caminho, mas não conseguiu muito longe antes de ouvir o estrondo das costas de Belphegor se chocarem contra o chão, o viu olhar para ela enquanto era preso pelas garras do warg de Mah’A, normalmente pensaria em voltar para salvar o seu prometido, porém sua missão era mais importante do que a vida de qualquer um dos seus companheiros. Olhou para o demônio que estava prestes a encontrar seu final nas garras de seu tio e simplesmente sorriu para ele, sabia que aquele ser desprezível e ardiloso tentaria tudo em seu alcance para sair de lá vivo.

Adentrou os corredores e seguiu em frente preparada para enfrentar qualquer outro que entrasse em seu caminho, não temia nenhum dos asseclas de Mah’A muito menos os guardiões, a confiança que a menina tinha na própria habilidade e na espada de seu pai eram imensas, não seria parada, não falharia em sua missão mesmo que tivesse de dar sua vida para isso.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Seg Dez 28, 2015 7:23 pm

THOMAS


- Hah, me banharei em seu sangue -As espadas se chocaram com força, criando um impacto de energia que nem mesmo Thomas sabia que era capaz, os dois recuaram por instantes e então voltaram a competir força. O demônio no entanto, era absurdamente forte e Thomas teve de recuar por segundos, até que as espadas voltaram a se colidir e o capitão viu as lascas de gelo da arma do inimigo voarem conforme ela se chocava contra sua lâmina, mas o impacto de cada golpe fazia os ossos de Thomas tremerem, era quase impossivel sair da defensiva e se por para atacar - Nada mal para uma criança - E ele recuou, como se estivesse tomando um ar - Me chamo Azazel. E você? - A voz parecia mais humana do que o normal, após a pausa para respirar ele avançou.

A lâmina de Thomas resoou junto a de Azazel, e o capitão percebeu naquele momento. Nunca havia enfrentado ninguém tão forte quanto o inimigo que estava na sua frente, a arma de gelo se desfazia conforme atacava mas fazia com que Thomas recuasse e se a situação continuasse daquele jeito, ele acabaria de costas para o portão e  então seria o fim dele. Tinha que reagir. E como se sua vontade fosse atendida a arma de Thomas pegou fogo quase que por vontade própria, mas não eram as chamas normais. Eram chamas claras e azuis, e assim como a arma a jóia presa ao peito da armadura brilhou como se respondesse ao ressoar. Como se fossem um. Thomas sentiu-se vivo, sentiu-se desperto. Sabia que poderia e avançou. As lâminas se chocaram e Azazel recuou quase de imediato, as chamas azuis do demônio diminuiram por um momento e Thomas continuou a avançar. Azazel teve de materializar um escudo de gelo, mas a lâmina do capitão o atravessou com uma facilidade absurda e riscou o elmo do inimigo.

E como se a fúria de Azazel fosse despertada as chamas de seu corpo saltaram, ele deu um passo para trás e quando Thomas avançou ele desviou a lâmina dele com a própria, e a arma de gelo quebrou completamente, então Azazel saltou e chutou a arma flamejante da mão de Thomas. A espada escorregou para longe de si, quase caindo da ponte e antes que ele pudesse recuperar a arma Azazel avançou contra ele, os crânios se chocaram.


- O que... é ... Você? - Ele perguntou, ofegante. Thomas sentiu o sangue quente escorrer de sua testa pelo seu rosto, e a adrenalina consumi-lo quase que por completo, a energia dentro de si... Não, não vinha de si. Vinha da armadura, a armadura estava lutando com ele. Thomas viu a barreira que segurava os demônios do outro lado perder mais uma camada, agora faltava apenas duas. A que Myra segurava e a que estava com Sarah - Parece que... Seus companheiros... Estão falhando - Os demônios do lado de fora começavam a socar a barreira e ela parecia estar prestes a quebrar, rachando. Talvez ainda tivesse algum tempo antes de ser jogado ao exército do submundo. Azazel recuou e ergueu os punhos metálicos, pronto para lutar contra Thomas. Sem armas. E a chama dele se apagou, restando apenas a armadura flutuante, pronta para a batalha mais uma vez. Antes que pudesse continuar os dois foram jogados ao chão por uma energia que vinha da direção de um dos selos, o que Myra estava protegendo. Uma energia maligna e poderosa.

(Off: Te controlei um pouco mas o próximo round vai no seco mesmo, é que eu queria mostrar que vocês tem poder equivalente basicamente. Espero que não se importe <3 )

Thomas adquiriu um novo item
( Adicionar à ficha )

Spoiler:

Nome: Armadura de ... ?
Descrição: Uma armadura antiga com as velhas cores dos guardiões, azul e preto. O símbolo de Valiheim está desenhado em suas costas. ( Descrição pode ser Alterada se desejar )
Efeito Especial: ???
Habilidade Especial: ???




MYRA
( Avisou que não ia conseguir postar por motivos, então eu to assumindo )

Myra não respondeu, apenas ergueu a espada. O demônio colossal se pôs ao lado dela, assim como o ser vermelho. Alastor avançou, com os dois machados para cima dos três, ele correu numa velocidade absurda e saltou contra o demônio colossal com ambos os pés erguidos, ele penetrou a armadura e o peito do demônio e o fez voar contra uma parede negra fazendo com que ele se chocasse e batesse as costas de uma forma absurdamente violenta e então estava acabado.

Agora eram apenas dois contra um, Myra tentou acertá-lo com a lâmina passando por cima de sua cabeça e Alastor abaixou e com um movimento preciso contra as pernas dela fez com que ela caísse, então lançou o machado contra a garganta do demônio restante, o machado cortou sua cabeça fora.

Um contra um.

- Uma guardiã que usa demônios, o quão irônico é isso? - A voz macabra de Alastor fazia com que ele fosse simplesmente assustador, ele abriu as asas para exibí-las, e com Myra ainda jogada ao chão ele pôs um pé sobre o peito da garota - É o seu fim - Alastor ergueu o machado, pronto para finalizar a luta e seguir caminho.

E Myra achou que seria seu fim. Mas antes que pudesse morrer ali a pele dela começou a pegar fogo, e sentiu as chamas a consumirem de forma violenta, como se tivessem simplesmente a acendido, como se estivesse pronta para explodir há muito tempo. Cada nervo, músculo e osso foram incendiados e ardiam como o próprio inferno, chamas que atravessavam a pele e riscavam a própria alma. Então Myra se levantou, ainda em chamas. O rosto se desfez em parte, a pele parecia cair e deixava os músculos a mostra, os cabelos no entanto estavam intactos ... Mas os olhos dela. Os olhos se tornaram escuros como a noite e ela parou de arder. Era como se a íris houvesse consumido toda a chama que queimou o corpo da garota e agora havia se tornado a mais pura das raiva. Agora sentia-se viva como nunca havia se sentido antes, sentia o poder correr através de suas veias e se encaixar em seu corpo, a eletricidade de energia que a a consumia se adaptando e criando vida.

A pele se recriou, voltando ao lugar mais branca que antes, agora havia adquirido um tom marfim. Os olhos roxo e preto que pareciam se divertir, os cabelos brilharam em vermelho por um segundo mas voltaram a tonalidade antiga, as roupas e armadura brilhavam em um negro profundo como se houvessem sido melhoradas.


- Você... - Alastor engoliu seco - O que é você? - Ele ergueu o machado como se estivesse pronto para lutar contra a garota, mas não avançou. Myra respirou fundo, adaptando-se ao novo estado de vida e então uma grande e absurda energia vazou de seu corpo, como uma onda psíquica que se espalhou por toda a fortaleza dos guardiões, abalando as estruturas e lançando homens ao chão, e projetando-se para além dos horizontes e só então ela notou a barreira se desfazendo ao seu lado, o selo havia sido quebrado, talvez com o impacto de sua energia. Uma grande parte dos soldados de Alastor correu como se tivesse visto o diabo em carne ali, a outra parte deu alguns passos para trás com medo. Mas a grande maioria ficou paralizada, desgarrados, lordes demônios, succubus, bestas selvagens todos eles observando a garota. E pela primeira vez em milhares de anos Myra e outros guardiões viram algo que não havia acontecido em toda a eternidade. Os demônios puseram suas armas ao chão e se curvaram, todos eles ajoelharam e reverenciaram a garota de cabelos roxos ... E ela sentiu, sentiu o sangue de cada um deles, sentiu o que cada um deles estava sentido, conectou-se aos pensamentos de todos e de repente eles eram um, conectados através de suas almas.

Myra Adquiriu uma nova habilidade( Adicionar à ficha)

Spoiler:
Nome: Sangue de meu sangue
Descrição: Capacidade de controlar cem demônios ao mesmo tempo, ao entrar nesse estado Myra pega fogo e perde 90% de seus pontos de vida sendo queimada, mas apesar de voltar ao normal não consegue recuperar totalmente suas forças.
Efeito: Após pagar o preço ela entra em um estado onde é capaz de controlar cem demônios por vez, e se tornar uma só com todos eles, permitindo que eles sejam seus olhos, permitindo ver em todas as direções. Ela também pode se teleportar em uma distância curta e é capaz de criar ondas de energia que não causam dano, ela pode também criar um campo de força à sua volta onde nenhuma magia funciona.
Duração: Indefinida, variando de acordo à vontade do narrador.
Custo: 90% De seus pontos de vida 100% Dos pontos de energia




BLAKE

Blake se jogou com forças contra o inimigo, a foice em mãos servindo-lhe tão bem quanto deveria, o sangue fervendo através de seus braços metálicos, a fumaçava evaporando. Era como se tivesse nascido para isso. A arma em mãos cortou a lança que estava no ar com uma facilidade absurda, e os dois correram um contra o outro, disparando na direção contrária. O inimigo saltou por cima de Blake girando no ar e caindo atrás dele com uma acrobacia perfeita, Blake girou para acertá-lo, adaptando-se a situação com a arma cortando o ar. E ela acertou a máscara do inimigo, rachando-a e deixando cair uma parte em quanto a outra se mantia presa a seu rosto. O sangue escorreu pelo queixo do homem, e Blake pode ver seu sorriso

- VAMOS ACABAR LOGO COM ISSO! - Ele berrou

Ele novamente disparou contra Blake, sem parar, sem esquivar. E quando Blake o atacou o escudo mágico e circular se projetou em volta do inimigo, fazendo a foice travar no ar, entre o escudo invisivel e quase tocando-o. Ele então pulou e com os dois pés erguidos fez Blake se chocar contra o chão de pedra, então correu até ele. Se jogou em cima do guardião caído e ergueu o punho para socá-lo no rosto. A foice estava no chão, e Blake precisaria de um pouco de esforço para alcançá-la, era uma tentativa arriscada.

Blake ouviu a voz ecoar em sua cabeça, a risada que tentava consumí-lo. O sangue que fervia. O vermelho rubro que vinha buscar por ele. Ele sentiu a força emanar por seu corpo, a velocidade que existia dentro de si. A fúria escondida.

(65 de mp restando)

Item novo adquirido ( Adicionar à ficha )

Spoiler:
Nome: Foice Possuída
Descrição: É uma foice simples e escura, mas ainda sim mortal.
Efeito Especial: Ela é capaz de se adaptar ao portador se ela desejar , ???
Habilidade Especial: ???



PARTE 1 ( AEMY )

Aemy atravessou a porta e tudo ficou claro, e a visão dela começou a voltar ao normal. Nunca havia saído da sala onde a esfera estava, e Crowley ainda estava lá, de pé.
- É uma pena - Ele disse com um tom decepcionado - Sem isso, não poderei criar o mundo que prometi - Ele sorriu - Mas não tema, farei algo ainda melhor. Afinal. Eu lhe prometi, e é natural que não confie em mim. É natural que não confie neles - Crowley deu um passo para frente e ergue a mão na direção da esfera - Vá, leve - respirou fundo - Não vou machucar a você, ou a seus am... companheiros, nem mesmo ao leão... Eu vou ajudá-los, assim que conseguir sair daqui - E ele sorriu, como se estivesse realmente dizendo a verdade. Mas ainda sim, os olhos dele eram redemoinhos gelados e cinzentos, que de repente eram belos. Aemy pegou a esfera da mesa e sentiu o imenso poder que ela emanava. Era pequena e cabia na palma de sua mão como uma maçã e tinha uma centena de detalhes e coisas que mais pareciam botões, era como um dispositivo muito perigoso. Quando saiu dali, um corredor longo e escuro se estendia a sua frente. Ela passou muito tempo andando por ele, talvez tempo demais e não havia nem sinal da saída. Através do corredor existia uma centena de portas, todas trancadas e após uma meia hora ali dentro, perdida ela ouviu a voz em sua cabeça, era Biki falando, mais uma vez - Posso sentir algo... Alguém está vindo - Aemy estava no escuro, a luz não existia ali no subsolo, e também não havia aonde se esconder. Apenas portas e mais portas trancadas. Havia no entanto, uma maior. Era um portão todo entalhado com imagens assustadoras de demônios e duas gárgulas cinzentas enfeitavam a entrada, o tamanho daquelas portas era assustador e não sabia o que poderia abrir aquilo.

PARTE 2 ( ALICE )

Alice correu através da Atalaia, fatiando tudo o que via a sua frente, afinal, os guardiões atiravam tudo o que podiam contra ela mas nada fez efeito, as flechas que a alcançavam eram despedaçadas assim como os corpos de seus donos, pôde sentir a energia de seu pai e a energia de Mephisto, as duas próximas mas em direções opostas. Mas a missão era mais importante que qualquer demônio.

A velocidade com qual atravessava aquela fortaleza era muito alta e em pouco tempo havia conseguido ganhar muito território, não demorou para que encontrasse de onde vinha a energia de seu pai. Albeiron ressoava com a alma de Crowley e devido a isso não achou dificuldade em encontrá-lo. Era uma grande escadaria que levava ao subsolo. O portão de ferro caiu perante a lâmina e ela o atravessou. O subsolo era simples. Um grande corredor que se projetava por debaixo de toda a atalaia com milhares e milhares de portas que levavam a outros corredores e lugares, mas a lâmina sabia bem onde seu dono se encontrava e ela anciava por ele.

Chegou a um ponto onde a escuridão havia dominado, mas Alice era capaz de ver no escuro melhor do que qualquer um, e ela viu os grandes portões que guardavam seu pai do outro lado. Enormes e majestosos, feitos de algum tipo de material desconhecido, as portas eram desenhadas com criaturas horrendas e demônios, e duas gárgulas se posicionavam do lado de fora mas Alice sabia que elas poderiam despertar a qualquer momento. Foi então que viu o inesperado. Uma garota loira, uma criança, parada em frente aos portões segurando um ursinho e uma pequena esfera que emanava energia suficiente para explodir todo aquele local. Alice parou atrás dela, de frente para os portões que guardavam o príncipe.





SPARK E JOKER

Joker pôs suas cartas em prontidão mas não precisou usá-las, ali em cima dos portões principais da Atalaia nenhum demônio os alcançava, e o único que havia atravessado estava agora lutando contra Thomas na ponte lá em baixo, a luta durava de forma bruta e absurda, o capitão era levado ao limite assim como o demônio que se auto-denominava Azazel. Não havia o que fazer, apenas esperar e contemplar a paisagem a sua frente, demônios dilacerando demônios, criaturas arrancando a cabeça umas das outras em quanto lutavam para tentar entrar dentro da barreira e eram repelidas, cada vez menos. O manto do tenente se desfez e de repente ele sentiu o ombro voltando ao lugar e parando de arder, a energia azul do manto se localizava em seu ombro e após curá-lo por partes sumiu.

Spark assim como ele comandava os soldados e os inspirava, alguns pareciam estar em dúvida por causa da aparência do guardião mas uma vez que viram que ele era confiável se puseram a postos, encaixaram as flechas ao arco e esperaram as ordens. Então todos ali em cima cairam ao chão, lançados por uma energia que vinha, distante. Spark reconheceu a energia de Myra fulminando e se espalhando.

( OFF: Vocês não precisam postar nesse turno, nada pra fazer, apenas se quiserem interpretar e tal, ou conversar entre vocês. Ou podem guardar pro próximo post. )]

Spark Adquiriu nova habilidade ( Adicionar à ficha )

Spoiler:
Nome: Máscara de Quetzalcoatl
Descrição: A máscara é um objeto dourado que cobre o rosto de Spark e permite que ele veja coisas que não poderia a olho nú.
Efeito: Pode ver através de qualquer coisa desde que não seja protegido por mágica ou semelhante, também pode ver auras e almas. Quanto mais longe desejar ver maior o custo. Entretanto em quanto está usando a máscara Spark se torna mais lento e ao tirá-la fica tonto por um turno.
Duração: Até que seja desativado, instantâneo.
Custo: 5 Para ativar. 20 Para ver através das paredes/objetos. 5 Para aumentar a distância da visão.

Joker Adquiriu uma nova habilidade ( Adicionar à ficha )

Spoiler:
Nome: Manto de Alma
Descrição: O tenente é capaz de vestir a própria alma, é um sobretudo azul e flamejante.
Efeito: A Habilidade permite que ele ganhe mais velocidade, força e controle mental/psíquico de objetos simples ou próprios, para controlar coisas grandes e pesadas é preciso de mais força que o normal e é necessário canalizar durante um turno. Ela também pode ser usada de escudo, uma vez que nada atravessa o sobretudo, e quando ativado ele cura lentamente os danos. Caso seja acertado por algo que dê danos à alma Joker leva dano permanente aos pontos de vida.
Duração: -10 de mana por turno vestindo, instantâneo.
Custo: Inicial: 40, perde dez toda vez que passar um turno usando




ASGARD

A experiência dele fez com que tudo ficasse mais fácil. Com as armadilhas posicionadas e pronto para se mover ele avançou. Assim que os demônios inferiores ouviram barulhos o mestre deles ordenou que avançassem em algum tipo de língua que Asgard desconhecia, eles partiram para o meio da floresta para procurar o que quer que fosse, e Asgard viu eles sendo destroçados pela armadilha com espinhos, os mais burros caiam em coisas mais simples como cordas, a facilidade em lidar com aquela situação era bizarra.

Ele avançou pelas barracas de seda e alcançou o chefe. A lâmina desceu pelo pescoço do demônio e ele caiu, sem que ninguém visse. Havia um pergaminho enrolado a cintura do monstro e nele dizia

" ORDENS DE MAH'A: FLANQUEAR AS TROPAS DE CROWLEY QUANDO A CORNETA SOAR, A ATALAIA ESTÁ SOB O COMANDO DE MEPHISTO E PORTANTO NÃO DEVE SER DESTRUÍDA, UMA VEZ QUE ALGUNS DE SEUS GUARDIÕES SÃO LEAIS A ELE, JÁ TEREMOS TOMADO CONTA DA SITUAÇÃO QUANDO OS HOMENS DE MEPHISTO ASSASSINAREM OS HUMANOS TOLOS QUE NÃO O SEGUEM, AQUELES LEAIS A NOSSA CAUSA ESTÃO COM UM COLAR VERDE PARA QUE NÃO EMANEM ENERGIA DE POSSESSÃO OU COISA PARECIDA " Asgard sentiu uma mão em seu ombro, então foi erguido. Um demônio grande e forte o jogou contra uma árvore, era uma luta de um contra um.

Ele era horrível em aparência. Tinha duas asas em suas costas, mandíbulas que mais lembravam as de uma aranha e correntes que balançavam de um lado para o outro presas a sua cintura.

Asgard adquiriu nova habilidade

Spoiler:


Nome: Possessão de Loki
Descrição: Loki e Asgard compartilham o mesmo corpo.
Efeito: Loki é capaz de dar energia a Asgard se assim ele desejar, a energia pode ser moldada de diversas formas, desde criar coisas materiais como espadas, escudos ou objetos de utilidade, até a criar asas e lançar a energia em rajadas como forma de ataque.
Duração: Instantâneo
Custo: Custo é igual a quantidade de MP que Asgard deseja usar, quanto mais MP mais forte ou resistente é a técnica.






OFF: Prazo: DIA 4
Imagens que não consegui colocar no post antes então vem aqui:
Portões de Crowley ( Alice e Aemy )
Esfera Mágica ( Aemy )
Demônio Bolado ( Asgard )
Ademais, boas festas e vejo vocês ano que vem. Beijos nos vãozin do dedo.



__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Ter Dez 29, 2015 11:54 pm

Tudo certo até o momento em que fui arremessado em direção a uma arvore. Me levantei quase que de imediato pronto para o próximo ataque, mas ele ficou a minha frente sem fazer nada, estralei as costas para poder relaxar um pouco da dor que havia causado com o impacto e fiquei fitando-o, assim como ele mesmo fazia. Criatura horrenda e de presença poderosa, não era um bom sinal já que tinha pressa.

Antes de fazer qualquer coisa, comecei a sentir a mesma sensação de poder passando por minhas veias quando Loki havia me emprestado seu poder quando estava na transformação. - O que está fazendo? - Aquilo estava de forma constante e nesse meio tempo, aos poucos, me fazendo ganhar um sorriso de canto de rosto. Deveria começar a me acostumar enquanto podia e deveria.

- Realmente não sei se você tem azar ou muito azar, pois tenho que encontrar uma pessoa agora, o que quer dizer que tenho pressa, você não quer me enfrentar, comigo nesse estado e no meu campo? - Andava lentamente preparando a espada, estralando pescoço, ombros e mais algumas juntas que não precisava ser tocada (cotovelo, costelas, ect). Ainda tinha comigo alguns preparativos da emboscada, bombas de fumaça de cascas de arvore, prontos para serem usados, além de que havia preparado o tereno para minha movimentação. Guardei o pergaminho encontrado, dei mais três passos colocando a mão direita nas costas para pegar uma bomba de fumaça, mas por estar andando, acabei escondendo esse movimento dos olhos do inimigo com a ajuda do meu tronco.

Mais três passos, no quarto dei uma investida para entrar na floresta e nesse mesmo momento arremessei a bomba de fumaça. Não sabia como, mas pude sentir, mas enquanto a bomba estava chegando próximo do inimigo, atirei uma bola de energia com a mão esquerda para ativa-la de imediato, no momento em que explodisse, trocaria a direção do meu caminho, ainda adentrando na floresta. Deveria evitar combate para pegar a chave do cinto e ainda ter que voltar para onde meus companheiros estavam. Tinha que alertar Thomas sobre a mensagem que li e ajuda-los no combate.

avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Qui Dez 31, 2015 1:03 am

- Frágeis de mais... – Foi oque Alice murmurou enquanto dilacerava um grupo de soldados que se colocou em seu caminho. Não gostava nada de ter que fazer aquilo, sempre viu os humanos como animaizinhos indefesos, sempre teve um certo apresso por eles. Mas sua missão era mais importante, não podia decepcionar seu pai, queria provar a ele que era digna de ser sua general no mundo em que planejavam construir.

Foi guiada pela espada, ela vibrava como se estivesse animada para ver alguém, gritava e até mesmo apontava as direções, tinha quase certeza que conseguia até mesmo ouvir a espada falar o nome de seu mestre de vez em quando. Correu destruindo todos os obstáculos que encontrava pela frente, até que a espada parou subitamente, demorou um pouco para perceber que ela parou no pescoço de uma garotinha.

De tantas pessoas para ter contato com, escolheu logo uma criança, meu pai?“ – Pensou consigo mesma. Talvez Crowley tivesse feito aquilo para testar a lealdade de sua filha ou simplesmente para provoca-la.

Alice refreou o desejo da espada de cortar a garganta da menina ali mesmo e se ajoelhou, pondo-se na altura dos olhos da mesma, fincou a espada no chão, olhou dentro dos olhos da garota e com um tom calmo disse:

- Criança, o meu amigo me disse que você se encontrou com alguém muito especial para mim, alguém que foi injustamente preso por homens muito ruins e que pode estar correndo grande perigo se não for libertado o mais rápido possível. – Alice pensou que a “coroa” em forma de chifres que usava em sua cabeça, poderia estar assustando a garota, então os tirou tentando fazer a garota pensar que a mesma não era um demônio ou até mesmo que era um anjo e então falou com um sorriso no rosto. – Você poderia me falar onde encontrar com essa minha pessoa especial?
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Qui Dez 31, 2015 11:34 pm



-
Mentiroso.

A resposta veio rápida e ríspida. Aemy ainda sentia suas lágrimas escorrerem, mas sustentou os olhos estreitos em uma tentativa de transmitir alguma força, embora seu rosto acabasse demonstrando apenas sua frustração.

-
Se você pudesse criar mundos... – a voz ainda saia um pouco rouca, com certa dificuldade – Não estaria nesse. Ele teria me pedido para te entregar isso, teria me pedido para... Te ajudar a sair daqui.

E foi só então que se deu conta das palavras do próprio Crowley. Sair dali? Ele estava preso ou perdido? As correntes que havia escutado... Os olhos de Aemy se desviaram dos de Crowley e ela olhou brevemente para o ambiente em busca de correntes, mas não parecia haver nada ali. Sentiu certa pena dele... Será que estaria sendo verdadeiro? Por que ele estava preso e sozinho naquele lugar? Mas aqueles olhos, aquelas coisas que viu dentro deles... Todas aquelas sensações foram muito mais reais do que as palavras dele.

-
Eu... – recuou alguns passos e depois foi em direção a esfera – Eu sinto muito. – limpou as lágrimas com a manga de sua blusa, por mais que algumas ainda escorressem, e pegou a esfera. Direcionou um último olhar melancólico na direção de Crowley e pareceu hesitar por um instante, mas abriu a porta e saiu dali.

E se viu em um corredor... Ele não se lembrava daquele lugar. Será que Alsdram havia passado por aquele lugar tão rápido que ela não havia visto nada? E para piorar, estava tudo escuro e ela quase não conseguia enxergar. Andou em passos rápidos por algum tempo, tentando afastar os pensamentos do que havia acontecido... Vez ou outra seus olhos voltavam a marejar, mas Aemy dava seu máximo para engolir o choro.

A loira corria sempre que conseguia avistar uma porta, mas estava tudo trancado. Estava começando a se sentir sufocada naquele lugar escuro. E a porta diante de si a incomodou. O que diabos poderia estar ali? Aquela certamente não parecia a saída que ela procurava. Encolheu os ombros e pensou.

Talvez pudesse iluminar o lugar... Se lembrou de como as coisas aconteceram naquela casa, contra aquele esqueleto estranho. Energia fluiu pelo seu corpo e ela viu brilho em suas pernas, como se seu corpo tivesse emitido luz e ela... Voou. Talvez pudesse fazer o mesmo de novo?

Fechou os olhos e tentou se concentrar, queria tentar fazer aquela energia fluir de novo... Brilhar e sair daquele lugar escuro. Sua concentração foi interrompida pela voz de Biki. Alguém? Quem? Será que Crowley havia ido atrás dela novamente? Talvez a sombra que viu nos olhos dele estivesse lá, se esgueirando e esperando para devorá-la.

Aemy sentiu um arrepio percorrer seu corpo e apertou a esfera em sua mão, levando-a para perto de seu peito com receio de que algo surgisse das sombras para roubá-la. Por que Alsdram não estava lá para leva-la de volta? A loira conseguia escutar seu próprio coração bater forte e rápido... Será que o que quer que estivesse ali também escutava? Pressionou seu ursinho entre seu braço e seu peito, deixando uma de suas mãos livres para poder reagir a quem tentasse lhe causar mal.

Mas não houve tempo. Quando se deu conta, algo já estava bem as suas costas. Algo que não eram as asas que ela esperava. Aemy se virou bruscamente e, embora em sua mente já tivesse pensado em apenas destruir quem estava lá, novamente a visão de alguém a impediu. Não conseguia ver com tanta nitidez, mas parecia uma mulher... Os chires, porém, indicavam outra coisa. Por que alguns deles tinham que parecer tão humanos? Eram demônios.


“Não tenha medo, não tenha medo...”

Repetia a frase em sua mente, embora seus olhos estivessem arregalados. Como não foi atacada, Aemy recuou alguns passos e chegou a bater as costas na maldita porta. Apertou seus objetos em seus braços e ficou acuada. O olhar estreito e amedrontado continuava em Alice... A mão trêmula começou a se erguer, mas o movimento cessou quando Alice fincou sua espada no chão e Aemy pareceu surpresa.

Aproveitou o gesto para se esgueirar pela parede, recuando um pouco para o lado... Por que ela estava fazendo aquilo? Era claramente um demônio. Ela estava procurando por Crowley? Por que diabos ela iria querer encontra-lo? O gesto de tirar a coroa a surpreendeu novamente... Era uma humana mesmo? Não, não, se Crowley era alguém especial para ela, certamente era um demônio.

-
Crowley...? – ponderou quando ela falou sobre Aemy ter encontrado alguém. Estava tão assustada que apenas indicou a direção de onde veio, esperando que aquela mulher, demônio ou o que quer que fosse, apenas saísse dali para ir de encontro ao tal alguém especial. Mas, ela não parecia má... Ao menos não vira o que vira nos olhos de Crowley. Talvez estivesse tentando enganá-la, assim como o outro... Mas, ainda sim... Droga. Por que tinha que ser tão burra? A pequena não tinha ideia de como agir, de como distinguí-los, nem sabia porque aquilo estava acontecendo ou o que deveria fazer (além de entregar a maldita pedra a Thomas). Não sabia porque Crowley estava preso, teria sido realmente algo injusto?

Ele... – hesitou, mas continuou, ainda recuando alguns passos, não queria prolongar aquela conversa - Parece mau. Tinha... Fogo, morte e dor nos olhos dele... Você não devia ir.

“Vamos, Biki. Vamos voar para fora daqui logo... Por favor...”
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Sex Jan 01, 2016 2:15 am

OFF: Estava eu conversando com o Glauco, quando ele me disse que todos nós tinhamos o direito de fazer double post, caso fosse adicionar no dialogo ou na campanha em si, é já que está em um momento tão emocionalte e legal, aqui vou eu <3.

A menininha parecia apavorada, não dava espaço pra aproximação e muito menos parecia confortável com a situação, bem, na verdade quem estaria confortável com uma guerra acontecendo não tão longe dali? Alice conseguiu entender oque a pequena humana sentia, sabia que coisas horríveis haviam acontecido com ela, afinal, esse não era um mundo dos mais gentis.

Não queria amedrontar a pequena mais do que ela já estava, então deu todo o espaço que a menina precisava, sem em nenhum momento fazer movimentos bruscos, a ouviu pacientemente e esperou para falar. Pode reparar enquanto a menina se esgueirava procurando uma rota de fuga, que ela apertava uma esfera cada vez mais contra seu peito, não sabia oque era, mas de certo era algo divino.

- Crowley...? –

Ela realmente o havia encontrado, como esperava Albeiron reconheceu o “cheiro” da energia de seu mestre naquela garotinha. Seu pai certamente havia tentado iludi-la com seu charme barato, ele nunca fora bom com as crianças, dependia de mais de seu rosto bonito.

– Ele... – hesitou, mas continuou, ainda recuando alguns passos, não queria prolongar aquela conversa - Parece mau. Tinha... Fogo, morte e dor nos olhos dele... Você não devia ir.

Ao ouvir essas palavras finalmente pode entender o porquê da menininha estar tão evasiva, ela havia visto a verdadeira face de seu pai, a face que até mesmo a própria Alice temia. Mesmo sabendo que tudo aquilo que a garotinha havia dito era verdade, não queria que um filhote de humano pensasse coisas ruins de seu pai e rei, pensou por alguns instantes em maneiras de poder fazer ela entender que ele não era de todo mal e então chegou a uma conclusão, iria contar para ela toda a verdade.

- Sabe garotinha... Crowley é meu pai, posso não parecer e muitos podem não concordar, mas também sou um demônio. – Alice olhou bem nos olhos da garota e disse. – Eu acho que você conhece a historia de Lúcifer não? Ele era um anjo que quis ser rei e então o pai dele o expulsou de casa... Eu tenho essas asas e esse rostinho de anjo por causa dele.

Alice se levantou e colocou sua coroa, queria mostrar para ela com aquele gesto que tinha orgulho de ser um dos demônios.

- Meu pai pode parecer um homem mal, mas ele não quer para vocês o mundo que Lúcifer deseja. Talvez não vá acreditar em nada do que eu vá dizer, e se você não fosse uma criança eu nem mesmo pararia para falar com você.... Mas eu vim aqui para salvar o meu amado pai e para livrar esse lugar dos homens de Lúcifer, se desejar eu posso lhe proteger garotinha, é só me seguir que não deixarei nenhum monstro tocar em você, nem mesmo meu pai. – Alice puxou uma de suas penas e a ofereceu para garotinha. – Mas se não quiser vir comigo, lhe darei isso e desenharei em sua roupa uma runa, para que todos os meus soldados possam reconhecer que você é minha protegida.

Sabia que não devia estar fazendo aquilo, parando sua missão para proteger um humano? Que tolice, mas não podia evitar, ela era tão sensível e bela e a jovem demônio sempre teve um fraco por filhotes humanos. Ficou lá esperando que a garota pegasse sua pena e a desse permissão para marca-la.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Dom Jan 03, 2016 2:31 pm


Aemy ficou pálida ao ouvir que Crowley era o pai dela. Por um instante pensou que morreria por ter falado mal dele, ainda mais diretamente para a filha. Mas como a mulher apenas continuou a falar e manteve a voz calma, esse medo foi se esvaindo um pouco.

Quando Alice a questionou sobre a história de Lucifer, Aemy balançou a cabeça negativamente. Anjo? Isso... Isso não era tão ruim, certo? Não existiam apenas demônios então, talvez anjos ainda pudessem salvar aquele mundo.

A pequena manteve os olhos fixos em Alice, o olhar carregado de desconfiança e medo, ainda mais quando ela fez questão de colocar seus chifres de volta. “Amado pai”... Demônios eram mesmo estranhos. Esse lado de amar a família parecia humano, mas... Como aquela mulher amava um pai que, aos olhos de Aemy, certamente era um monstro? Diante da primeira parte da oferta, Aemy recuou um passo.

-
Eu não quero ver ele de novo... – disse, desconfortável com a ideia de reencontrar Crowley.

Quando ela lhe ofereceu uma de suas penas, a pequena hesitou. Aemy ficou em dúvida se deveria confiar em um demônio... E se fosse só uma mentira? Por mais que ela parecesse honesta em suas palavras, podia estar só a enganando, era um demônio. Por que ela tinha que parecer tão humana e honesta? Chegou a estender um pouco a mão, cogitando aceitar; a ideia de que nenhum demônio tentaria ataca-la era boa, mas... Olhou novamente para aqueles chifres.

-
Não. – recuou o braço – Você é um demônio... – as palavras tinham dificuldade em sair e a pequena sentia um misto de raiva e tristeza - Vocês... Vocês destroem tudo! – os olhos voltaram a marejar com suas lembranças – Ninguém me disse isso, eu vi! Eu vi o que vocês fazem! O sangue... Fogo... – encolheu o corpo trêmulo e recuou mais um passo, tomando uma postura mais defensiva - Todos morreram... N-não tente mentir pra mim! Você não vai me proteger! Você vai me matar... É o que vocês sempre tentam fazer...
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Dom Jan 03, 2016 4:28 pm

Nada do que falava parecia adiantar, a garotinha só ficava cada vez mais assustada. Refletiu consigo mesma por um tempo e chegou a conclusão, talvez demônios e humanos realmente não fossem feitos para conviver... Mas aquela garotinha realmente havia mexido com algo dentro de Alice.

Ela havia negado conhecer Lúcifer e foi nesse momento que a filha de Crowley pode perceber o quão perdida e inocente aquela garotinha era. Com a idade que aparentava ter, provavelmente já havia nascido com o mundo humano mergulhado em caos, mas mesmo assim não fazia ideia do porquê tinha de sofrer tanto.

Como esperado sua proposta de proteção fora negada, imaginava que a menininha nunca mais iria querer ver Crowley novamente, nenhum humano tem primeiras boas impressões dos príncipes do inferno... e nem deveriam ter.

- Não. – recuou o braço – Você é um demônio... – as palavras tinham dificuldade em sair e a pequena sentia um misto de raiva e tristeza - Vocês... Vocês destroem tudo! – os olhos voltaram a marejar com suas lembranças – Ninguém me disse isso, eu vi! Eu vi o que vocês fazem! O sangue... Fogo... – encolheu o corpo trêmulo e recuou mais um passo, tomando uma postura mais defensiva - Todos morreram... N-não tente mentir pra mim! Você não vai me proteger! Você vai me matar... É o que vocês sempre tentam fazer...

Nada pode fazer se não abraçar a garota da forma mais espontânea e sincera que pode, conseguiu sentir que a loirinha estava prestes a chorar:
- Uma criança não deveria falar palavras tão duras... – Alice hesitou por um momento. – Nem todos são iguais mocinha, como eu havia dito Lúcifer era um anjo, o mais belo dos anjos e hoje ele é o diabo.

Largou a garota, não sabia se oque estava fazendo era o certo, não devia se importar tanto com um filhote humano, tinha que voltar a sua missão, mas antes precisava avisa-la dos perigos que a esperavam, ainda ajoelhada pois suas mãos nos ombros de Aemy e disse:

- Não vá pelo caminho que eu vim, lá você vai encontrar um demônio com olhos muito piores do que os de meu pai, o melhor que você tem a fazer agora, é se esconder em algum lugar próximo daqui e esperar que eu liberte meu pai, ele vai dar um jeito nesse outro demônio. – Alice se levantou e sorriu para garota. – Mas caso resolva não seguir meu conselho, vale a pena tentar usar meu nome como proteção, caso confrontada por alguém diga que Alice Crowley a deixou passar... Provavelmente o único que aceitaria isso é o anjo caído que deve estar tendo problemas com Mah’A, mas caso Belphegor ainda esteja vivo, ele vai acreditar em você.

Olhou para a porta adornada e amedrontadora que se encontrava em sua frente e soube que era lá que sei pai estava, já havia perdido muito tempo conversando com a pequena, tinha que soltar seu pai de uma vez, mas antes precisava saber de uma coisa

- Antes de partir, me diga, qual é seu nome garotinha?
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Seg Jan 04, 2016 1:39 am


Thomas não se intimidou com a ameaça do seu inimigo e simplesmente foi pra cima do seu oponente sem nenhum temor. As espadas se chocaram e naquele momento Thomas notou o tamanho do poder que aquele demônio tinha. Sabia que estava lutando com alguém mais forte, mas isso não o fazia desistir. Ele não podia deixar aquele ser passar pelo portão senão tudo estaria acabado. Sentia que os outros selos estavam sendo rompidos. Sabia que todos o fossem, seria o fim. Estava determinado a dar a vida para que ninguém passasse por aquele portão. Pensando nisso recuou e se preparou para mais um golpe e mais uma vez as espadas de chocaram. Dariwishi sentiu os ossos do corpo estremecer com toda aquela força. O ataque se repetiu mais uma vez, fazendo as espadas faiscarem.

Reconhecendo a força de Thomas, o demônio disse seu nome e indagou saber o de Thomas. - Thomas Darwishi, Capitão dos Guadiões das Sombras de Valliheim. - E então o combate continuou.  Thomas conseguia segurar os ataques do seu oponente, mas pouco a pouco era colocado contra o portão de ferro atrás de si. Sabia que se ficasse encurralado seria o seu fim. A questão é que ele não podia se render. Não podia cair ali porque as pessoas, seus subordinados, o mundo dependia da vitória naquele fronte. Certamente ele pararia o próximo ataque. E ele veio. Viu se aproximar e ao mesmo tempo, sentiu o corpo ficar desperto. Os olhos ficara vívidos e parecia que tinha recuperado sua energia. Preparou a espada e correu sem receios para cima do seu oponente, porque sabia que não estaria sozinho naquele momento. De alguma forma ele sabia que estava protegido.

O poder que sentia em seu domínio naquele momento se mostrava em cada ataque que dessa vez fazia Azazel recuar. O demônio ainda procurou se defender criando um escudo de gelo, mas de nada adiantara diante do fio de sua espada, que passou rende ao "rosto" de seu oponente, acertando a armadura. Isso fez despertar a fúria de Azazel e colocando todo seu poder para fora, preparou-se para mais um ataque. Thomas não se intimidou e também preparou-se para o próximo golpe. Quando enfim as espadas se chocaram, a lâmina de Azazel quebrou em pedaços. Pensava ter a vitória certa, contudo, sua mão fora chutada antes que pudesse fazer algo, acabando poder também ser desarmado. E ainda assim, numa fúria desmedidas, Thomas avançou da mesma forma que Azazel também o fez, fazendo seus crânios se chocarem eu impacto seco.

Sentiu o sangue escorrer. Não era a primeira vez. Viu o sangue tocar o chão gélido. Também não era a primeira vez. Na sua frente, o inimigo mais forte que tinha enfrentado até o momento. Talvez Crowley fosse tão poderoso quanto, mas ainda não tinha travado uma batalha frente a frente com aquele ser. Ouviu a pergunta de Azazel, mas não respondeu naquele momento. Sentia a energia fluir em si e sabia que era aquela armadura. Era Maes. Não estava lutando sozinho. Afastou-se mais uma vez e viu o demônio preparar os punhos, enquanto o fogo azulado que o consumia desaparecia. Thomas também se preparou, mas uma energia violenta o derrubou. Olhou assustado para um dos lados tentando identificar de quem era aquela força, mas não teria sua resposta agora. Além disso, deveria focar no oponente à sua frente.

E pondo-se de pé, respirou fundo. Olhou os céus. Um costume adquiro há tempos quando sentia as dores absurdas dos treinos na Atalia. Parecia que olhar as nuvens lhe acalmava. Parecia que olhar o lar do Criador lhe trazia algo que faltava ao mundo: Paz. Voltou então seu olhar para Azazel e respondeu suas perguntas e afirmações. - Eu sou um Profeta... Eu sou Esperança para o meu povo... Eu sou o Capitão de cada Guardião que coloca a vida em risco nessa Atalaia... E acima de tudo, sou um filho de Deus. Eu junto comigo eu carrego o sonho de um mundo livre e por causa disso, você vai descobrir que eu não quebro. Porque eu não estou sozinho. - Respirou fundo. - Eu sou indestrutível, Azazel. E nada vai me impedir de conquistar meu objetivo. - E então ergueu os punhos e seguiu para o combate direto. O adversário tinha uma área corporal grande, enquanto que a de Thomas era pequena. Usaria isso em seu favor e como vantagem para esquivar dos golpes, enquanto achava brechas para ataques poderosos.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Seg Jan 04, 2016 2:38 am


Com a aproximação repentina e rápida, Aemy arregalou os olhos e pensou em reagir, mas hesitou se lembrando das palavras de Crowley e não houve tempo para decidir. Havia hesitado e agora estava morta. O pavor fez com que a loira fechasse os olhos com força, desejando não ver o que aconteceria a seguir, e apertasse contra si os objetos que tinha nas mãos.

Sentiu o corpo tremer com o toque de Alice e depois, o calor do abraço. Aemy abriu um dos olhos, sem compreender o que estava acontecendo. Por que aquele demônio estava fazendo isso? A abraçando daquele modo... Há quanto tempo a pequena não sentia aquele tipo de ternura? Embora não tivesse retribuído o abraço, se permitiu encostar sua testa no ombro dela e se apoiar levemente ali.

Com as palavras dela, a loira fechou os olhos pesadamente e permitiu que suas lágrimas escorressem. Soluçou com força, tendo dificuldade em tentar conter as lágrimas e o choro. Aemy sabia que deveria empurrá-la, por mais que tivesse uma aparência bela, ainda era um demônio, mas a pequena não conseguia afastar de si aquele aconchego que não sentia há tanto tempo.

Quando Alice se afastou, sentiu vontade de segurá-la, de manter aquele abraço por mais alguns instantes, mas não o fez. Sentia que não devia. Limpou as lágrimas com a manga de sua rouba mais uma vez e desviou o olhar, frustrada e envergonhada. Quando ela falou sobre os perigos do caminho, Aemy ergueu os olhos e voltou a fita-la.

Não queria enfrentar demônios de novo. Ainda mais... Alguém pior do que Crowley? A voz em sua mente lhe disse para não ter medo, mas Aemy ainda gostaria de evitar lutar.

-
Se... Se eu pegar a pena e... E aceitar a marca, eles não vão me atacar? – e hesitou – Se... Se for o caso... – e hesitou, ainda com certo receio de que pudesse ser uma armadilha... Mas se não fosse, estaria salva, não? E ela fora gentil... – Por favor, eu... Eu sei que você tem que ir, mas... Eu não quero lutar... – e não conseguia olhá-la nos olhos, sentindo um pouco de timidez em fazer aquele pedido depois de tê-la ofendido – Você pode... Por favor...? Ou só a pena... Eles vão saber, não é...? – e desviou o olhar novamente – Desculpa... Você não é má... Não parece ao menos... – as últimas palavras saiu mais baixa que o restante, mas não sabia como agir diante de Alice.

Com a última pergunta, Aemy voltou a encará-la com certa timidez.

-
Aemy... Aemy Bennett. E esse é o Biki. – e apertou o bichinho em seus braços.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Ter Jan 05, 2016 12:15 am

O demônio ultrapassava a barreira de pouco em pouco, e a cada parte de seu corpo que entrava,  partes de meus demônios apareciam ao meu lado, para proteger sua mestra. Mas como esperado a criatura era forte demais, derrotou-os sem nenhum esforço e logo estava em minha frente, pronto para dar o golpe final, fechei meus olhos, não queria ter de olhar para nada além da escuridão durante minha morte. Mas não senti nada, nenhuma dor, nada me perfurando, achei estranho...abri meus olhos vagarosamente e vi o terror na face de Alastor.

Não entendi o porque de sua reação até olhar meu corpo, eu estava em chamas,e apenas senti a dor quando vi as chamar, eu poderia desejar morrer com tal  sofrimento e agonia, eu estava sendo queimada viva literalmente, era como se eu finalmente estivesse deixando a casca que construí durante todos os anos de minha vida. As chamas se cessaram e minha pele voltou ao normal, meu cabelo parecia estar intacto e  até mesmo minha armadura havia se tornado  melhor, ou parecia apenas. Me levantei e tentei me estabilizar, era muito poder e ainda não estava ciente do que era capaz, inspirei o ar a minha volta por uma ultima vez, e quando expirei-o, uma energia deixou meu corpo, fazendo eu perceber a barreira se desfazendo. Aquilo não era bom, o capitão e os outros estavam desprotegidos agora, olhei para os demônios a minha frente, eles abaixaram suas armas e se curvaram diante a mim, e assim pude sentir tudo o que sentiam, ver tudo o que viam, assim como meus demônios, eu podia controlá-los. Ignorei Alastor e me aproximei do vasto exercito.

- Seres do mais baixo nível, obedecei sua nova mestra! -  eles sabiam o que eu tinha em mente, e eu sabia que eles sabiam,  também notei que estes demônios não estavam lá por Mah'a, mas sim por...Alice, o mesmo calafrio de algum tempo atrás percorreu minha espinha novamente, ela estava lá, queria libertar Crowley para poder derrotar..Lúcifer? Qual o objetivo deles? Fiquei sem entender o motivo de tal, mas preferi falar pessoalmente com o jovem líder. Ordenei que alguns demônios ficassem,  ainda precisava de ajuda com Alastor, do outro lado da atalaia, pude sentir outros demônios, onde o resto do grupo estava. Os que estavam perto de Mah'a, ajudariam Thomas e os outros enquanto a outra parte do exercito chegava. Voltei minha atenção para o Alastor e ordenei que atacassem-no, eu sabia que era apenas uma distração, eu só precisava me afastar,  tentei andar, mas não durei muito, sentia a fraqueza em mim, mesmo com tanto poder, olhei para uma torre e pensei em como queria estar lá, e em um piscar de olhos havia me teleportado para mais perto, e a cada pensamento, me aproximava mais e mais, até que cheguei ao meu destino. Conseguia ver tudo do topo da torre, o caos e a guerra, sentia meus demônios morrerem, sentia a raiva e determinação deles, via meus amigos lutando, e meu determinado capitão. Eu estava fraca de mais, então decidi apenas descansar por um momento, antes de descer e ajudar minha recente família.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
52

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Ter Jan 05, 2016 4:42 pm

BLAKE

A dor veio como uma mistura de ardência e dor. O soco acertou em cheio o rosto de Blake e o segundo também. Então o terceiro se ergueu, o punho se levantou e ficou envolto de energia negra que tomou a forma de uma lâmina pronta para finalizar Blake, e então ela desceu na direção da garganta do guardião. Mas ela nunca o alcançou. Houve o som do ar sendo cortado. Houve um baque no chão e então o inimigo estava enterrado na neve com uma flecha penetrando seu crânio. - Precisa de uma mão ai? - A voz veio de trás de Blake e assim que ele ergueu a cabeça para observar quem era ele viu Aerys ali com um arco, ele pôs uma segunda flecha na arma e puxou, então soltou. A flecha perfurou o corpo do mascarado penetrando o peito do inimigo. Havia uma criança escondida atrás de Aerys, era um pequeno garoto de cabelos castanhos e olhos verdes, ele segurava um colar de pedra verde que estava pendurado no pescoço - É, agora eu acho que ele tá acabado. Era um guarda do Aegon não é? - Disse Aerys chutando o corpo do homem

- Bom eu tenho que ir, proteger uma torre - E saiu andando do local, mas assim que virou a esquina correndo com o garoto atrás de si e saiu da visão de Blake houve um grito. Um berro de dor. E então Aegon apareceu arrastando Aerys no chão pela gola de sua camisa, a criança não estava mais lá provavelmente havia fugido, ele jogou o guardião aos pés de Blake com uma força que nenhum velho daquela idade teria, Aerys estava desacordado com uma quantidade absurda de sangue jorrando de seu peito e Blake pode ver o sorriso no rosto do general da Atalaia, ele ergueu a mão na direção de Blake e uma força absurda voou contra ele projetando-o para trás, energia usada para impulsioná-lo, Aegon caminhou até seu guarda caído no chão e arrancou a máscara de seu rosto mas sua posição impedia que Blake visse o rosto do inimigo.

- Acorde! Desperte! - E ele pôs uma mão sobre o rosto do caído, ele se ergueu e uma energia brilhante e vermelha cegou Blake por alguns intantes, ele ouviu algumas palavras demôníacas sendo recitadas, e então ele viu o que os dois haviam se tornado, músculos se fundiam de forma grotesca, a pele se rasgava e se tornava uma só. Os dois haviam se tornado um. E ele crescia de uma forma absurda se tornando do tamanho de uma fortaleza.

Spoiler:






MYRA

Alastor não reagiu naquele momento mas assim que ela se afastou as criaturas que ordenou se puseram a tentar atacar seu antigo lorde, e seu corpo se projetou em uma certa distância deixando um vulto roxo para trás, ela correu e mais uma vez o corpo se projetou uma certa distância, e isso continuou até que estivesse dentro da torre e então ela subiu usando o mesmo artifício, até que como em um passe de mágica estava no topo.

O vento gelado a alcançou e atravessou as vestes rapidamente, mas não a incomodou era como se a própria pele fosse feita de fogo. A Torre estava quebrada em partes mas ainda se mantia em pé, firme. E lá de cima conseguiu ver toda a Atalaia, existia uma torre maior atrás de si e nela pode ver Aemy e o leão conversando no topo, talvez conseguisse chegar até lá. Myra podia sentir o vínculo de suas tropas se desfazendo conforme eles eram mandados de volta ao inferno, podia sentir os golpes que eles recebiam em quanto eram fatiados pelos inimigos ou lutavam na ponte mas não sentia qualquer dor, apenas sabia. As informações vieram a sua mente em uma velocidade anormal. Existiam dois exércitos de demônios, o de Mah'A e o de Alice, mas o mais interessante era o por que de estarem ali: A libertação de Crowley. Então um ser chamou a atenção de Myra, despertando-a de seu transe.

A criatura colossal que crescia em meio a Atalaia, derrubando torres e construções inteiras, destruindo tudo o que havia a sua volta. Aquele definitivamente era o maior ser que ela ja vira em toda a sua vida. Sentiu um arrepio subir pelo seu corpo e um sentimento de que havia apenas começado.




AEMY

Aemy tomou um pequeno susto e notou que estava na frente de Alsdram. Os cabelos da garota estavam salpicados de neve, assim como os pelos do leão, e tinha frio, muito frio ali em cima. Os pés estavam enfiados até a canela na neve mas estranhamente não sentia a reação de seu corpo a isso, apesar do frio, era suportável - Perdoe minha demora - Ele disse com a voz grave - Muito bem, vejo que conseguiu recuperar a esfera dourada, eu mesmo não poderia, estou orgulhoso de você, Aemy - O Leão parecia feliz com o resultado. Ela tinha a sensação de estar ali parada na frente dele a um bom tempo, como se a busca pelo objeto houvesse sido apenas um sonho distante - Vê? - E ela notou que estava no topo de uma torre de tijolos, provavelmente a mais alta de toda a Atalaia, o céu acima dela havia começado a escurecer e parecia ser um grande mar de sangue coagulado, o sol estava sumindo.

Em volta da Atalaia uma centena de demônios lutavam entre si e tentavam entrar no local desesperadamente mas eram repelidos pela barreira de energia que guardava os portões - Você pode impedir que todos eles entrem na Atalaia - Ele caminhou até uma das ameias e se apoiou sobre ela - Lá em baixo - Ele indicou o portão principal, era uma enorme ponte guardada por um portão negro e Thomas estava lá, lutando contra um demônio. Apenas os dois disputavam o controle do território - Preciso que entregue a esfera a ele, pode fazer isso por mim ? - Aemy conseguia ver todos eles, Blake em um pátio lutando contra um inimigo feroz, Myra emanando poder e duelando contra um dos demônios que havia entrado, Spark e Joker em cima de uma muralha comandando soldados. Mas o mais assustador era a quantidade de demônios no horizonte, uma onda de vermelho e verde misturando-se, alguns de tamanho absurdo e por todos os lados.

- Você tem um grande poder dentro de si, e pode usá-lo para se defender ou combater, até mesmo para... Voar. E é preciso que o use com mais frequência para que desperte - A voz serena de Alsdram acalmava Aemy de uma forma estranha, quase que mágica, então ele abriu a boca e lançou a ela um hálito agradável de rosas, e Aemy sentiu algo acordar dentro de si, a energia fluiu pelo seu corpo - Vá até ele - Disse Alsdram, e Aemy entendeu o que ele queria. Ela tinha que saltar da torre, ela tinha que voar. E em quanto estava lá em cima, de pé, notou que em uma torre próxima e mais baixa do que a que se encontrava naquele momento estava Myra, além disso havia uma única coisa que chamou a atenção de Aemy mais que tudo. O demônio colossal que se erguia em meio a Atalaia, poderoso - É uma escolha sua o que fazer, profeta - Disse ele chamando-a pelo nome que estranhamente havia sido conferido a garota - Você pode ir ajudar Thomas e entregar a ele a esfera, ou ajudar Blake a derrotar aquela criatura, ou... - Ele olhou para Myra na distância.




ALICE

Em quanto a abraçava Alice pode sentir a energia fluindo dentro do corpo da garota de uma forma que nunca havia visto em qualquer outro humano, e no momento em que ela apresentou o ursinho Alice sentiu uma pressão em seu peito, uma leve queimação e uma sensação familiar a que tinha quando estava perto de Belphegor mas que logo passou. Após a conversa o ambiente começou a mudar. As paredes e o chão tremeram suavemente em volta deles e uma onda de energia passou por dentro dos corredores, acompanhanda do som de um terrível rugido, poderoso como um trovão. A onda de som acertou Aemy e Alice, lançando a criança pelo ar e fazendo ela desaparecer como se tivesse sido teleportada.

E Alice ficou ali, novamente sozinha em frente aos portões. Era visível a grande quantidade de magia embuída naquelas portas, o metal precioso que a revestia desenhado e amedrontador. Mas assim que Alice lançou a espada contra a porta, Albeiron devorou a magia e o metal com um único golpe fazendo com que fosse aberto um buraco no metal, e quanto mais golpes a porta recebia mais fraca ela ficava, cada vez com menos proteções. Depois de que as proteções mágicas foram cortadas e o metal estava caindo aos pés de Alice a porta ficou mais fácil de se mover, apesar de ser pesada, com o esforço necessário ela conseguiu. Metal contra pedra riscaram e gritaram em quanto as enormes portas se moviam e uma escuridão absurda a engolia em quanto adentrava o local, ela ouviu as gárgulas atrás de si começarem a despertar mas em seguida se despedaçarem com a lufada de ar quente que vazou de lá de dentro.

- Finalmente - A voz de Crowley não parecia tão firme, era arrastada e esforçada. Ele estava sentado em seu trono, cercado de magias e círculos de giz desenhados no chão, além de uma barreira branca e círcular em volta dele, semelhante a da própria Atalaia. Crowley não estava como ela se lembrava, os cabelos negros haviam adquirido uma tonalidade loira tão clara que quase pareciam branco, ele parecia uma pessoa diferente, um pouco encolhido, menos imponente. Sua pele clara ganhou uma palidez doentia à luz, e Alice percebeu que ela tinha o tom de um giz acizentado. Os movimentos de Crowley pareciam lerdos e às vezes meio dolorosos, sem a graça e a força que normalmente eram tão características dele. Mas a maior diferença estava nos olhos. Seus olhos haviam perdido a coloração do sangue e agora eram cinzentos, pareciam cansados, infinitamente cansados. Suas pupilas haviam encolhido até virar dois minúsculos pontinhos pretos, e o cinza em volta delas era pálido e esmaecido, sem a intensidade que Alice apreciara com tanta frequência. Mas ele estava lá, sentado em seu trono e vestido em suas roupas negras que faziam com que ele parecesse mais encolhido ainda.

Antes que Alice pudesse se aproximar para desfazer o que prendia o príncipe ao trono ele simplesmente se levantou e as marcações de giz, correntes e símbolos mágicos se desfizeram, estouraram ou sumiram com uma velocidade impressionante, assim como o trono que se desfez em chamas. Crowley a observou por um breve instante, os olhos gélidos pareciam até mais puros do que as próprias asas de Alice.

- Esse, infelizmente, não é meu corpo físico. É a minha alma materializada - Crowley falava como se não houvesse nada de diferente, apesar de ser visível o cansaço dele, não haviam parabenizações, não haviam sorrisos, não havia sentimento. Ele moveu os dedos e o pescoço de um lado para o outro como se estivesse se adaptando a algo - Meu corpo está trancado de uma forma muito pior do que minha alma, nem mesmo a minha espada é capaz de cortar os portões que o mantêem lá dentro ... O único jeito de entrar é com um anjo. Ou com as três chaves de Aegon - Ele parou de falar e saiu daquela sala, parou por um momento como se estivesse contemplando a liberdade que recém adquirira. Ergueu a mão suavemente e o cenário alterou. O príncipe respirou fundo claramente decepcionado com o que havia feito. O corredor de portas virou um corredor totalmente destruído, mas mil vezes mais iluminado. Crowley caminhou até Alice, calmamente - Isso pode vir a ser útil - E pôs a mão na cabeça da garota. Alice Crowley sentiu o poder fluir dentro de si, a energia que a permitia fazer mais coisas, o poder de seu pai que agora era seu.

- Onde está Belphegor? Vai precisar dele para abrir a porta, a não ser que tenha um anjo escondido sob sua asa - Ele a encarou por alguns segundos como se estivesse procurando alguma resposta ou algo escondido. Mas antes de conseguir sua resposta ele ergueu a cabeça como se tivesse se destraído por algo - Houve um despertar... Você o ouviu? -

Alice recebeu uma nova habilidade e item

Spoiler:

Nome: Mudança de dimensão
Descrição: -x-
Efeito: Leva Alice a três possíveis dimensões: A Dimensão Humana, a dimensão das sombras e a dimensão das ilusões.
Duração: Ativação Instantânea, dura até que a mp acabe ou que seja cancelada
Custo: 10 por turno usando

Nome: Albeiron
Descrição: ( U choose )
Efeito Especial: Pode cortar qualquer coisa, independente do que seja.
Habilidade Especial: Albeiron é capaz de devorar magia e devolvê-la em forma de meia-luas, a força do ataque depende de quanta magia consumiu. Ela consegue absorver qualquer fonte de poder.




THOMAS

Azazel riu baixinho - Profeta, é? - E se pôs em guarda - Sim, isso faz todo sentido -
O Capitão avançou contra o demônio, mas Azazel ficou lá estático e Thomas o acertou com o punho em seu peito, a energia que a manopla concedeu ao soco fez com que a armadura ambulante se projetasse alguns metros de distância, ele pousou na neve profunda quase saindo barreira á fora, ele pôs a mão no amassado em seu peito, havia caído em um joelho e se levantou mais uma vez, pronto para a luta, e dessa vez ele avançou contra Thomas.

E de repente o tempo parou. E Thomas não estava mais ali.

Maes se levantou da mesa, cansado. Estava vestindo roupas simples e carregava a espada consigo, a espada que naquela época ainda era dele, antes do general sumir misteriosamente - Estou cansado, Aerys - O grande amigo se aproximou de Maes e pôs uma mão sobre o ombro dele - Todos ficam eventualmente - ele respondeu. Maes afastou a mão de Aerys e deitou-se em sua cama - Não. Não estou cansado de lutar, estou cansado de me esforçar por décadas e cada batalha, cada resultado ser em vão, eu não vejo os demônios recuando ou diminuindo, desistindo, sabe o que eu vejo? eu vejo cada guardião que arrisca a sua vida lá fora ser eliminado sem dó, e sabe o que a vida deles valeu? nada, por que é nisso que chegamos até agora, em todos esses anos de luta. Ao grande nada - Aerys puxou uma cadeira para perto da cama do general, estava vestido com roupas simples também - O senhor não pode falar assim, foi você quem fundou tudo isso, deu-nos uma chance de revidar, nós vamos achar algo que possa ferí-los, vamos arranjar um modo de acabar com eles de vez - O cenário começou a ficar turvo e a visão se desfez.

Azazel havia voltado a falar - Estou cansado de arrancar a cabeça e os corações de vocês profetas, quantas vezes vou ter que fazer isso? Estou cansado de matá-lo Thomas, e agora, mais uma vez, como nos velhos tempos, eu te derroto -

E Thomas mais uma vez voltou ao campo de batalha, a visão havia dado um pouco de tontura a ele, mas como se visse o mundo em câmera lenta, Azazel estava prestes a acertá-lo mas o capitão sentia-se novo e todo o cenário a sua volta era lerdo demais para ele. Podia ver o floco de neve caindo, o punho metálico se aproximando e a espada. A espada que despertou em chamas brilhantes e azuis assim que pensou nela. E foi aí que notou: Nenhuma das três camadas de barreira estava mais de pé e os demônios haviam começado a entrar pela ponte, uma pequena quantidade de demônios fracos não conseguia atravessá-la. Então ele sentiu um tremor que quase o jogou ao chão, e viu o colosso que se erguia dentro da Atalaia.

Spark e Joker

Os dois não precisaram dar muitas ordens de lá de cima, estava quieto e frio. Muito frio e muito tenso, mas não deixaram de notar que a noite estava caindo, assim como as barreiras. E não demorou para que a ação chegasse aos dois também, havia por volta de trinta soldados abrigados ali esperando qualquer comando, a grande maioria segurando arcos molhados em água benta e a outra maioria lanças.

- Senhores! O inimigo está adentrando ! - Gritou um e os dois verificaram. Os demônios de força média já começavam a entrar a barreira e eram muitos - PERMISSÃO PARA ATIRAR?! - Berrou outro enquanto os inimigos se aproximavam do portão, e um outro guarda gritou - SENHORES! DO OUTRO LADO ! - E cerca de sessenta ou setenta soldados demôníacos com aura roxa se aproximaram do portão e ficaram observando-os, sem se mover mas Spark reconheceu aquela aura, a aura de Myra - PERMISSÃO PARA ATACÁ-LOS SENHOR! - Gritou um, mas os demônios não se moviam, apenas esperavam por algo, ansiosos. A muralha começou a tremer suavemente e Spark e Joker tiveram que se apoiar para não desequilibrar e cair, assim que olharam para trás viram o monstro que se erguia no centro da atalaia, o colosso absurdo. Aquele era a direção que Blake havia ido.

- Guardiões! Tem alguém vindo para cá! - Gritou outro guarda com uma voz mais afeminada e Mah'A passou sobrevoando eles em uma velocidade magnífica, as asas se moviam e ele desaparecia como um raio no meio das construções, somente para aparecer novamente e a única coisa que conseguiam ver eram as chamas verdes dançando pelo céu, então eles presenciaram uma batalha aérea entre Mah'A e um demônio vermelho que igualmente tinha asas, mas não era nem de perto tão rápido ou tão forte, a criatura segurava dois machados vermelhos e era forte o suficiente para aguentar aquela luta por algum tempo mas o resultado era óbvio. Mah'A o estraçalharia.

ASGARD

- Deixa comigo - Ele disse e em quanto Asgard corria a chave saltou pelo ar até ele como uma espécie de magia e o guardião correu livremente pela floresta, pulando uma ou outra raiz, alguns galhos ou poças, mas de alguma forma ele sabia ... Ele ouviu a criatura correndo atrás dele, o ser monstruoso abriu as asas e tentou voar mas acabou batendo contra uma árvore e teve que voltar a correr atrás de Asgard, mas o guardião era um mestre naquele campo e despistar o monstro não fora qualquer problema para ele, só havia um pequeno problema. Assim que saiu da floresta encontrou uma dúzia de demônios caminhando através do campo de neve a sua frente, eles estavam espalhados e distantes uns do outro, talvez se corresse pelo meio deles...

Todos eles se dirigiam para dentro da atalaia atravessando a ponte mas esta havia caído e muitos não conseguiam voar, então davam a volta para algum outro portão, Mah'A no entanto não estava mais lá, nem Joker. A criatura que o perseguia não saiu da floresta, provavelmente não queria revelar sua posição - Ei - Uma voz soou detrás de uma pedra, a única em que poderia se esconder para pensar naquele momento. E sem muita escolha Asgard foi até lá. - Que tal uma ajudinha? - Ele perguntou e quando observou quem era viu um garoto loiro, caido no chão. O pescoço sangrava mas ele o segurava com uma mão e o peito estava aberto em um corte profundo e nojento, mas o mais peculiar eram suas costas. Duas asas se desenhavam magnificamente delas - Meu nome... Belphegor -

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Qui Jan 07, 2016 12:32 am


Antes que tivesse sua resposta, o lugar começou a tremer e Aemy se assustou, virando para observar o corredor atrás de si. O rugido que escutou a assustou e ela se virou, buscando por Alice e proteção... Seria algum demônio? E de repente, estava no ar e, num piscar de olhos, Alsdram estava a sua frente.

Os pés afundados da neve, a sensação de estar ali a um bom tempo... Nada daquilo importou mesmo para a pequena. Aemy sentiu alivio ao ver Alsdram a sua frente e o abraçou com força, sem se importar com a neve gelada e se aproveitando do calor do leão. Respirou fundo e sentiu sua garganta dolorida pela vontade de chorar, mas dessa vez a engoliu sem permitir que seus olhos marejassem.

Aemy se afastou quando ele começou a falar e, entendendo aquilo como um elogio, ela abriu um leve sorriso tímido, feliz por ter quase completado sua missão. Agora faltava apenas entregar a esfera para Thomas. Quando lhe indicou os céus, Aemy ficou surpresa; se lembrava de tudo sempre ser nublado e avermelhado, mas não de modo tão intenso... Não se lembrava de vê-lo desde que saiu de sua vila.

O olhar dela caiu para baixo, se tornou horrorizado. Aquela quantidade absurda de demônios a assustou... Eles estavam tentando destruir aquele lugar? Alice talvez estivesse errada afinal... Isso era o que demônios eram. Talvez ela fosse diferente, mas talvez fosse a única.

-
Eu...? Mas...

Quando ele caminhou, Alice o acompanhou e ergueu um pouco o corpo para conseguir observar o que estava embaixo deles. Contraiu e mordeu o lábio inferior com a visão de todos lutando... Lutando para proteger aquela cidade. Enquanto todos arriscavam a vida deles, ela estava lá em cima, rejeitando a ideia de ter que lutar. Até mesmo Thomas, que parecia ser quase tão jovem quanto ela... Aemy era uma covarde e não a heroína que gostaria de ser.

-
Mas... Mesmo que Biki me ajude, são tantos... – e olhou para o leão, com medo e abraçou seu ursinho – Alsdram... Eu não sei se posso... Como eu vou chegar lá...? Eles vão me matar...

E olhou novamente para o horizonte, aquela onda absurda de demônios apenas aguardando sua oportunidade de entrar na cidade.

Alsdram escreveu:- Você tem um grande poder dentro de si, e pode usá-lo para se defender ou combater, até mesmo para... Voar. E é preciso que o use com mais frequência para que desperte.

- Mas aquilo não era eu... Era...?

E desviou o olhar para baixo, sem saber o que fazer. Sentia-se estranha ouvindo a voz do Leão, mas não era uma sensação tão fora do comum assim. A presença e imagem dele sempre lhe davam algum conforto. Não de um modo acolhedor, mas... Esperançoso talvez. Aemy respirou fundo e sentiu aquele cheiro agradável...

Ela fechou os olhos e mais uma vez aquela sensação estava vindo. Aquela energia, aquela força... A impressão de que era invencível e de que nada poderia pará-la. A loira abriu os olhos, agora um pouco diferentes, ainda tinha medo, mas também um pouco de determinação. Aquela cidade não precisava terminar como a sua.

Ela subiu na ameia em que Alsdram estava apoiado e olhou para baixo... Engoliu seco enquanto sentia o vento gelado. Distante, do lado oposto ao que Thomas estava, Aemy viu uma criatura gigante surgir... Sentiu o ímpeto de ir até lá, mas olhou a esfera em sua mão. Crowley disse que precisava daquilo... Para arrumar o mundo. Talvez aquilo fosse o mais importante naquele momento e, caso cumprisse sua missão, os outros estariam automaticamente salvos.

Talvez aquela pequena esfera tinha o poder de salvar a cidade e Alsdram disse que ela precisava entregá-la para Thomas.


“Não tenha medo... Não tenha medo...”

A pequena pressionou a esfera e seu ursinho contra o peito e deixou o corpo ceder para frente. O vento pareceu muito mais forte durante a queda e a pequena não teve coragem de encarar o chão, fechou os olhos com força enquanto caia. Aemy se concentrou, permitiu que a energia fluísse e vazasse por suas costas.

Abriu os olhos e suas asas de luz se abriram, batendo forte e erguendo a garota. Ela sobrevoou a área onde estava... Mesmo em meio a tudo aquilo, aquela sensação ainda era boa, como se estivesse deslizando sobre o ar. E ela voou o mais rápido possível para a área onde Thomas estava lutando contra um demônio... Ele parecia estar sangrando, talvez algum ferimento sério? Era melhor agir.

Aemy voou alto e parou acima deles, a uma distância consideravel. A mão já semi aberta, querendo acumular energia, esperando que a esfera absorvesse sua própria energia e a energia do ambiente como anteriormente. Tudo aquilo ainda parecia demais para ela controlar, mas Alsdram havia dito que ela era capaz. Se ele disse que ela tinha um grande poder e tinha que usá-lo com mais frequencia, faria isso.

Estendeu a mão livre em direção ao solo, direcionada para Azazel e a abriu por completo, tentando liberar a energia para que seu ataque fosse lançado. Esperou menos do que quando estava dentro da casa, queria que a energia fosse menos intensa do que a outra para que Thomas não acabasse atingido e se ferisse ainda mais.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Qui Jan 07, 2016 1:24 am

O soco conectou, enquanto as palavras de Azazel ainda tentava arranjar alguma clareza em sua mente. O que fazia sentido? Ele sabia alguma coisa sobre os profetas? De qualquer forma, não era a hora de fazer perguntas como aquelas. Recuou e viu seu algoz se preparar para avançar sobre si. Contudo, em um dado momento, Thomas não mais estava diante de seu algoz e sim diante de Maes e de... Aerys. Deveria se perguntar como aquilo tinha acontecido. Sua consciência lhe dizia que a armadura poderia estar conectada à essência de Maes, acabando por lhe mostrar lembranças como aquelas. Sentiu uma sensação estranha no peito. Quis lacrimejar, mas interrompeu as lágrimas rapidamente.

Ainda não tinha chegado ao ponto que Maes chegara, mas vendo aquilo se perguntava quanto tempo levaria. Se perguntava se seus esforços estavam levando seus companheiros para algum lugar ou se Thomas os estava conduzindo para a morte certa. Refletindo mais a fundo, o que era seu grupo? O atual comandante de Valliheim queria mesmo recuperar as Armas ou ele simplesmente lhes usou como bode expiatório? Não importava. Ali estavam os melhores de toda a cidade. E a missão de Thomas, pelo visto, era morrer tentando. Mas quantos mais seriam enviado se eles falhassem? Isso atormentava a mente do garoto que minutos depois, se viu encarando Azazel novamente.

As palavras do demônio despertaram o jovem capitão. Então existiram outros? Existiram outros profetas com a missão de salvar o povo humano restante e todos foram falhos? - Quer dizer que todos morreram, pelas suas mãos...? - Não entendia muito bem o que Azazel quis dizer com aquelas palavras, mas compreendeu que existiram outros antes de Thomas e Aemy e que Azazel tinha o sangue deles em suas mãos. Lembrou-se de mais e de todo esforço em vão que tinha sido colocado ao longo de anos... Thomas não podia ser mais um desses. Ele não sabia mais um desses. "Maes... Eu vou levar o seu legado adiante. Eu vou trazer as armas. Vou salvar o povo e trazer paz ao mundo, nem que eu tenha que morrer lutando." Pensou Thomas naquele momento, que mais parecia uma conversa.

Abriu os olhos e viu tudo o que não queria ver. Viu Azazel avançando para lhe tirar a vira. Viu os demônios invadindo a Atalaia. Seus soldados tinham falhado. E dentro da Atalaia um perigo maior se moldava. Como estaria Sarah? Tinha ela conseguido proteger o último selo? Não importava. Tinha que fazer uma coisa de cada vez e o primeiro obstáculo estava logo na sua frente. Darwishi rolou para o lado esquivando-se com maestria e recuperando sua espada. Seus olhos arregalados compreendiam bem o espaço ao seu redor e determinado avançou na direção de Azazel para encerrar aquele combate.

Atrás de si, sentiu crescer uma aparente luz, mas não tinha tempo de olhar para trás. O que quer que aquilo significasse, teria de esperar, porque Thomas tinha serviços inacabados e já tinha demorado demais naquela maldita ponte.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Seg Jan 11, 2016 10:47 am


Ace Number

Do you even know what magic means?





Céus, como aquilo tudo acontecia tão rapidamente? Demônios surgiam de ambos as frontes, era impossível contar todos eles, assim como não teria sentido fazê-lo. Não seria possível que aquela quantidade de soldados fosse capaz de derrubar todo aquele exercito, não seria nada incorreto dizer que todos estaríamos condenados naquela situação. Olhava para ambos os lados, ouvia os gritos dos homens, o desespero oculto em suas vozes. Pensava. O que poderia fazer naquela situação?  Teria alguma certeza de sucesso em qualquer atitude que tomasse? Conseguiria retirar uma vitória daquela situação ou me tornaria um fracasso?  Um ás falho. Teria aquela missão se resumida nisso? O que eu poderia fazer ferido e cansado naquele ponto?



Sentia o tremular da muralha, tinha de me segurar com força para não despencar abaixo. Temia ainda mais ao ver aquela criatura monstruosa surgindo a partir do centro de tudo. Realmente estaríamos condenados? Demônios voavam pelos céus e demônios caminhavam pela terra, no fim do mundo, tudo que poderia fazer era me preparar para a iminente tragédia.



- Estou indo...Creio que ele vem da direção de Blake, acho ser um problema grande demais para que ele lide com ele sozinho. E você Spark?



Diria sem realmente esperar uma resposta ou qualquer outra coisa do gênero. Tinha uma rota traçada, do alto da muralha buscaria o melhor caminho e partiria, correria por entre as pedras e destroços com a clara certeza de que pelo menos saberia onde estava a criatura que deveria atacar. Daquilo que presenciara entre demônios que voavam e os que se rastejavam, a figura grotesca e gigante que surgia de local algum era com certeza de tudo o pior. Poderia abandonar as barreiras uma vez que algo desta forma já tinha se infiltrado, não ousava insistir em dar as costas aquilo, apenas precisava chegar ao centro para pensar em algo que pudesse fazer.  


Post: 003 ~ Rename: -X- ~ Location: Atalaia

Notes: -X-  

Thanks, Lollipop @ Sugaravatars
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
68

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Spark em Seg Jan 11, 2016 11:10 pm

Como esperado de uma guerra não havia tempo algum para pensar. Gente gritando de todo lado, os inimigos avançando cada vez mais e o cheiro insuportável de sangue e fogo que os demônios deixavam pra trás. O corpo de Spark fervia como se o mesmo estivesse sendo cozido em um caldeirão, aquela quantidade exagerada de demônios o deixavam cada vez mais enfurecido, de vez em quando puxava tufos de seus pelos para não perder a sanidade, era uma luta sofrida contra seu lado animal que queria pular no meio daquela batalha e cortar quantas gargantas de demônio conseguisse.

Soldados anunciavam invasões pelos dois lados, estavam aparentemente sendo flanqueados, pediam permissão para atacar, o sátiro mais uma vez puxou um tufo de pelo de sua perna para se acalmar, olhou para os lados e conseguiu ver que de um deles vinha um pequeno exercito de demônios com uma aura diferente... sabia que já tinha visto aquela aura em algum lugar. Muitas coisas passaram por sua cabeça em lampejos rápidos, até que viu Myra usando sua magia para domar o demônio fedorento que jazia morto e então apontou para a direção da onde os demônios imbuídos com aquela aura vinham e gritou:

- AQUELES! AQUELES! AQUELES! NÃO... NÃO ATAQUEM AQUELES, MATEM TODOS OS OUTROS MENOS AQUELES!

Gargalhadas de nervosismo escapavam de vez em quando, pensamentos indevidos e o desejo de se entregar a besta que tinha dentro de si vinham com mais frequência a cada vez que ouvia uma voz. Ao longe pode ver uma criatura gigantesca surgir, sabia que no lugar onde aquele monstro estava provavelmente havia algum de seus companheiros. Pode ouvir falar alguma coisa, mas sua mente estava muito cheia a única coisa que ouvira de seu companheiro fora seu nome em um tom interrogativo. O bode simplesmente se virou para o mago e silvou para ele, seu pelo ficou ouriçado e suas presas totalmente a mostra, por pouco não pulou no pescoço do mesmo e o degolou, mas recobrou a consciência segundos depois e disse:

- Não se aproxime de Spark... Vá para outro lugar mago... Spark vai comandar esses homens de um lugar que ele não possa machuca-los.

Dessa vez a lucidez havia voltado com força, conseguiu perceber que se ficasse no meio de todo mundo poderia acabar atacando alguém que se aproximasse de forma brusca, então ele simplesmente se afastou do grupo e procurou por um lugar próximo e alto, que o separasse dos soldados o deixando em destaque para dar suas ordens.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
22

Data de inscrição :
07/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Seg Jan 11, 2016 11:39 pm

Antes que pudesse entregar sua pena marcada para a menina fora surpreendida, uma onde de energia seguida de um rugido estrondoso fizeram as coisas ficaram malucas, a onda de choque fez Aemy levantar voo, Alice tentou segurar o filhote de humano, mas sua mão não a alcançou e então a menininha sumiu no vento como se houvesse sido abduzida. Certamente procuraria pela garota depois, para explicar-lhe tudo que estava acontecendo e talvez fazer dela sua protegida, mas agora tinha outras coisas para serem resolvidas.

Golpeava brutalmente o portão que estava a sua frente, a lamina de seu pai simplesmente despedaçava o poderoso metal e devorava a magia imbuída nele: “Como fazer buracos em uma folha de papel” Pensou consigo mesma. Assim que acabou de destruir a porta adentrou o local, pode ouvir as gárgulas se moverem e logo depois se despedaçarem, provavelmente efeito da magia que Albeiron acabara de desfazer.

- Finalmente -

E então ouviu aquela voz que sentia tanta falta, estava perto, faltava pouco. Alice andou com passos largos na direção da onde ouvira a voz de seu pai a muito desaparecido. E então lá, o viu, sentando em seu velho trono, estava totalmente diferente de como se lembrava, era quase que decadente, mas a leal filha da mesma forma se ajoelhou perante a seu pai.

Antes que pudesse fazer ou dizer alguma coisa o pai que a tanto procurava se desfez de todas as suas amarras e de seu trono e começou a falar
- Esse, infelizmente, não é meu corpo físico. É a minha alma materializada -

E então tudo fez sentido, aqueles olhos azuis, aqueles cabelos em uma tonalidade loira pálida, essa era a verdadeira aparência de seu pai, os traços que ele havia herdado de Lúcifer. Alice mesmo não apreciando aquela aparência tão... angelical soube aceitar a “beleza” de seu pai de certa forma. Ele continuou a falar e Alice continuo a ouvir, estava tudo bem, até que o mesmo citou que precisava de um anjo para libertar seu corpo, foi como se uma mão agarrasse o coração da menina e o apertasse com toda a força. Lembrou-se na hora de Aemy e seu ursinho, não tinha certeza, mas havia algo muito semelhante a Belphegor naquele urso... Belphegor, havia de ser ele, não iria entregar Aemy para seu pai.

- Me desculpe meu pai, mas deixei Belphegor lidar com Mah’A para que eu pudesse vir lhe resgatar... – Alice olhou para o chão, sabia que seu pai não iria gostar de ouvir aquilo. – Mas se me der permissão eu correrei até ele e o resgatarei, mesmo que tiver de dar minha vida para isso! Tenho certeza que aquele caído ardiloso ainda esta vivo!

Caso seu pai lhe concedesse permissão Alice voltaria o mais rápido possível até o local aonde houvera deixado Belphegor, mas dessa vez tentando defender-se dos humanos, o encontro com Aemy havia feito com que garota mudasse de ideia sobre matar todos que se porem em seu caminho.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Ter Jan 12, 2016 12:30 am

Havia alcançado a torre, podia ver tudo e todos, até mesmo o ser gigante que tomava forma no centro da atalaia, nunca havia visto um demônio tão grande. Um arrepio percorreu meu corpo, deixando minhas pernas fracas, eu tive medo, mas não podia simplesmente ficar ali, ainda mais que uma torre com certeza seria alvo do demônio, mas o mais importante, precisava avisar o capitão dos planos da tal Alice. Comecei a me teleportar em direção ao grupo, quanto mais perto chegava, mais cautelosa tinha de ser, pensei em usar os demônios como uma espécie de barreira, e bastou apenas pensar, que os demônios se aproximaram fazendo uma barreira à minha volta.

- CAPITÃO! SÃO DOIS EXERCITOS – Gritei em plenos pulmões para que até mesmo Thomas sob o calor da batalha pudesse ouvir. – UM EXERCITO É COMANDADO POR MAH’A E OUTRO POR ALGUEM CHAMADO ALICE CROWLEY! ESSE SER AZUL QUE VOCÊ ESTÁ BATALHANDO CONTRA É UM DOS CAPITÃES DO EXERCITO DE CROWLEY ELES VIERAM PARA DESTRUIR MAH’A E LIBERTAR SEU LIDER!. – Peguei fôlego e me pus novamente a gritar. – EU SUGIRO DEIXARMOS NOSSO INIMIGOS COMBATER-SEM UNS COM OS OUTROS PARA QUE DEPOIS POSSAMOS DERROTA-LOS QUANDO ESTIVEREM TODOS CANSADOS DE LUTAR!

Assim que terminei de dizer o que tinha de dizer, me abaixei no meio dos demônios e fiquei observando a luta pelos vãos de seus corpos, havia um pouco mais da metade de demônios ainda sobre meu controle, os que antes seguravam Alastor, agora estavam indo em direção ao centro para ajudar quem quer que estivesse lá.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
52

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Ter Jan 12, 2016 11:37 pm

- ahahahaha, achou mesmo que consegue na minha área? - Dizia fazendo malabarismo aéreo para me gabar que ele não conseguiria chegar ao menos perto de mim. Enquanto continuava, minha cabeça já não estava com os mesmo pensamentos, já que muita coisa estava ocorrendo, pensava em algumas coisas mais escondidas de Loki para que ele não pudesse opinar.

- Que maravilha... - A visão do caos e discórdia não era muito agradável e muito menos do exército de demônios logo a frente indo em direção a atalaia, os pensamentos escondidos de Loki ficava ainda mais agradáveis, já que o cansaço de tudo aquilo ia aumentando a cada instante, mas ainda não era o suficiente para dizer e tomar uma atitude contraria. Quando pensei em correr entre os demônios, algo me chamou.

- Belphegor seria um deus Loki? Sabes que não sou um devoto dessas religiões ao qual meus aliados estão presos.

Aquela criatura estava em estado deplorável, mas sua força era de forma de se admirar. Se não fosse um deus, um mago poderoso para poder criar tais asas e poder se manter vivo durante todo esse tempo. Me aproximei mais um pouco para poder analisar melhor sua situação e ver se poderia fazer algo em seu corpo. Talvez minha ajuda não fosse muito, mas era o que ele tinha no momento.

- O que posso te ajudar rapaz? - Precisava saber o que ele tinha a me oferecer antes de tomar qualquer atitude. Mesmo com todo o discernimento que tive mentalmente, alguns deuses são como demônios, castigando de forma injusta e brutal,se ele fosse um desses, tinha que ter certeza que estaria fazendo o que é certo.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Qui Jan 14, 2016 7:46 pm

ALICE

Crowley ouviu as palavras e moveu a cabeça na direção da garota, ela não podia ver mas sabia que os olhos estavam caídos sobre ela - Ah. É uma pena - O príncipe do inferno deu alguns passos por ali, pensativo - Não, mande algum de seus comandantes, posso sentir a presen... - Ele parou de falar repentinamente e o subsolo começou a tremer, as paredes vacilaram e o chão quase os jogou ao chão - Acho que irritamos o pequeno Mephisto - Ele respirou fundo - Vá - Ele disse e o cenário alterou mais uma vez, Alice estava no topo de uma casa, não era tão alto quanto poderia ser mas já conseguia ver o caminho de volta, grande parte das estruturas da Atalaia se ligava através dos telhados com pontes e coisas do tipo. Alice ouviu o som da voz de seu pai ecoando em sua mente, olhando em volta ela notaria que ele não estava mais lá - Traga-me o anjo... E mate Mephisto, ou quebre o último selo. Eu cuidarei de meu irmão - Alice sentiu a presença do selo vindo da construção central da Atalaia, uma torre absurdamente grande com uma flâmula ostentando o símbolo dos guardiões.

Alice sentiu também a presença de Belphegor se esvaindo mas o rastro de energia angelical era inconfudível, Alberion podia farejá-lo ali de cima até uma pedra, distante. A energia que ele expleria era forte, mas havia mais uma. E alice reconheceu como a energia do guardião que tinha duas almas em um só corpo, ele estava do lado de Belphegor. Entre Alice e Belphegor havia uma grande distância, um campo de neve e uma centena de demônios, alguns ainda lutavam entre si mas a grande maioria pertencia a Alice. Antes que pudesse tomar caminho a garota viu um leão parado alguns metros dali em seu caminho, ele estava sentado a observando, mas ele não era simplesmente um leão qualquer, ele emanava poder, muito poder. E por um momento Alice sentiu o vibrar de sua lâmina, a excitação. O animal então se pôs de pé (quatro) e rugiu, a rajada de energia que emanou fora tão poderosa que Alice sentiu a ardência em sua bochecha direita e o sangue escorrer de um corte minúsculo e fino. Ela sabia que aquilo era um desafio.




PARTE 1 - AEMY ( Thomas e Aemy )

Aemy deixou-se cair da torre, os cabelos longos e amarelos rodopiaram atrás de si assim como o vestido, o vento gélido que parecia ser capaz de cortar correndo através de seu corpo e então a sensação de energia se encaixando em seu corpo suavemente, eletrizando cada músculo e osso. E então as asas de luz se projetaram drasticamente, as costas doeram por um único segundo antes da sensação maravilhosa de liberdade, o poder de correr pelos céus. O controle inicialmente fora dificil mas ela entendeu que a energia agia conforme sua vontade e isso fez com que a facilidade para voar fosse adquirida rapidamente.

Ela se aproximou da área onde Thomas estava e a mão se abriu, deixou que a energia fluísse. E o canhão que era sua mão despertou numa velocidade inesperada, ela havia perdido o controle com tanta energia em seu corpo. A rajada de energia brilhosa saiu de sua palma da mão e como uma flecha em uma velocidade absurda ela acertou a ponte, Thomas, o guerreiro inimigo e os demônios ali. Então o mundo escureceu, e a última coisa que viu fora o céu vermelho acima de si, se afastando em quanto ela caia para o abismo. Aemy perdeu a consciência.



PARTE 2 - THOMAS ( Aemy e Thomas )

Thomas sentiu a ardência em seu corpo, a pele quase que em chamas, a dor que penetrava até os ossos. Era como se tivesse perdido a consciência por alguns segundos e retornado com o corpo no próprio inferno. A visão tinha sido cegada mas agora voltava ao normal, ainda estava ajoelhado ainda no meio da ponte, com a espada em mãos, a armadura que vestia estava intacta, na verdade, ele estava em perfeito estado. Não existia qualquer arranhão ou queimadura em seu corpo mas ele sentia como se fosse explodir a qualquer momento, como se o próprio corpo fosse a lâmina pronta para irromper em chamas.


Azazel estava ali também, ajoelhado. Mas a armadura flutuante que ele era agora estava em pedaços, rachada ou partida, algumas partes metálicas se encontravam no chão em quanto ele gemia a dor, não havia mais qualquer chama emanando dele. Azazel se pôs em pé e recuou dois passos antes de cair para trás e afundar na neve, então começou a se arrastar - Sim, eu matei todos aqueles que vieram antes de você, e vou te matar também seu maldito moleque metido, você não vai durar mais do que a vadia da sua mãe - Ele tossiu e continuou se afastando, ainda no chão. Thomas notou que não havia mais qualquer demônio tentando invadir por ali, todos eles haviam se tornado cinzas. E o grande mar de cinzas em meio a neve se levantou e começou a flutuar, subindo cada vez mais na direção do céu, e desaparecendo em pequenas luzes brancas. Thomas havia segurado o portão. Mas a batalha ainda não havia acabado, ele viu o ser roxo com asas de carne descendo o céu e pousando suavemente sobre a neve, com Aemy em seu colo.




PARTE 3 - AEMY ( Thomas e Aemy )

Aemy despertou com o som da risada profunda e maligna. Estava no colo dele, os braços fortes e anormalmente roxos que a seguravam pertenciam a um demônio. E ela sabia disso mas simplesmente não conseguia se mover ali, a criatura que a segurava tinha duas asas enormes em suas costas e dois chifres que mais pareciam rasgar sua testa para sair de lá, além das tatuagens rúnicas, verde e brilhantes que estavam desenhadas em seu peito.

Ela sentiu o temor e o desespero, a adrenalina e a cabeça começou a doer. Então ela ouviu a voz - Deixe comigo - E adormeceu nos braços do demônio. Quando Castiel abriu os olhos a alma se adaptou ao corpo, mais uma vez. O controle sobre cada nervo e músculo se tornou absoluto e de repente ele sabia que a garotinha estava dormindo, e agora ele estava no controle total, foi quando aproveitou o tempo para observar o local.  A ponte em que estava era grande e larga o suficiente para batalhar, Thomas, ( o outro profeta ) estava ali com a espada em mão de frente para Mah'A que segurava seu novo corpo. E Ainda não havia acabado. Uma energia demôníaca e semelhante a de Mah'A nasceu ali, ao lado direito de Thomas uma fenda se abriu no ar, como se a existência fosse um tecido sendo rasgado e algo atravessava ele. Crowley saltou para fora do portal e pousou na neve com descuido e sem a graça que normalmente apresentava.





PARTE 4 - THOMAS ( Aemy e Thomas )

A mão do príncipe do inferno pousou sobre o ombro metalizado da armadura de Thomas, pronto para um movimento fácil de retirada caso fosse ameaçado, ele ostentava um sorriso no rosto que não haviam visto antes, mas não era tão belo quanto podia ser. A aparência não era nada com o que se lembrava dele, o homem não era mais alto e imponente como antes, agora era apenas alto e aparentemente frágil, os cabelos negros haviam se tornado brancos quase prateados, brilhavam na luz.

Os olhos sanguinários haviam se tornado dois profundos poços gélidos que na luz se tornavam azuis brilhantes como pedras safiras, mas não havia nada de belos neles e por algum motivo Thomas não conseguia encará-los por muito tempo. A pele agora era pálida como a de um cadáver e as monstruosas asas que davam a ele o ar de majestade agora pareciam duas pequenas coisas feias atrofiadas que viraram apenas osso. Estava magro e as roupas prateadas que vestia faziam ele parecer um fantasma parado ali, mas apesar de todas as diferenças ele agora parecia puro, e de certa forma esbanjava uma beleza diferente. Algo encantador.

- Vejo que você e meu irmão se conhecem, pequeno profeta - Ele pôs a mão dentro da camisa e tirou uma lâmina de lá de dentro, feita de luz - Solte a garota Mah'A - Ele disse, a voz calma e séria. Mah'A riu como se tivesse houvido uma piada - Agora você se importa com mortais? me diga, irmão, onde está sua casca agora? - E voltou a rir - Não imaginei que fosse realmente um traidor - Crowley apenas se limitou a por o sorriso leve em seu rosto novamente. Então Thomas ouviu as palavras ecoarem em sua mente " sugiro que corra para viver outro dia, a garota não tem mais salvação, vá agora e eu lidarei com ele " Se procurasse Azazel Thomas notaria que ele havia sumido de vista.




SPARK E MYRA

Gritar ali parecia inútil, as palavras eram cortadas pelo grande barulho da guerra e da distância que estava o som nunca iria alcançar o capitão. Myra desmaterializou e materializou, os demônios obdeceram suas ordens e se puseram em barreira à sua volta, o que tornou o avanço mais lento, afinal, eles tinha que alcançá-la, era um vulto vermelho no meio de uma grande vermelhidão. Assim que chegou aos portões lá estavam seus setenta demônios, parados. Eles não podiam avançar já que o portão estava fechado mas Myra conseguiu subir na muralha através de seu teleporte.

Quando chegou lá encontrou os guardas que a olhavam assustados, alguns até mesmo ergueram os arcos na direção da guardiã por conta de seus olhos, outros se limitaram a olhar para ela feio ou se afastarem. Viu também Spark ali. O Bode roxo estava nervoso, irritado na verdade. A situação era uma nunca enfrentada antes por qualquer guardião ali e jurava que tinha visto um deles chorar no cantinho, quando viu Myra ali parada próxima a ele ele sentiu um arrepio correr por todo o corpo. Os demônios não passariam caso ele não abrisse o portão, e as flechas estavam apontadas para Myra prontas para serem soltas a qualquer momento.

Lá de cima Myra conseguia ver a batalha na ponte, Thomas e Aemy estavam lá, mas o pior era os outros dois. Dois demônios que emanavam uma energia... Familiar? Era como se já tivesse se encontrado com eles, era como se a aura dos três ressoasse em perfeita sincronia. Myra sentiu a agonia e a dor de cabeça, a vontade de estar lá. E talvez realmente precisasse, então o corpo se teleportou automaticamente.




Thomas, Aemy e Myra

O vácuo roxo se deslocou até o lado de Thomas e o explicou a situação.

Spoiler:
" - CAPITÃO! SÃO DOIS EXERCITOS – Gritei em plenos pulmões para que até mesmo Thomas sob o calor da batalha pudesse ouvir. – UM EXERCITO É COMANDADO POR MAH’A E OUTRO POR ALGUEM CHAMADO ALICE CROWLEY! ESSE SER AZUL QUE VOCÊ ESTÁ BATALHANDO CONTRA É UM DOS CAPITÃES DO EXERCITO DE CROWLEY ELES VIERAM PARA DESTRUIR MAH’A E LIBERTAR SEU LIDER!. – Peguei fôlego e me pus novamente a gritar. – EU SUGIRO DEIXARMOS NOSSO INIMIGOS COMBATER-SEM UNS COM OS OUTROS PARA QUE DEPOIS POSSAMOS DERROTA-LOS QUANDO ESTIVEREM TODOS CANSADOS DE LUTAR! "

Myra assim que terminou de explicar sentiu a energia ressoante de Crowley, era quase como se fossem um, o príncipe do inferno a encarou por alguns instantes - O que... - Ele interrompeu a frase em um gesto pensativo, e sorriu mais forte ainda, então voltou a atenção a Mah'A. A criatura roxa e forte que segurava Aemy nos braços, assim como Crowley emanava uma energia extremamente familiar, mas mil vezes mais ameaçadora. Era quase como se a presença dele a jogasse para baixo e a colocasse em posição de defesa - O que é isso? - Indagou Mah'A - Essa garota é... - Crowley o interrompeu - Talvez, não importa agora - Castiel/Aemy conseguia ver a mesma aura em Crowley, Mah'A e Myra com diferenças de poder apenas, além da energia santa que emanava de Thomas como uma arma, pronta para se explodir.




SPARK

Assim que Myra deixou o local tudo voltou ao normal, mas os demônios dela ainda estavam parados ali do outro lado - SENHOR! DEVEMOS ABRIR? - Gritou um guardião qualquer próximo a roda metálica que puxava o portão para cima. Spark encontrou rapidamente um tipo de elevação na muralha que levava a uma torre alta o suficiente para se manter longe dos outros mas perto o suficiente para que pudesse comandar, encontrou lá baús cheios de armamentos de todos os tipos, espadas, lanças, flechas e até mesmo granadas de água benta. Mas havia algo pior do que isso lá. Spark viu um demônio caído no chão, provavelmente escondido ali mas ele não era qualquer um, era um ser que mais parecia um humano do que um demônio. - Eu ... Alastor - Ele tentou dizer - Ordeno que... se... afaste - Ele cuspiu sangue, uma das asas estava cortada ao meio e estava sem uma perna, o sangue dele se espalhava pelo chão e pelas paredes de forma absurda. Alastor tentou alcançar o machado próximo a si e conseguiu, mas estava incapaz de levantá-lo ou até mesmo jogá-lo - AFASTE! - Berrou

ASGARD

- Não, está longe disso - Disse Loki em sua mente - É um anjo, ou era - Belphegor abriu um sorriso como se tivesse ouvido o que ele tinha falado - Eu posso te colocar na Atalaia, é isso que deseja não é? - O sangue escorreu pelos dedos como se falar fosse um esforço - Eu posso sentir em ti uma energia divina - Ele respirou um pouco - É uma espada não é? Me atravesse com ela, irá me curar - Belphegor entretanto não era nada como um anjo supostamente deveria ser, ele se vestia com roupas de um lorde e usava uma pequena coroa de prata em sua cabeça - Faça isso e estaremos em divida - Assim que Belphegor terminou de falar Asgard conseguiu ver a criatura se erguer na Atalaia, um demônio enorme de quatro braços, ele sentia o chão tremer até mesmo daquela distância - Acho que seus amigos precisam de uma ajuda não? - Disse Loki em sua cabeça.




PARTE 2 ( Asgard/Loki)
E repentinamente Asgard não estava mais lá. O cenário em que se encontrava era composto apenas por um chão cinzento e lizo, o céu era inexistente, não existia sol, lua ou estrelas era apenas o grande cinza que se espalhava para todos os lados infinitamente, e olhando para cima o guardião caiu de costas, não existia chão, ou melhor, não existia gravidade. Não existiam leis, era como estar em um fundo de imagem, sem qualquer apoio mas sem qualquer queda. Então um bloco se moveu deslocando-se da matéria para fora, e em cima dele Loki se materializou, meditando.- Olá denovo - Ele estava diferente, dessa vez vestia uma armadura com um elmo que mais parecia uma máscara, cobrindo todo seu rosto, dois chifres metálicos se projetavam acima da orelha.

[desenho]

- Que lugar é esse? Essa é sua cabeça - E então o fundo cinzento e infinito começou a tomar forma, o cenário se desenhou como a visão que Asgard via no mundo real - Você está separado em dois agora, sua mente e seu corpo, é incrível como consegue manter controle sobre os dois ao mesmo tempo - O bloco flutuante em que Loki se mantia se moveu pelo local com liberdade - Agora é a nossa cabeça, não é mesmo? - Ele riu - Conte-me, o que o traz aqui? -




BLAKE E JOKER

Joker era ágil, passar por entre as casas quebradas e destroços facilitou o caminho e ele ganhou território muito rapidamente, vez ou outra sentia o chão abaixo de si tremer ou as paredes ameaçavam cair sobre ele mas não caíram. O que restou da Atalaia naquela parte era simplesmente irreconhecível, as casas partidas ao meio, pisoteadas e levadas ao chão em segundos, torres que caiam com uma facilidade surpreendente. Era assustador, nunca na vida nenhum Guardião havia lutado contra um demônio daquele tamanho. Assim que alcançou o local Joker se encontrou em cima de um telhado do que restava de uma casa.

A criatura gigante soltou um urro, e um dos quatro braços se chocou contra uma torre ali próxima, a estrutura veio a chão em questão de segundos se partindo e caindo em cima de Blake. Ele sumiu em baixo dos escombros - Acha que consegue derrubar aquilo? - A voz que mais parecia um sussuro veio do lado de Joker e ele reconheceu o demônio de Myra, Turechi ali, o mesmo que havia dado o colar a ele - Se ele derrubar aquela torre, vocês não terão salvação - E ele apontou para a maior torre da Atalaia, ostentando o símbolo glorioso dos guardiões. Era a estrutura central do local - Não deixe que ele chegue lá -

Blake acordou em meio a escuridão dos escombros, não estava seriamente ferido mas uma centena de pedras estava sobre ele, ele viu os feixes de luz escapando entre os escombros e notou que algo estava as movendo de cima de si, quando a maior parte delas fora empurrada ele viu Aerys ali com uma mão no peito tentando estancar o sangramento em quanto a outra mão empurrava os escombros de cima de Blake - Vamos lá garoto, o grandalhão ali atrás não vai cair sozinho - A voz arrastada mostrava o quão sério era o ferimento, mas ainda sim, ele estava de pé.

A Fusão gigantesca de Mephisto e seu Guarda caminhou na direção da torre, ignorando a existência de Blake e Joker, pronto para derrubá-la.




Prazo: 22/1

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Frist em Qua Jan 20, 2016 1:16 am


Uma coisa é certa, Blake não se cansava de se surpreender com os poderes demoníacos mesmo estando tonto por levar tantos socos, não perdeu de observar aquela cena bizarra, carne, energia, trevas, e um demônio imenso surgindo - Puta merda... - ele mesmo nem percebia o que falava ao se impressionar com o tamanho daquela fera, o furor de seu poder mal o enlouquecia em um momento daqueles e a ultima coisa que viu foi o golpe daquele imensa besta contra uma torre, destruiu como se fosse um castelo de cartas e Blake... bem Blake não passava de um inseto no lugar errado e foi soterrado.

Ao recobrar a consciência, Via escuridão? estaria ele em transe novamente? Havia cedido a loucura e tentação de poder onde fica em um pesadelo desperto até que volte a si? Felizmente não, ou infelizmente?Os raios de luz que passavam pelas brechas de escombros o traziam a realidade, teria de sair dali, mas como, mal sabia o quanto havia acima de si e nem onde estaria aquele demônio colossal. Mas sentiu o movimento sobre ele, a poeira que caía incomodava seu rosto, tossia por debaixo daquilo tudo, a sensação de não conseguir se mover era desagradável e torturante, mas logo o ultimo escombro se movia e uma figura conhecida o trazia uma sensação de alívio. - Vamos lá garoto, o grandalhão ali atrás não vai cair sozinho - Disia Aerys com muita dificuldade, seu ferimento sangrava bastante, mas ainda assim ele se mantinha de pé, estava na hora de parar de bancar o garoto, Blake se levantava de semblante fechado e pousava a mão sobre o ombro do companheiro - Obrigado e me desculpe! Está na hora de mostrar para ele a verdadeira besta,vá se cuidar não deixarei que esse gordo se diverta por aí sem levar umas palmadas! - O demônio os ignorava e seguia pela atalaia, quer dizer que agora não passavam de insetos para o desgraçado?! A como desejava um cigarro, mas esse seria seu troféu depois de transformar aquilo de volta a uma pilha de carne sem vida. A primeira coisa que Blake fez foi procurar pela foice, ele ainda não havia devolvido o favor e não era do tipo que fica com débitos inacabados, tomaria a arma em suas mãos e cerraria forte o punho direito, com a lâmina da foice ele cortaria um pouco sua própria bochecha, deixando um fio de sangue escorrer pela lâmina.

- Beba meu sangue, sinta o poder que correr dentro de mim, sinta o quanto minha alma está queimando!! Seja meu instrumento de destruição e corte tudo que ficar em meu caminho, a carne de meus inimigos será seu banquete e suas almas o meu tributo, agora vamos mostrar que não é preciso uma arma de anjo para trazer essa montanha a baixo! -

A imagem da criatura estava espelhada nos olhos dele, seu furor crescia dentro dele e noção de dever o grudava ao chão, era um trabalho que tinha de fazer e não poderia morrer antes de completá-lo, antes suas costas velhas e largas carregando o peso da humanidade do que os dos jovens de seu grupo, se abaixava apoiando a mão esquerda ao chão de punho fechado, os joelhos bem dobrados e seu tronco inclinado para frente, a mão direita brandindo a foice elevado a arma a seu lado, suas sobrancelhas franzidas e olhos fixados, seu alvo a junta da perna do monstro, ele iria cair, Blake iria fazer isso e liberando todo seu poder agora de uma vez, iria pará-lo. - AAAAAAAAAAAAAAAAAAARGH! - Seu corpo queimava enquanto emanava energia a seu redor, já não sabia direito oque era, quem era, mas sabia oque tinha de fazer, sabia quem tinha de trucidar, sentia o calor de sua alma envolta em seu poder, sentia nada e tudo, estava cego e ao mesmo tempo tudo estava tão claro, estava... livre.

Blake partiria com toda a força e velocidade na direção da perna do demônio, sentia a quão apertado brandia sua arma, agora com ambas mãos a seu lado e o vento que batia contra ele, ao se aproximar da criatura se atiraria ao ar com todo o impulso que conseguiu, urrando e sedento  brandiria sua enorme arma em pleno ar em um golpe de meia lua com toda a força contra a junta da parte de trás do joelho do demônio, usando toda a força que possuía não pararia de forçar até transpassar tudo no caminho do corte. Depois do golpe continuaria o caminho no ar até voltar ao chão pela gravidade, onde cairia e já se giraria arrastando um dos pés enquanto o outro segurava seu corpo e se voltaria de frente para o inimigo novamente, em seu rosto uma expressão que o próprio Blake talvez nem veria um dia, um sorriso maior que um rosto humano pode suportar, olhos ferozes nada condizentes com esse sorriso, ele encheu os pulmões e nem sabia o por que até o grito sair de seu corpo - RRAAAAAAAAAAAARGH... HAHAHAHAHAAAAAAA! - Se tornando uma risada naquela voz poli sônica nada humana e perturbadora, ali Blake percebeu que já não era mais ele, e ao mesmo tempo sabia que estava sendo sincero ao gostar daquilo.

avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
29

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Qua Jan 20, 2016 11:58 pm

Inspirar. Expirar. Inspirar... Expirar. Era o que Thomas conseguia fazer depois de perceber que ainda estava vivo e intacto, contudo, com a sensação de que poderia explodir a qualquer momento. A situação, porém, não parar de avançar rápido demais para que ele pudesse assimilar realmente o que estava acontecendo. Existiam dois Príncipes Infernais ao seu lado e a garota que tinha salvo a sua vida estava em poder de um deles. Como aquilo podia ter chegado naquele ponto? Seus olhos se perderam por um momento. Tentaram achar Azazel, mas ele não estava mais ali... Covarde.

Mas afinal, o que Azazel queria dizer mencionando sua mãe? Ela também era uma profeta? Então eles sempre tinham sido enviados para tentar recuperar as armas? Maes também era um profeta? Seu corpo ainda pulsava. Parecia querer explodir. E todas as perguntas chegando em sua mente de forma enevoada não o ajudavam a se concentrar. Mas existia mais uma voz ali. A de Crowley. Deveria deixar tudo com ele? Simplesmente se resignar a fazer o seu papel e recuar? Thomas pela primeira vez se sentiu desnorteado e sem opções... Não era só o corpo de Thomas que queria explodir. Sua mente estava um completo caos... Até que Myra o livrou de seu fardo.

Ao ser informado, Thomas compreendeu o que acontecia. Darwishi respirou fundo uma única vez e soltou o ar com calma, como se não existisse ninguém ali. Apenas ele na imensidão que aquele abismo transmitia. Moveu o ombro retirando a mão de Crowley dali e envolveu a espada cuidadosamente com os dedos, como se estivesse se preparando para a batalha. Aos poucos, se passos lentos o levavam na direção de Ma’Ha. “Deus... Nada sou senão apenas mais uma peça da Tua imensa criação. Existo porque Tu queres. Durante todo esse tempo, Te servi como pude sem nada pedir... Mas hoje, te peço apenas uma coisa: Permita que eu seja a Tua espada, que livra o mundo da destruição. Permita que vivam os meus e morram teus inimigos. Permita, Senhor que a tua cólera se manifeste e que eu traga ela sobre aqueles que não seguem teus caminhos...” – Pensava enquanto andava com olhos fixos na direção de Ma’Ha.

Até que por fim ele falou. Com voz calma. Inebriado pela raiva que tinha da raça que se prostrava na sua frente. – Vocês nunca deveriam ter saído do local pútrido de onde vieram. E é meu dever enviá-los de volta. – E subitamente, avançou contra Ma’Ha. Tentaria inutilizar uma de suas asas. Primeiramente teria de mantê-lo na ponte se quisesse ter alguma chance.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum