Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Página 1 de 5 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Dom Out 25, 2015 7:45 pm

- Acordem – A voz chamou, mas não sabiam quem era.

Eles despertaram. E pareceram estar quase um ano inteiro adormecidos, as cabeças e corpos doíam mas não sentiam o cansaço afetá-los, talvez pelo efeito das chamas e a adrenalina que corria nos corpos e sangue dos guardiões das sombras. O fogo havia apagado mas ainda tinham os poderes. Thomas fora o primeiro a despertar, ele estava debaixo de uma pedra, a metade do corpo para baixo havia sido completamente esmagada, ele simplesmente não sentia qualquer parte de lá, e tentar se arrastar dali seria pedir para morrer, ele sabia disso. Quase minutos depois Joker acordou, estava ao lado de Thomas sob os escombros, mas o manto havia o protegido e não sofreu qualquer dano, a espada no entanto, havia se partido. Ele viu Shin desmaiado no chão, assim como todos os outros peões de Aegon, caídos. Alexander em particular, tinha tido sua cabeça esmagada por uma das pedras.

Spark acordou com apenas uma leve dor de cabeça, e um escudo de energia dourado em volta de si, que aparentemente havia o protegido, e ele sabia que aquilo era energia da máscara, que agora não estava mais no seu rosto mas sim em sua mão. Asgard retomou a consciência do corpo. Loki havia assumido em quanto ele estava desmaiado, e ele sabia disso pela sensação agoniante que ficava depois de retomar seu corpo, mas aparentemente o deus não havia conseguido se mover, apenas estava sentado lá, Asgard por outro lado conseguia perfeitamente, apenas sentia a dor da queda, havia caído exatamente em cima do que restou do elevador de metal que trouxe os outros guardiões para cima.

Myra sentiu a dor absurda que ultrapassava sua barriga, havia uma das barras da estrutura que atravessava ela, como havia sobrevivido era um mistério, mas ela sentia seu sangue ferver através de seu corpo, não precisaria de muito esforço para tirar aquilo de sua barriga, com certeza iria sobreviver. Foi aí que ela finalmente fora afetada pelo chamado do leão. A chama vermelha queimou pelo seu corpo e a barra simplesmente sumiu, Myra se levantou e caiu de joelhos. Ela agora não via mais através de seus olhos, via através dos de algo... Alguém.

O homem caminhava através de seu exército de criaturas demoníacas – CRIATURAS! EU, MAH’A, PRÍNCIPE DO INFERNO OS GUIAREI ATRAVÉS DA VITÓRIA CONTRA OS HUMANOS E A TRAIDORA ALICE! AQUELE QUE TRAZER ESSA VADIA A MIM SERÁ COROADO UM LORDE, E NOVO DONO DESSA MERDA QUE ELES CHAMAM DE ATALAIA! – Ele parou de berrar, ergueu o machado e os demônios inimigos responderam com berros e urros. Estes que puderam ser escutados pelos próprios ouvidos de Myra... Eles não estavam longe. Não, eles estavam exatamente do outro lado da Atalaia, e as tropas estavam a cercando.

Um rugido a trouxe de volta para a realidade. Sangue saia pelos olhos de Myra mas a ferida em sua barriga havia se fechado totalmente. Alsdram deu passos alguns passos a frente e se abaixou para por a pequena garota loira que carregava nas costas ao chão. – Use seu poder para curá-los, Aemy – Ele esperou em quanto ela os preparava. Aemy notou que aquelas pessoas ali eram as que tinha visto no quadro quando estava na floresta. Thomas notou na distância, mais alguém caído.

Aegon estava lá deitado no chão, sem qualquer ferimento mas aparentemente esgotado, ele se levantou com muito esforço e começou a cambalear para o lado de fora do que restava da torre. Todo o local havia desabado em volta deles e caído em pedaço, não havia qualquer sinal de que aquilo já havia sido um dia, e podiam ver o exército demoníaco tentando chegar a atalaia, mas algum tipo de mecanismo havia sido ativado em quanto dormiam, a atalaia estava envolta num abismo com somente uma ponte para sair de lá, a ponte pela qual tinham entrado anteriormente.
Alsdram se levantou em duas pernas e começou a falar, naquele momento notaram o quão grande ele era – Existe uma cúpula de energia que protege a atalaia, mas ela é segurada por quatro selos, um deles está com a tenente Sarah, são três joias azuis. As outras três estão localizadas nas três pontas da frente da Atalaia, não temos tempo para descansar, a filha de Crowley ataca a atalaia com força, e talvez não sobrevivamos se continuarmos aqui e deixarmos o véu de proteção cair... – O leão parou na frente de Thomas – Levante-se, recupere suas pernas e tome controle da Atalaia, como prometeu que faria. Guie-os para a guerra, assim como te meu mestre Maes te preparou, vá e destrua cada um daqueles demônios... Faça-os se arrependerem.




ALICE

Alice tinha seiscentos e vinte e seis soldados atrás de si, parte demônio, parte meio humano. Uma mistura de desgarrados, bestas selvagens, menores, mestres infernais e até mesmo criaturas que não eram demônios mas eram fáceis de controlar através da magia negra como golens de lava. O objetivo era claro: Quebrar os três selos que protegiam a atalaia, entrar e tirar Crowley de lá. E além disso, destruir todos os soldados de Mah’A que cercavam a Atalaia. Albeiron gritava por sangue, aprendera os segredos da espada nesse meio tempo, e agora sabia muito bem o que ela podia fazer, além de cortar qualquer coisa.

Belphegor se pôs ao lado dela, montado em seu cavalo de chamas brancas – Finalmente, chegou a hora, quais são as ordens, minha princesa? – Ele perguntou, esperando o plano. Um guerreiro demônio se aproximou antes que a conversa pudesse prosseguir – Princesa Alice – Já havia visto ele em algum lugar, ele vestia armadura e tinha postura de um ser elevado – Azazel a sua disposição – Ela lembrava dele, da época que tinha cortado a cabeça de Astaroth dezesseis anos atrás. – Eu descendo da linhagem do grande herói Azazel, não tive chance de explicar-me para vossa majestade em nosso último encontro, gostaria de poder ajuda-la como precisar para destruir tais humanos – Belphegor olhou para ele e sorriu.

- Aqui estão os mapas, e informações, assim que decidir a estratégia estarei aqui – Alastor chegou ao local olhando para Bel – A estratégia vai ser destruir aqueles que estão na nossa frente, anjo idiota – Bel riu e disse – Muito bem, veremos que adentrará aqueles portões primeiro.

Spoiler:

Antes que pudesse planejar a estratégia, Alice ouviu uma voz ecoar por cima de todo o seu exército, uma mensagem de voz - Como ousa? És uma traidora assim como seu pai Alice? - Era Mephistopheles falando, de dentro da Atalaia, mas Alice pode sentir o quão fraco ele estava naquele momento, talvez ferido. E sabia que poderia respondé-lo se quisesse.




Blake


Blake despertou ainda tonto. Ele estava em volto de magia exalando de seu corpo. - Você caiu duro hein? Eu tirei aquela foice de você mas... Bom, não precisei fazer os curativos, sua aura fez todo o trabalho. Aerys Deadshot estava ao lado dele, agachado e com a besta em mãos.

- Vamos lá, levante... Tem um exército de demônios vindo ai. E eu tenho que proteger o selo da entrada... Vou juntar meus soldados, você pode vir comigo ou ir se juntar com seu capitão, eu vi a torre que ele e o comandante Aegon estavam cair a pouco tempo, mas... Por mais que eu queira ir lá ver o que está acontecendo, eu tenho o dever de proteger a entrada, por que se EU não proteger, ninguém vai. E aí não vai ter mais nenhum comandante. Nem morto, nem vivo.

Aerys o ajudou a se levantar e ficou esperando uma resposta. Blake sentia a quantidade de poder que vazava de seu corpo de forma absurda, se sentia invencível naquele momento, mas tinha que controlá-la, era como se estivesse lutando por dentro... Não sabia o que aconteceria se não controlasse.




OFF: Então. Começou o capítulo dois, e o prazo é até DIA 1. O próximo domingo no caso. Podem usar as coisas que aconteceram no capitulo anterior pra postar aqui, responder as coisas que responderiam lá aqui e tal.

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Dom Out 25, 2015 8:43 pm

—Post do tópico anterior—


Os movimentos eram leves, totalmente diferentes de antes, aquela luz parecia revigorar até memo seu corpo... E agora a pequena voava pelos escombros da casa para alcançar o quarto do espelho; a sensação vez com que um sorriso sigelo surgisse mesmo em meio aquela destruição.

Alcançando o espelho, ela não soube muito bem o que fazer. A água agora refletia o cenário e já não mostrava mais aquelas pessoas de antes... As palmas atrás dela a alarmaram, fazendo com que a jovem se virasse repentinamente. Era o homem de antes.

Aemy apertou o ursinho em seus braços com força e recuou um passo, alarmada. O contato com os olhos dele, porém, causaram um enorme desconforto. Durante um instante, ela sentiu diversas sensações... Chegou a ver o mundo, ou o que restava dele, em chamas... Tudo parecia manchado de sangue e a morte ceifava tudo o que restava. Ela própria parecia... Nada. Não havia mais sentimento; não houve nada além da sensação da morte.... E até mesmo isso parecia vazio e sem significado naquele momento.

Mas a voz ao seu lado lhe trouxe conforto... De quem era aquela imagem? Ela sentiu vontade de se virar par observá-lo, mas tudo aconteceu rapido. Aquele homem estranho e assustador apareceu novamente e a realidade pareceu retornar. Ela chegou a mover a mão para tentar repelí-lo, mas após um grito ela se sentiu sugada e tudo ficou escuro.

Vagou pela escuridão, aflita, com medo que aquilo tivesse significado a morte que havia visto antes... Mas não, ainda sentia, as coisas não pareciam vazias. E logo o despertar veio... Olhou ao redor com certa admiração, pois já não imaginava mais que houvesse um lugar como aquele no mundo.

Soltou uma exclamação leve e assustada quando notou a criatura próxima a ela. A voz soou e, embora fosse um misto de rugido e as palavras fossem firmes, Aemy sentiu certo conforto. Enquanto ele falava, ela chegou a se aproximar a passar a mão na cabeça dele com certa admiração e aproveitando a sensação da pelagem macia.

-
Está tudo bem... Eu já... Não tenho mais tanto medo... – a voz ainda soou fraca e insegura, mas ainda sim Aemy parecia disposta. Quando a criatura se abaixou, ela ficou na duvida do que fazer até que ele disse para que ela subisse... Com certo receio, ela montou na criatura e se segurou com firmeza com uma das mãos, mantendo o outro braço ao redor de seu ursinho – Parece que mesmo nós ainda podemos fazer algo, biki. – ela murmurou, olhando para o urso e depois para o caminho que seguia.

Tudo aquilo parecia um sonho mesclado com um pesadelo. E talvez realmente fosse; talvez ela pudesse despertar e descobrir que nada havia mudado de verdade. E se tudo aquilo fosse real... Talvez tivesse um papel.





—AGORA—


Em um piscar de olhos, do tunel de luz a loira se encontrou em um lugar diferente. No chão haviam algumas pessoas... Iguais as que ela havia visto no reflexo do espelho anteriormente, com a diferença que pareciam estar acabados e alguns seriamente feridos. Quando o leão se curvou, Aemy aproveitou para descer e seguiu as instruções dele.

Olhou para a própria mão, sem saber exatamente como iria curar aquelas pessoas... Olhou para o urso em seus braços em dúvida, mas nenhuma instrução veio e teve medo de perguntar para o leão.

Com um pouco de medo, ela se aproximou do grupo. Primeiro do rapaz mais jovem, o que para ela tinha vários nomes. Ver como o corpo dele estava causou incomodo na jovem, Aemy chegou a estreitar os olhos com evidente desconforto, mas ainda sim ela estendeu a mão para curá-lo e, como antes, a energia pareceu fluir e corresponder a intenção dela.

A garota de de cabelos roxos não parecia muito ferida, mas... Aemy se aproximou, imaginando que devia haver algum tipo de ferimento interno. Se assustou um pouco com a imagem do sangue escorrendo pelos olhos dela e desviou o olhar, tentando curá-la também.

E repetiu o procedimento com todos os que pareciam estar feridos... Exceto Spark. Quando ela o viu, chegou a dar um passo na direção dele, mas ela hesitou ao notar melhor a aparência dele. Chifres, uma pele azul... Parecia quase uma das criaturas que andavam por ai, mas com traços mais humanoides. Mas bem, ele era um aliado... Certo? Alsdram falou para que ela curasse todos. A jovem loira se aproximou de Spark com hesitação, para curá-lo, mesmo que de ferimentos superficiais. Evitou sequer olhá-lo nos olhos.

Assim que terminou, Aemy voltou para o lado do leão e aguardou pelas instruções dele. Ouviu o que ele disse para o garoto e, no fundo, estranhou aquelas palavras... Thomas parecia só uma criança como ela, como alguém como ele faria tudo aquilo? Talvez ele possuisse uma magia como ela?
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Frist em Dom Out 25, 2015 11:27 pm

Calor intenso... chamas brilhando por todos lados, não enxergava os braços só via chamas, chamas intensas, poderosas como nenhuma outra, sentia aquilo fluindo pelo seu corpo junto com um turbilhão de sentimentos, não sabia se se sentia livre, se sentia raiva e ira, ou calma e tranquilidade. A sua frente via a uma sombra correndo em sua direção e em um piscar de olhos algo cravado em seu peito, a dor foi grande, mas apesar daquilo a sensação de estar voando era a única que tomava seu coração. Estava caindo da torre, se lembrando da situação em que estava, estendia as mãos e os dedos na direção da torre, em vão, sua consciência se esvaia e estava a perder os sentidos.





Charpter two - Payback Time!!

Blake abriu os olhos e o mundo ainda girava, ao seu redor magia inundava o local e se sentia como se estivesse embaixo d'água, apesar de tudo não acordou assustado, estava calmo, que diabos tinha acontecido ali? Era o que se passava em sua cabeça, até ou vir o que Aerys falava a ele, sua mão instintivamente foi ao peito, ao local do ferimento, seus olhos arregalaram por um instante enquanto a sua frente passavam os lapsos de sua memória, do que havia acabado de acontecer. Coçou a barba e depois com os dedos colocou os cabelos para trás - É foi uma queda e tanto... Eu preciso ir ver como o garoto e Aegon estão, vá fazer seu trabalho, deixa que eu cuido do resto por aqueles lados!- Blake se levantou com a ajuda do homem, e tentava falar firme e pausadamente, tentando não transpassar sua preocupação, mesmo com o suor frio que escorria por sua testa.

Assim que Aerys tomou seu rumo, Blake fechou o semblante e olhava atônito para as palmas das mãos, abrindo e fechando os dedos com aquela sensação de poder. Já fazia muito tempo que não se sentia de tal maneira, mas junto com aquela sensação de invencibilidade, de possibilidades infinitas, a angústia de seu passado também surgiam, sabia que se se descontrolasse ali talvez não tivesse um futuro novamente e que talvez pudesse ser o gatilho a puxar o tiro de misericórdia contra a humanidade, não podia deixar isso acontecer. Se agarrava a ultima chama de esperança que ele e aquele estranho e diferenciado grupo se agarravam e sustentavam, se agarrava ao sentimento de dever, a vontade que os humanos tem de viver e sua capacidade de se adaptar perante aos grandes desafios. Cerrou os punhos e estufou o peito enquanto inflava os pulmões com forças, chegando até a se inclinar para trás de braços abertos e então levantou a perna direita e direcionou grande parte daquela magia que já saia de seu corpo para ela e o resto todo para os braços, para com força, ao mesmo tempo em que gritava, pisava com força no chão liberando a magia que extrapolava contra a terra e inclinando o corpo para frente, chocava um punho contra o outro fazendo aquele enorme baque metálico ecoar como uma enorme onda de poder sendo comprimida e esvaída - AAAAAAARRRRRRRGGGGHH!!! EU NÃO VOU ME ENTREGAR A ESSA TENTAÇÃO AGORA... EU VOU TE SELAAAAAAAR!! - Dizia para si mesmo em um combate interno entre seus próprios "eus" interiores, ele sabia que podia se tornar uma besta e que como ainda não havia se domado, não podia deixar ela solta, não era hora nem lugar para lidar com isso de outra maneira. Assim ele tentava conter todo seu poder em seus selos, em seu próprio corpo e receptáculo, sentia o calor e o impacto que causava a sua volta, tentava redirecionar e acalmar aquele fluxo de magia, o vapor exalava, suas veias saltavam e sua pele ficava cada vez mais avermelhada, seus músculos tensionando cada vez mais e seu corpo ficando pesado, sentia o solo resistindo a pressão e seus punhos tremendo um contra  o outro fazendo o metal atritar e algumas faíscas de cor estranha saírem, estava obstinado ele tinha de fazer aquilo funcionar.

Ficaria ali naquele estranho ritual próprio bufando até conseguir se controlar novamente, a esse ponto iria sentir o pouco alívio que poderia ter no momento, o metal em seus braços renovado com o negro reluzente ainda devido a temperatura e seu corpo ensopado do suor. Apalparia seus bolsos até achar o que restava de seu maço de cigarros e sacaria um, o acenderia nas fendas ainda embrasadas de seu braços e o levaria a boca tragando forte a fumaça. Após expelir a fumaça algumas vezes, pela narina como de costume, tragaria uma última vez o cigarro e o atiraria no chão, apagando com a sola da bota enquanto procurava ao seu redor pelo objeto que antes atravessava seu próprio peito - Você e eu temos um "favor" a devolver! - disse enquanto apoiava o cabo da foice sobre seu ombro, se inclinaria para frente, flexionando os joelhos e com um braço aparando a foice e o outro a frente de seu rosto... 30% e assim partiria a toda velocidade que aquela liberação do selo permitiria, para direção da torre e a procura do jovem capitão.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
29

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Ter Out 27, 2015 10:47 pm

Tudo corria conforme o plano, seu pai ser pego, os guardiões e até mesmo a aparição de Mah’a. Agora só faltava dar o comando para seu exercito e ir tomar as chaves de Mephistopheles. De cima de uma arvore olhava fixamente para atalaia, esperando o sinal, não demorou muito até que a torre caísse, então Alice soube que era chegada a hora, ouviu Azazel e Belphegor falarem alguma coisa, mas ignorou completamente, virou-se a seu exercito e exclamou:

- Ouçam! – todos ficaram em silencio para ouvir a sua “princesa” – É chegada a hora! Hoje escreveremos um novo capitulo da historia dos demônios, marchemos bravamente desafiando o caído, a bravura será sua companheira e a honra sua recompensa! – Alice brandiu Albeiron apontando-a para a Atalaia. – Azazel e seus homens seguiram para o portão principal e Alastor seguira com seus homens para o selo da esquerda, marchem impiedosamente e sem temor, não deixe nada vivo em sua frente! Se tiverem duvida se é aliado ou inimigo, matem! Um cadáver não deve fidelidade a ninguém!

Alice desceu da arvore e sussurrou a Belphegor:

- Deixe seus homens aos cuidados de Azazel, siga-me até o portão da direita, iremos entrar secretamente na atalaia e libertar meu pai. – Se pós a frente de seu exercito e bradou. – NÃO MAIS SOFREREMOS PELA TIRANIA DE UM ANJO, NÓS DEMÔNIO SEREMOS LIVRES! MOSTREM A ELES O ÓDIO DE NOSSO SANGUE ARDENTE!

E então partiram marchando rumo a atalaia, Alice esperaria o momento propicio para quebrar o selo da esquerda, levaria consigo apenas 100 soldados, a maioria monstruosidades enormes capazes de segurar grande grupos de demônios, entre eles estava um dos gigantes de magma que tinha quase o tamanho da atalaia em si, mas era uma besta com pouca inteligência. Deixaria Belphegor lidar com os incômodos e partiria de encontro a Mephisto para completar sua missão.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Qua Out 28, 2015 8:07 pm

Devo estar com os amigos da cidade para me sentir nesse estado de embriagues: dores no corpo de origens irreconhecíveis, tontura constante como se estivesse girando em uma corda, fraqueza nos músculos tão grande que pareciam ter sido substituídos por papa de milho dada para os velhos sem dentes. Acho que a pior parte de tudo isso é lembrar bem pouco ou quase nada dos acontecimentos.

Fui levantando aos poucos ainda sentindo os sintomas, estava em destroços e aparentemente no final de um abismo com outros destroços e alguns corpos jogados por toda a região onde meus olhos pudiam ver. Pude ver Thomas e outros alguns já em pé e pareciam querer se organizar, provavelmente as coisas ainda não tinham terminado e como somos elite, não cansamos até o objetivo estar concluído. Antes de ir até eles precisava me recuperar e resolver algumas situações pessoais.

- Vamos lá... Agora temos bastante tempo para nos compreendermos e resolvermos a questão do contrato feito. - Falava com Loki mentalmente, sabendo que ele poderia me responder mesmo estando em uma situação pior do que a minha, já que ele é que deveria estar no comando no momento em que meu corpo veio parar nesse buraco. - Acho que devemos saber melhor um do outro, logo apos do contrato.

(...)

Me sentindo melhor, comecei a caminhar em direção ao grupo que estaria se formando, no caso em direção a Thomas, para saber de algum possivel plano. Como estava melhor, varias coisas começaram a surgir em minha cabeça de situações e pessoas, principalmente Darius e Elizabeth, principalmente ela por eu ter a salvado.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Dom Nov 01, 2015 8:41 pm

Escuridão e dor. Ambas me envolviam, eu não sabia se conseguiria prosseguir com a missão, havia fracassado, me tornaria uma vergonha novamente para todos, a garota que fora estuprada e que virara uma assassina a sangue frio - mas apenas de seu pai, o que para todos da cidade e do conselho era inadmissível  - flashes de imagens apareciam em minha mente, me sentia fraca, como naquele dia, aquela sensação me fazia querer morrer. No meio de minha tortura, pude escutar uma voz - Acordem - começou fraca, mas se tornou clara depois de alguns segundos, abri meus olhos, me surpreendi por não estar morta, infelizmente não pude ignorar a dor, tentei me mexer mas foi quase insuportável, uma das vigas havia atravessado minha barriga, ainda não conseguia entender como não havia morrido, com esforço, retirei a viga em meio de grunhidos, tentei olhar ao redor, mas estava tonta por causa da dor. Me deitei novamente e fechei o olhos, esperei alguns minutos para poder ver claramente o que havia acontecido, mas quando os abri, uma surpresa.

Não via a Atalaia, não via nada do local que estava a segundos atrás.  Uma maré de demônios, era isso que eu pude ver, eles abriam espaço para a pessoa, ou ser, poder passar, e em sua caminhada proferia palavras de ódio, disse ser o príncipe do inferno e citou um nome que havia me dado calafrios anteriormente, aparentemente ela não era aliada dos demônios, mas isso não a deixava menos perigosa. Eles iriam atacar e estavam perto, tecnicamente do outro lado da Atalaia, e de onde estávamos pude ouvir o urros.  

Voltei a meu corpo, a ferida em minha barriga não doía mais, na verdade havia se fechado, não sabia como, mas estava grata, abri meus olhos e senti um liquido saindo, não podiam ser lagrimas, levei a mão ao meu rosto e toquei o liquido, era de um tom vivo de vermelho - Sangue...que legal, muito legal hah - sorri e deixei minha meu braço cair ao lado do meu corpo.

Com a visão periférica, pude ver Alsdram com uma garotinha ao seu lado, ele havia dado ordens a ela, e de uma a um ela foi passando, e os curando, era incrível como uma garota tão jovem pudesse ter tanto poder. Ela se aproximou de mim, pude notar que estava  incomodada com o sangue em meus olhos, mas me curou mesmo assim,  estava nova, como se tivesse despertado de um sono comum, me sentei e me senti aliviado por não ter aquela dor agonizante me consumindo.  - Estou me esquecendo de algo - pisquei os olhos e olhei ao redor, a garota estava com um ursinho, o qual fez eu me lembrar de Eins. Me levantei desesperada, não podia perde-la, comecei a andar e gritar seu nome, com esperança de achá-la e se tivesse sorte, minha bolsa, com as jóias misteriosas, que apenas me lembrei quando escutei o homem/leão comentar sobre, agora, mais do que nunca, tinha de achar a bolsa. Fechei os olhos e respirei fundo, podia sentir a presença de Eins, ela ainda estava "ativa". Agora sim tinha uma chance mais concreta de encontrá-la, infelizmente não podia localizá-la, suspirei e voltei a gritar seu nome em meio aos pedaços do que já fora uma torre.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
52

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Seg Nov 02, 2015 12:15 am

[dohtml]

Ace Number

Do you even know what magic means?





Não tinha certeza de como devia me sentir. As chamas eram tão fortes...tão...puras. As temia, tinha tanto medo que sentia o corpo congelando enquanto o fogo azul se espalhava. Era engraçado pensar nisso, pensar em ficar frio enquanto estava em chamas, mas era tudo tão estranho. Tudo que sentia se tornava simplesmente poder, algo que crescia bem dentro de meu peito, se espalhando para todo o resto do que podia chamar de eu próprio. Pelos nove infernos, o que era aquilo afinal de contas? Sabia apenas que podia usar aquilo, aquela energia, manto e espada. Era como se tivesse me tornado imbatível, completamente invulnerável a qualquer coisa que encontrasse, como se tudo ainda pudesse ser descoberto. Céus, sentia-me com esperança real pela primeira vez em anos.

Sorria em êxtase. Era uma sensação maravilhosa aquela. Linda e repleta de tudo que poderia desejar. Movia-me. Ia de encontro a Shin. O restante não se passava de borrões em minha memória, reconhecia o toque das laminas, lembrava vagamente do livro e dos trovões quando o ferro se chocava, tudo imagens fragmentadas, como se tudo tivesse acontecido rápido demais para que eu computasse de maneira satisfatória. Não sabia se era outro delírio arcano ou um sonho febril, mas via a vitória naquele instante, a encontrava absoluta e pura bem a minha frente, não demorava a entender minha mão, completamente absorto no que eu poderia encontrar através de tudo aquilo. Então, caia no sono. Não via de onde aquilo chegava, minha visão parecia ser queimada pela luz que cegava da esperança enquanto o corpo se movia em instinto, no momento seguinte estava acordando sobre as pedras.

A lamina de uma promessa quebrada a minha frente. Agora que a observava com clareza, percebia o quão ela era bela. Pálida como um único raio de luar, de aparência frágil e imaculada, mesmo quebrada poderia perder-me nela mesma. Em outra circunstância tomaria meu tempo, mas ao meu redor tinha o caos e a violência, observava com terror ao jovem capitão esmagado por debaixo de uma pedra massiva. Precisava tira-lo daquele lugar com rapidez, mas antes disso precisava tomar cuidado máximo com todos aqueles que estavam desmaiados, muitos inimigos recentes demais. Sentia o manto aconchegante ao meu redor enquanto me levantava com cautela. Não tinha certeza se conseguiria reproduzir as proezas tão cedo, mantinha-me atento para lidar com qualquer problema tão logo quanto observasse-o.

Meu primeiro ponto era recuperar a lamina, ainda partida ainda a carregava, tinha muito mais naquela simples lamina do que poderia expressar em palavras. Em seguida, usava as cartas, quatro pequenas laminas flutuando sob as cabeças dos oponentes desacordados. Não buscava suas mortes enquanto o controle mental fosse tão claro, não podia arriscar vê-los novamente em combate apenas, as mantinha ali como precauções de que eles se manteriam na linha...do contrário. Sentia o amargor na boca sendo formado por simplesmente pensar na ideia de enfrentar oponentes meio mortos sendo manipulados. Por hora corria de volta ao corpo ferido do capitão. Precisava de cautela, não poderia movê-lo sem saber o que ocorria debaixo daquele peso todo.

- Senhor. Peço que, por favor, aguarde um instante. Pensarei em uma forma de remover este empecilho tão logo quanto possível. Falava calmo enquanto buscava algum ponto fraco do pedregulho, assim como alguma visão no estado de Thomas abaixo dele, tinha de tira-lo dali.


Post: 001 ~ Rename: -X- ~ Location: Atalaia

Notes: -X-  

Thanks, Lollipop @ Sugaravatars
[/dohtml]
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
68

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Qua Nov 04, 2015 1:38 am

ANTES


Na Bíblia, uma frase sempre chamou a atenção de Thomas: Palavras tem Poder. Acreditava naquilo, por isso tentava usá-las sabiamente, mas nunca tinha presenciado algo na prática relacionada àquela passagem. Contudo, quando percebeu que seu corpo queimava em chamas azuis, soube que o poder era real e que ele o dominava. Ouvir a voz de Maes depois da armadura ser revelada em seu corpo, assim como a espada e a manopla em sua mão, fora o ponto definitivo e revelador de que estava mais preparado do que nunca para entrar naquele combate. E então avanço contra quantos inimigos pudesse exterminar. Todo o mal que via na sua frente, era purificado pela Espada de Deus em sua mão, obedecendo assim seu chamado. Se tinha de lutar por algo, certamente aquele era o momento e não deveria recuar. Tomado por uma vontade repentina e absurda, totalmente revigorado, Thomas lançou-se pleno em combate... Até ser impedido pela destruição da torre onde se encontrava. Dali em diante, foram engolido pela escuridão, tendo apenas como última visão a sua real batalha: o exército de demônios que avançava sobre a Atalaia.

DEPOIS


Um flash repentino de luz e então escuridão. E então mais um flash. Dessa vez mais demorado, seguido de uma nova escuridão, essa nem tanto assim. Seus olhos se abriram então, revelando toda a destruição ao seu redor. Tentou se mexer mas não conseguia e quando olhou para seu corpo, descobriu o motivo rapidamente. Contudo, tinha de sair dali. Não podia ficar parado naquela situação sem fazer nada. Mas sabia que se tentasse qualquer coisa iria morrer ali. Contudo, não estava sozinho. Joker se aproximou, completamente bem, o que lhe era um alívio. Com a ajuda de Alsdram, retirou a pedra. O que viu foi... Nada. Seu corpo tinha sido esmagado completamente da cintura para baixo. E por um momento pensou que seria seu fim, não fosse pela aproximação de uma garota desconhecida... Até escutar seu nome. Quando o imenso Leão falou aquele nome, Thomas imediatamente lembrou-se das escrituras de Castiel que tinha encontrado na Atalia... Então era verdade. Tanto Darwishi como Aemy eram os profetas e ela realmente existia.

Enquanto sua mente procurava assimilar toda a informação, sentia um alívio repentino no corpo, como se peças fossem suavizando e encaixando no local indicado, até que por fim, estava inteiro novamente, como se nada tivesse acontecido. Levantou-se com calma, como se estivesse conhecendo seu corpo novamente e tentou entender os novos poderes que tinha ganhado. Sentia que podia controlá-los sem problema. Tinha o domínio deles e isso era muito bom. Em seguida procurou sua espada e por fim, com a posse dela, virou-se para Alsdram, ouvindo suas explicações sobre os selos de proteção na Atalia. Pelo que sabia no momento, existiam demônios invadindo a Atalaia por três frentes. Quem tinha, porém, a última joia de proteção era Sarah. Olhou para todos ali, recuperados ao seu redor e antes de dizer alguma coisa para seus soldados, olhou para Aemy e disse em um tom audível, somente para ela. - Obrigado... Profeta.

Respirou e voltou a fitar seus amigos de combate, dessa vez, com seu tom de voz grave lhes direcionou algumas palavras. - Quando saímos de Valliheim, nossa missão era clara: Recuperar as Armas Celestiais. Vocês não foram treinados pra Guerras. Vocês não sabem sobre flancos, estratégia militar ou conhecimento de terreno. Nem eu sei. Não fomos treinados pra isso. Fomos treinados pra exterminar demônios. Quantos fossem precisos, da melhor forma possível. - Deu uma pausa, olhando para todos por um breve momento, então continuou. - Olhem para tudo isso ao seu redor. Essa terra. Esse mundo. Isso não é deles. É de vocês! Neste exato momento, demônios estão tentando tirar de vocês, tudo aquilo que conquistaram. Mas essa terra não é deles... É nossa!... E nós vamos tomar ela de volta, nem que pra isso tenhamos que colorir o chão de vermelho. Então vocês vão fazer o que sabem fazer de melhor: exterminar demônios. - E dito isso, olhou determinado para todos os seus companheiros.

A manopla em sua mão brilhou, permitindo Thomas ver a aura dos presentes. - Myra e Asgard, para o Portão Esquerdo. Spark e Joker, Portão Direito. Blake, você vai procurar a Sarah, traga-a para perto de nós. Até você voltar, eu vou segurar o Portão Central sozinho. Alsdram... Você já sabe. - E lançou um olhar para Aemy. Ele tinha de protegê-la. - Hoje, só demônios vão morrer. Dispensados.

E sozinho, Thomas seguiu para seu próprio calvário. Seguiu confiante de que tinha o poder necessário para pará-los e quando Blake estivesse ao seu lado, tinha a plena certeza de que nenhum poderia entrar. Da mesma forma, sabia que seus soldados eram fiéis a causa e que eles não lhe decepcionariam.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Seg Nov 09, 2015 8:40 pm

THOMAS



Com a ajuda de Joker e Aemy ele finalmente conseguiu escapar dos escombros, assim que levantou a manopla ele viu as cores diferentes que exalavam de cada um dos membros de seu grupo, também viu que os soldados de Aegon ( Lyela e Shin ) eram apenas possuídos, aqueles que ele havia escolhido estavam controlados por demônios dentro deles, agora desmaiados. A experiência dizia-lhe que talvez conseguisse livrá-los através do básico. O exorcismo. Seguindo em frente e separando as ordens o capitão do grupo se pôs o desafio de ir sozinho até o portão principal. Sentia-se confiante. O odor de sangue e morte preencheu as narinas dele, e ele caminhou para seu destino.

Em quanto corria sentia as pernas doerem levemente, uma vaga lembrança do que acontecera com elas anteriormente, mas apenas isso. Uma lembrança. Os escombros pelo caminho quase o impediram de continuar mas o capitão sempre achara uma forma de passar por eles, as vezes os pulando e outras tendo que até mesmo passar por baixo e se esgueirar por paredes instáveis, mas ele conseguiu. O mapa da atalaia que tinha em sua mente se tornara inútil quando os corredores começaram a se tornar irreconhecíveis devidos a destruição, mas através da movimentação de outros soldados ele se achou.

O portão frontal da Atalaia parecia impenetrável. Toneladas de aço negro riscado com centenas de sigílos e runas mágicas para impedir a passagem de demônios, com mais uma centena de armadilhas e homens posicionados com espadas, arcos e todo o tipo de arma que o local podia fornecer.

- Capitão! - Aerys se posicionou a frente de Thomas e o reverenciou cordialmente. - Creio que o senhor esteja a par da... - Ele travou por um momento e Thomas pode ver como ele analisava a armadura que ele vestia - Situação - Ele concluiu - Não achamos o comandante Aegon em qualquer lugar, e estamos por conta própria, toda a Atalaia está um caos sem alguém que possa comandá-los, não existe qualquer sincronia entre as ordens e metade de nossos soldados está assustado - Ele respirou fundo - Os comandos estão totalmente divididos em diferentes áreas da Atalaia já que a torre de comunicação simplesmente não responde ou passa ordens para qualquer local.

- Venha comigo, por favor - Ele se direcionou até uma mesa improvisada e arrastada até uma tenda ali perto. A mesa estava coberta com mapas, pergaminhos e coisas do tipo.

Spoiler:

- Estamos cercados por demônios, que estão nesse momento guerreando com... Demônios. Nossos soldados dizem ter avistado seres do tamanho da própria atalaia vindo pelos três lados. Infelizmente ainda não sabemos quem os comanda. E o mais intrigante: Os infernais estão lutando entre si.
Uma voz diferente alcançou Thomas, novamente, a voz de Maes.

- Thomas, ela era incrível -

Aerys olhou estranho para o garoto - Está bem? - Aparentemente ele era o único que podia escutá-lo. E Aerys voltou a falar. - Aqui está o selo principal, o que protege a entrada - Ele apontou, estava no começo da ponte, rodeado de demônios, na verdade eles estavam em cima dele, só não sabiam. - É questão de tempo até eles acharem aquilo debaixo do seus pés, podemos tentar empurrar eles ou... Esperar que venham ate nós. A não ser que tenha uma terceira estratégia.




Aemy



Assim que Thomas falou o leão se abaixou e esperou que a garota loira subisse em suas costas - Você fez muito bem - Ele disse em quanto começou a caminhar para longe dali, e Aemy viu Spark silvar para ela, como um gato com raiva, mas Alsdram continuou, deixando o grupo. O caminho que fez estava praticamente intacto, ele correu através dos corredores majestosos da atalaia mas aqueles que passavam por eles simplesmente não pareciam notar a presença do leão, Alsdram e Aemy atravessaram grandes salões feitos de mármore e ouro, com estátuas magnificas. Aquilo era algo que a pequena garota não havia visto nem mesmo quando o mundo que ela conhecia ainda existia.

- Esse local é um dos últimos pilares da humanidade - Ele explicou em quanto caminhava para o subsolo, a ambientação passou a ser escura, um longo corredor que levava apenas a um local: Duas enormes portas de pedra esculpida de forma precisa e magnifica.

- Eu preciso que faça uma última coisa para mim Aemy, então não pedirei mais favores - Ele se abaixou para que ela descesse e moveu a cabeça na direção do portão enorme - Siga para lá, e leve para Thomas o objeto que encontrar lá dentro. Não posso te acompanhar agora, é uma jornada que terá de fazer sozinha. E em um piscar de olhos Alsdram não estava mais lá, havia sumido, deixando apenas Aemy naquele corredor frio e caótico, com o enorme portão a frente. Ela sentia a presença de algo poderoso atrás dela, sentia o poder agitar-se dentro de si, assim como havia agitado antes.




Alice



Os demônios berraram, gritaram ou rugiram, dependendo de qual deles o fazia. De alguma forma eles a seguiam cegamente para a batalha, Azazel, Belphegor e Alastor se puseram a frente das tropas, próximos a Alice. Belphegor ouviu as ordens e fez uma pequena reverência que podia ser entendida como um sim. Ele pôs a mão no ombro de Azazel - Sigam esse homem como se fosse eu ! - Os soldados demôníacos sob o comando do anjo não demostraram resposta, mas o anjo sabia que eles o ouviam, e provavelmente metade deles só o respeitava pelo fato de ser relacionado a Alice. Talvez se sentissem mais confortáveis com um demônio a frente deles.

Alastor e suas tropas estavam distantes naquele momento, prontos para atacar, ele tinha uma dezena de guardas especiais capazes de voar assim como ele, que abriram asas e passaram a voar em ciclos acima assim que começou a se movimentar. As planices brancas se tornaram vermelhas em segundos conforme demônios corriam sobre ela, prontos para arrancar a cabeça de seus inimigos. As tropas de Mah'A não se puseram em formação, eles não tinham uma formação, mas os números eram visivelmente maiores que os de Alice. Os demônios do príncipe demônio queimaram em fogo verde, e o campo de batalha se tornou uma grande mistura de verde e vermelho, sangue e metal.

Berros contínuos de demônios dilacerando demônios que podiam ser escutados da própria Atalaia. As tropas de Alice sob o comando de Alastor passaram a ser atingidas e reduzidas rapidamente uma vez que eram atacadas de seres escondidos nas montanhas. Alice alcançou o rio através das florestas junto a Belphegor. Cem bestas os seguiam, assim como um gigante de Magma, o rio era profundo mas o anjo rapidamente se pôs a frente, ergueu a mão e com algum tipo de magia madeira e ferro se esticaram da terra e formaram uma ponte, extensa e resistente. Assim que atravessaram a ponte Alice viu os escudos dos demônios queimando em chamas verdes se erguerem de forma alta e forte. Era uma formação em ciclo, aparentemente, uma emboscada. Lanças se ergueram por cima dos escudos prontos para receberem qualquer avanço. - IRMÃO! EU VIM PARA DAR UM FIM A SUA TRAIÇÃO! - A voz de Mah'A ecoou pelo campo de batalha, mas ele não estava lá.




Blake



Blake sentiu seu poder acalmar dentro de si, assim como a chama em volta de seu corpo que emanava poder, algo voltando para as partes mais profundas de si, e ele ficou em volta fumaça, agora sentia o sangue ferver e sentia-se poderoso como nunca antes, como se estivesse prestes a explodir a qualquer momento... Ele sabia que apenas precisava deixar ela sair quando precisasse, ele sabia que podia chegar mais longe do que qualquer um.

Mas aquele não era o momento, e a energia voltou para dentro de si, como uma fera sendo alcamada. Uma vez empunhada a foice pareceu responder perfeitamente a Blake, e ele podia sentir uma energia estranha emanando dela, mas não ameaçadora, em quanto segurava e se preparava para ir em busca de Thomas ela se ajeitou e cresceu, como se adapatasse ao corpo do seu portador.
E ele partiu, recebeu as ordens e estava pronto para partir denovo.

O caminho pela Atalaia encoberta em neve e destruição era mais complicado do que se lembrava, guardiões corriam para todos os lados, alguns traziam água outros levavam armas e outros não sabiam o que fazer. Encontrar Sarah talvez fosse complicado. - Eu posso sentir a presença dela na sala do trono - A voz ecoou na mente de Blake. Era Alsdram falando, o leão. O caminho deveria ser simples: Chegar ao edifício principal da Atalaia.

As ruas começaram a se tornar menos bagunçadas e o trabalho que ele teve para atravessar as multidões fora reduzindo conforme avançava, atravessou alguns edifícios vazios e começou a ver uma trilha de corpos de guardiões, alguns decepados outros desmembrados e muitos reduzidos a coisas irreconhecíveis, vira uma dezena de corpos mutilados pelo caminho, mas a grande maioria se encontrava numa praça.

- Você... Não morre não é mesmo? - A voz ecoou de um beco, e o homem se revelou. Era o guarda de Aegon, vestido em sua máscara. O mesmo homem que havia o atirado de cima da torre. Ele caminhava com uma energia ameaçora em volta de si, as mãos enluvadas alcançaram uma arma fincada a um guardião, era um tipo de lança com cinco lâminas na ponta, e quatro outras menores na outra ponta, ele girou a arma com maestria.



- Admiro sua resistência, Blake Angel, mas agora... Prepare-se para encontrar sua morte - Ele segurou a arma e duas asas negras de energia se estenderam em suas costas. O mascarádo saltou alto, e suas asas bateram forte, então ele lançou-se do ar contra Blake, com a arma apontada na sua direção.




Spark e Joker


Após Joker ajudar o capitão a se livrar da pedra que o prendia, e Spark silvar para Aemy, partiram assim que receberam a ordem, os dois mais leais soldados de Thomas. A agilidade de Spark fez com que ele atravessasse o campo com uma velocidade surpreendente, os obstáculos e escombros não fizeram com que ele parasse por nada, e apesar de estar na frente de Joker, ele não ficava para trás. Tudo o que entrava na frente do tenente era cortado e/ou destruído com facilidade, a energia que era capaz de impulsioná-lo fazia com que cobrisse grandes distâncias e acompanhasse Spark de perto.

Não viram pessoas pela ponte que eles seguiam, mas vez ou outra tiveram de pular algum buraco que impedia que continuassem, a torre desabado por cima dali também e em compensação a ponte havia sido danificada. Chegando no local eles não viram exército, não viram guardiões, não havia nada. Poderiam considerar em voltar, informar ou montar qualquer plano naquele momento mas foram interrompidos antes de poderem falar qualquer coisa, um ciclo no ar se abriu, do lado de fora da atalaia. Ele sugava tudo para dentro dele, como um abismo circular criado no ar, pedaços da torre caída voaram para lá, quase acertando eles, e o cenário começou a se desmontar naquela direção, até que um homem saiu de dentro do que parecia ser um tipo de portal.

Era um demônio ( Clicka pra ver ), e eles sentiam a pressão no ar aumentar conforme ele se aproximava da barreira que protegia a atalaia. Sua pele era totalmente roxa e a aparência certamente era semelhante a de um humano, tinha cabelos longos e grandes asas monstruosas saindo de suas costas, além dos dois chifres absurdos que vazavam de seu crânio. - IRMÃO! EU VIM PARA DAR UM FIM A SUA TRAIÇÃO! - Ele berrou em quanto caminhava.

Assim que encostou no escudo da Atalaia ele viu uma pequena carga de energia atacá-lo mas sem qualquer efeito. Então ele socou a barreira, e a mão atravessou, mas apenas ela, ele não conseguia dar outro passo. - Interessante - Disse em quanto se afastava, e então soltou uma rajada de coloração verde de sua mão direita, que fora de encontro com a magia que protegeia a Atalaia, e a magia se absorveu - É de selo - Ele sorriu como se tivesse descoberto o segredo do mundo, e começou a procurar a runa sob seus pés.




Asgard/Loki e Myra


Myra ouviu seu boneco responder, mas ele estava afundado demais em escombros, e ela teria de tomar uma parte de seu tempo a mais para recuperá-lo. Precisaria de Asgard. A parte onde a torre mais havia se desfeito era o local onde estava a bolsa, e aquilo era uma mistura de pedra, metal e poeira. Seria esforçado e cansativo, mas talvez valesse a pena.

Asgard ouviu Loki falar em sua mente - Apesar de incomum falarei agora apenas a verdade. Meu nome é Loki Laufeyson, e eu sou o que você pode chamar de Deus. Eu sou imortal, e eu não sou seu amigo. Estou apenas te ajudando por interesse próprio garoto, e você é forte... Não achei que fosse sobreviver, mas está intacto. É impressionante. - A máscara de lobo se soltou do rosto de Asgard, e se desfez no chão, as correntes correram para dentro do peito dele e o machado enorme sumiu como brasas de uma chama. Ele havia voltado ao normal, mas ainda sim a mão que havia perdido era uma garra negra. - Não se engane, ainda estou aqui. Meus poderes não podem ficar ativos por muito tempo, como sabe, resta pouco deles.

pode sentir o alívio ao ver Elizabeth intacta, ainda coberta pela energia de Loki que se desfez e voltou ao corpo do guardião. Ela estava meio zonza mas despertou lentamente e começou a se levantar. - Onde... ? - Ela perguntou em quanto se colocava de pé, quase caindo. - Asgard? - A confusão era muita para que ela entendesse, a quantidade de informações para processar era grande. A situação piorou quando notaram que teriam de sair dali logo, algo estava puxando a torre e toda a ponte para o caminho da direita, os escombros e paredes que restaram voaram na direção que Joker e Spark haviam ido, talvez estivessem com problemas. Ou saíam dali naquele momento, ou arriscavam-se para pegar a bolsa de Myra... Ou partiam para ajudar os companheiros.

- Eu sinto uma presença, Asgard, uma presença superior a qualquer outra no local, está tentando adentrar a Atalaia, cuidado - Avisou Loki a Asgard.

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Sab Nov 21, 2015 4:07 am

Depois de tanto tempo andando em volta dos escombros, escuto um chorinho baixo. A bolsa com Eins estava enterrada muito profundamente, sozinha não conseguiria, poderia pedir ajuda a Asgard, mas isso levaria muito tempo, e ele parecia ocupado com uma mulher, sua aparência, demoníaca a pouco havia se dissipado. As pedras do local estavam sendo sugadas por algo, e iam na direção em que o bode e o Joker haviam ido.

Não havia nada de importante na bolsa sem ser Eins, as jóias talvez, mas eu nem sabia pra que serviam, a ideia mais genial me ocorreu, eu não teria pensado nisso se não quisesse realmente meu mascote de volta. proferi as palavras necessárias e des-summonei Eins, achei melhor manter ela no plano astral, pois não teria onde colocá-la, e ela não seria de muita utilidade. Me virei para Asgard e me aproximei, estava um pouco acanhada por atrapalhar a conversa dele coma moça, mas era uma situação de risco, e não podíamos morrer ali.

- Asgard...precisamos ir, creio que a melhor ideia ser seguir as ordens do capitão, sei que tem algo sugando tudo pelo lado em que o bode e o mago foram, mas também sei que eles dão conta...só gostaria de saber sua opinião, mas caso queira ficar e ajudar eles, eu levo sua amiga em segurança até o capitão, acredito ser o local mais seguro no momento.

Aguardei sua resposta, mas independente dela, eu não ficaria ali parar morrer, iria aniquilar quantos demônios possíveis nessa guerra, não falharia com mais ninguém
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
52

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Dom Nov 22, 2015 1:49 am

Determinado, Thomas seguiu adiante encarando sua realidade. O caminho não tinha sido fácil. Os escombros da destruição tinham atrapalhado todo o caminho e a organização geográfica que Thomas tinha em mente, fazendo com que ele demorasse algum tempo para poder se achar no local. Além disso, a destruição naquele fronte tinha sido grande, colocando diversos obstáculos físicos que atrasaram sua chegada ao local. Sentia-se ansioso. Tinha uma imensa responsabilidade nas suas costas e não poderia falhar de novo com os seus. Suas pernas doíam ligeiramente, lhe lembrando que perder aquela guerra não era uma opção.

Quando enfim chegou ao devido local, deu de cara com Aerys que começou a lhe informar a situação. Notou seu olhar para com sua armadura, mas ignorou por horas, afinal, existiam coisas mais importantes em jogo do que explicar de que forma ele tinha conseguido aquela armadura. - Aegon caiu, Aerys. Se corrompeu há tempos. Traiu a própria espécie vendendo sua alma. - A voz de Thomas eram embargada de raiva e nojo. Contudo, a situação ia além disso. Ao que parecia, existiam soldados para serem liderados, mas eles estavam dispersados pela Atalaia sem saber o que fazer. Darwishi precisava reunir o máximo possível antes de entrar em combate.

Considerando que ainda mais a ser mostrado, Darwishi seguiu junto à Aerys para próximo de uma mesa, analisando alguns mapas colocados ali. Prestava atenção nas informações do soldado à sua frente pois tinha de reunir o máximo possível delas se quisesse resistir naquele fronte, contudo, algo lhe tirou brevemente a atenção: A voz de Maes. Aquilo o deixou confuso por algum momento. Fazendo-o perder o foco. Quem era linda? De quem ele estava falando? A armadura tinha, então, a propriedade de fazer Thomas se comunicar com Maes? Não sabia e só voltou a notar os seus arredores quando fora chamado atenção por Aerys. - Sim, está tudo bem. Já sei o que vamos fazer. - Disse, respirando fundo.

Olhou ao seu redor e fez algumas contas básicas antes de voltar a falar. - Se eles estão lutando entre eles, é porque existem dois exércitos de demônios. E isso não é uma notícia boa: a Atalaia não está sendo atacada por somente uma pessoa. Contudo, a luta entre eles nos ganha tempo. Reúna dois dos seus soldados disponíveis e os envie para reorganizar os dispersos, enviado-os para os portões mais perto que estiverem, pois tenho Soldados de Elite em ambos os portões que irão conseguir comandá-los, além de apreciarem uma boa ajuda. - Virou-se então para os soldados que tinham sob seu comando.

- Sentir medo, é normal. Contudo, vocês precisam entender que estão em solo sagrado. Vocês foram escolhidos para protegerem o resto de humanidade que ainda resta nessa terra. Seus filhos, filhas ou mulheres estão do outro lado, em Valliheim, esperando pela chance que meu grupo tem de conseguir a salvação através de nossa missão. Mas eu não posso fazer isso sozinho. Se perdemos aqui hoje, não haverá humanidade para contar história. Então deixem eu conte para os seus filhos sobre as pessoas que lutaram do meu lado para garantir a sobrevivência da Humanidade... Não desistam. - E dito isso, olhou para Aerys. - Posicione seus arqueiros na linha de trás, protegendo-os com os escombros. Deixaremos que eles lutem entre si e quando começarem a avançar, atacaremos. Com isso daremos tempo aos seus mensageiros de trazer reforços. - E concluiu, esperando as ordens de Aerys.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Ter Nov 24, 2015 3:35 am

Acabei dando menos bola do que imaginava para o que Loki havia falado. No fundo, ainda era descrente a tudo aquilo que ele havia me contado, fazendo a semelhança para algo mais espiritual de algum guerreiro antigo. Por fim estava agradecido, estava vivo, com o corpo regenerado e com uma mão nova.

- Não se preocupe, acho que descansando posso recuperar nossa energia - Antes que desse continuidade para ir buscar os ingredientes, simplesmente distrai com as palavras de Myra. Não tinha mais que se preocupar com Elizabeth então não sentia mais nada em relação a ela.

- Myra... Gostaria muito de seguir com os outros, mas você está certa, não tenho energia suficiente para acompanha-los. Devemos agrupar para diminuir danos.

(...)

- Loki - Queria adiantar algumas coisas com ele em relação aos poderes compartilhados - Até onde você compartilha seu poder comigo? E antes que esqueça... Já sentiu essa energia antes? Sabe assemelhar a algum ser que já enfrentou?

(off: sim, está uma bosta pq a cabeça ta pra outra coisa. Desculpa ;-Wink
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Sex Nov 27, 2015 2:04 pm



Profeta? O que diabos aquele garoto estava dizendo? Pensou em questionar o significado daquelas palavras, mas a situação não era a ideal para isso... Preferiu apenas se manter em silencio ao lado de Alsdram. E então, as breves palavras dele sobre guerra, sangue, a terra “deles”... Do que eram essas coisas que ele falava afinal?

Apertou biki em seus braços e abaixou o olhar; desde quando as coisas haviam ficado tão caóticas? Queria que tudo pudesse voltar a ser como era em sua pequena vila... Há quanto tempo o mundo estava assim, para que um garoto que parecesse tão jovem falasse aquelas coisas?

Teve sua atenção desviada quando o leão se abaixou novamente ao lado dela e, com o gesto, entendeu que deveria montar nele novamente e assim o fez. Quando se afastava, olhou uma última vez para trás e avistou Spark silvar para ela. Assustada, Aemy imediatamente se virou para frente com o corpo um pouco rígido. Que diabos? Por que um monstro estava ali com eles? Lutando ao lado de humanos?

Quando o leão começou a correr, Aemy usou uma das mãos para se segurar nele. Aquele lugar parecia tão... Surreal. Salões brilhantes e bonitos; a pequena achava que esse tipo de lugar só existia em histórias.

As palavras dele, porém, causaram um certo frio na barriga da garota. Por mais que não devesse estar surpresa depois de ter andado pelo que restou do mundo, não achava que a humanidade estaria em uma situação tão crítica. Quando alcançaram as grandes portas, Aemy desceu e ouviu as palavras de Alsdram.

-
Hm? T-tudo bem... – respondeu, um pouco confusa. Por que ela tinha que ir buscar o que quer que fosse? – Ah... – pareceu desanimada quando o leão disse que ela teria que ir sozinha e simplesmente desapareceu.

Ela suspirou e olhou para a porta, muito maior do que ela. Com a presença atrás de si, Aemy instintivamente se virou para ver o que era, mas... Parecia só um poder se agitando e não algo físico.

-
Vamos lá, Biki... – e olhou para o ursinho – Eu não sei o que está acontecendo ou... Na verdade eu acho que não sabemos nada sobre o mundo, não é? Mas... Parece importante para nós, para a humanidade. Eu estou com medo, mas... Nós temos poder, não é? Destruímos aquela coisa tão fácil. – e deu um sorriso fraco – Certo. Nós podemos. – e estreitou os olhos, com um pouco de hesitação.

Aemy deu um passo a frente e tentou empurrar as portas, uma com cada mão, enquanto uma delas ainda carregava o ursinho pelo braço. Estava com medo. Mesmo sabendo que tinha poder, que talvez fosse capaz de explodir o que quer que estivesse lá dentro, sentia-se apavorada com tudo aquilo... Mas tinha que seguir em frente; foi o que sempre fez desde que tudo o que ela amava acabou e não seria diferente ali.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Dom Nov 29, 2015 10:03 pm


Ace Number

Do you even know what magic means?





- Como desejar.

Eram minhas palavras ao jovem capitão antes do avanço. Não sentia ameaças na nova presença que encontrávamos, também não tinha tempo para pensar a fundo sobre tal, a garota de fato havia ajudado a Thomas, questiona-la não era algo que deveria fazer, não no momento, tinha uma missão tão grande quanto antes em mãos, por isso corria, avançava junto de Spark, completamente absorto no caminho que seguia a minha frente, um caminho que parecia estranhamente linear, sem nada ou ninguém que pudesse se interpor, todo e cada obstáculo simplesmente desaparecia, como era maravilhosa aquela sensação. A sensação de ter todo aquele fluxo de energia me cobrindo como um véu. Era justamente daquilo que precisava para a batalha que viria, sentia isso quando o observava.

Seus pés se assemelhavam aos de um bode, era roxo e massivo, um demônio que vinha diretamente de um portal que se abria no meio do nada. Sabia que era perigoso, que precisava impedi-lo a todo custo, a magia que a criatura esbanjava o poder que ele parecia ter, não ousaria deixa-lo atravessar a barreira, sabia que tinha de lutar, de proteger a runa do selo, aquela era nossa maior chance de defender o local, tinha de protegê-la com tudo que tinha em mim, mas antes tinha de derrubar aquela criatura com um único movimento, não confiava que conseguiria lidar com uma batalha de longos termos, quão mais rápido terminasse, quanto menos dependesse daquela energia melhor seria.

Em uma mão materializava a primeira carta, A Carruagem. Criava o veiculo bem a minha frente com um único alvo, a criatura a minha frente, saltava por cima dela e partia, tão rápido quanto podia. Em segundo plano abaixava ambas as mãos e criava novas cartas, todas de um mesmo símbolo, todas com um mesmo fim, uma explosão causada pelo Mago. Esbanjava no piso da carruagem as cartas, acumulando todo o poder das explosões que viria, me preparava quando estivesse bem perto, assim que a carruagem estivesse a ponto de atingir a criatura, saltava. Girava para longe dela rolando pelo solo, fugindo do contato com aquele ser, me afastava e dava o comando assim que ambos se tocavam, explodia todas as cartas acumuladas no momento do impacto, assim que elas estivessem fora da barreira, assim que a criatura fosse pega de surpresa enquanto buscava pelo selo.



Post: 002 ~ Rename: -X- ~ Location: Atalaia

Notes: -X-  

Thanks, Lollipop @ Sugaravatars
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
68

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Seg Dez 14, 2015 8:00 pm

PARTE 1 - Asgard, Joker, Spark.

Asgard pareceu não entender a gravidade da situação, e voou junto do cenário que se desfazia em uma única direção. O corpo foi puxado pela energia, e em quanto era levado ouvia Loki falar em sua mente - Esse poder é... Um dos príncipes do inferno - Em quanto o corpo era puxado pelo ar Asgard encontrou facilidade em se esquivar dos escombros maiores e mais lerdos que eram igualmente levados, e antes que pudesse notar estava indo na direção do ser demoníaco.

Asgard sentia o poder imenso que emanava dele, mas não tinha outra escolha a não ser lutar, viu por um instante Joker passar por ele e ser lançado na mesma direção contra Mah'A. Mas o tenente conseguiu lidar muito bem com isso usando de suas cartas e invocando a carruagem abaixo de si, o controle sobre o veículo se tornou completo uma vez que o portal parou de sugar e desapareceu atrás do demônio, se aproveitando disso Asgard pousou suavemente na neve.

Joker entretanto não refreou o ataque e continuou avançando, a carroagem explodiu próxima a ele e pedaços metálicos e tábuas quebradas e flamejantes passaram por cima de sua cabeça, voando longe com o impacto mas por sorte nada encostou nele, só naquele momento ele notou. Ele estava parado, Mah'A não deu sequer um passo. O demônio estava lá, de pé com o rosto inexpressivo, e então ele se moveu como se durante todo aquele tempo estivesse esperando que Joker acabasse para que só então pudesse fazer algo, ele abriu as asas majestosamente como um lorde, um príncipe.

O tenente sentiu a energia que o cobria emanar e dançar em suas costas, em seu corpo. A pele formigava com o poder fluindo pelo seu peito, e ele sentiu a superioridade de seu inimigo, algo absurdo, ele era capaz de emanar uma pressão espiritual tão forte que começava a sufoca-lo, e pressionar seu manto de energia. Asgard também podia sentir, mas de uma forma diferente, ele  sentia em seu interior, e também podia ouvir Loki falar em sua cabeça - Nós não somos capazes de lutar contra ele, recue em quanto ainda pode - Mah'A pôs um pé a frente, e depois o outro e então estava caminhando na direção deles.

Spark sentiu os pelos azuis arrepiarem por seu corpo, e a máscara emanando energia, chamando por ele. Pronta para ser usada mais uma vez. E num impulso, antes que percebesse estava a vestindo. Ele viu a alma de Mah'A, e ela era um redemoinho de ódio e chamas, algo belo e distorcido, vazia mas ao mesmo tempo vívidas, reluzente e obscura, ele viu a alma dele que se espandia para fora de seu corpo de forma absurda, uma fera incontrolável que vivia dentro dele, uma tempestade de horror. Viu também a localização do selo que segurava aquela parte da barreira, estava exatamente em baixo de Mah'A.

O príncipe do inferno avançou primeiro contra Joker, saltando uma grande distância entre a neve e usando as asas como impulso para chegar lá, e em uma velocidade surpreendente ele estava com a mão no ombro do tenente, a energia de seu manto tentou reagir contra mas não foi o suficiente e com um aperto o ombro direito do tenente se quebrou, ainda segurando o garoto ele o impulsionou e o lançou para longe, fazendo ele se chocar contra a neve e afundar profundamente nela, apesar de tudo, ela não segurou o impacto tão bem quanto deveria. Então ele se virou para Asgard - O que é você? duas almas em um só corpo? isso é... Incomum- Mas antes que a batalha continuasse eles viram o exército de demônios que avançava sobre eles, comandados por uma garota.




PARTE 2 - Alice

Alice atravessou a barreira de inimigos, cortando e despedaçando os demônios que queimavam em verde, e antes que percebesse não havia mais soldados de Mah'A ali. Apenas seus demônios que rugiam em triunfo e avançavam incansavelmente trazendo a morte e a devastação, o campo de batalha era puro sangue. Belphegor se pôs ao lado dela em seu cavalo branco como marfim e os dois avançaram, estavam próximos. Correndo através do campo de batalha daquela forma não demorou para que alcançassem o objetivo, e na distância já podia ver Mah'A, tentando achar uma forma de entrar e lutando contra dois guardiões.

O primeiro guardião era um garoto loiro que queimava em chamas azuis, ela sentiu o poder emanando dele e ele o vestia, literalmente o vestia, como se fosse um escudo em forma de manto... Nunca havia visto alguém que vestisse a alma como uma espécie de escudo. E então havia um segundo, que parecia muito mais simples que o loiro, era um homem vestido com uma cabeça de lobo, mas que também emanava uma energia igualmente perigosa, na verdade ela podia sentir que não era apenas uma energia, eram duas em um unissono, duas energias que se conectavam e emanavam em perfeita sincronia.

- Ordens? - Perguntou Belphegor em quanto eles avançavam, Mah'A olhou na direção dela e virou-se para a garota, ignorando a existência dos guardiões ali, então começou a correr e em quanto corria saltou para o ar e uma montaria surgiu abaixo dele, um Warg grande e pálido que avançava com as patas em chamas. Os olhos do ser eram brilhantes e fortes, eles queimavam. Segundos antes de Mah'A se chocar contra os soldados de Alice os demônios esverdeados surgiram do chão, puxando seus inimigos para a terra e se erguendo como se saíssem do inferno abaixo deles. O príncipe estava determinado em matar a garota. E ela sabia a localização do selo, era apenas uma questão de conseguir alcançar o local.




Aemy

O ursinho não respondeu. A porta precisou de mais que um empurrão para sair do lugar, mas eventualmente saiu, e uma vez que se movimentou alguns centimetros para lá ela ficou cem vezes mais leve. Aemy se surpreendeu quando não viu nada demais, na verdade, era apenas uma sala. Um cômodo pequeno, feito de granito negro e iluminação precária sustentada apenas pelas tochas presas a parede. Era uma pequena cúpula, e estranhamente havia apenas um móvel ali: Uma mesa com uma esfera sobre ela, e uma centena de desenhos circulares no chão feitos a giz, a maioria deles apagado ou perto disso.

A esfera no centro da mesa era dourada e repleta de linhas laranjas que pareciam ser de uma tecnologia de outro mundo, ou pelo menos algo mil vezes avançado. Aemy sentiu-se tentada a pegá-la, e assim que deu apenas um passo a frente ela viu a esfera brilhar, a luz amarela e cálida encheu a câmara por alguns segundos e se desfez, como se tivesse acordado de um longo sono.

- Saudações, profeta - A voz soou de algum lugar, e de repente havia um homem lá, de pé, ao lado da mesa. - Tenho esperado você há dez milhões de estações - Ele sorriu. Inicialmente ela notou o quão brancos eram seus cabelos e achou que ele era velho, mas quando ele ergueu o rosto notou que os cabelos eram apenas muito loiros, e ele tomou um ar jovial. - Ah. Onde estão meus modos? permita-me que me apresente - Ele fez uma pequena reverência - Me chamam de Crowley - O homem tinha um rosto comprido e sereno, belo, sua pele tão clara quanto seu cabelo mas o mais intrigante eram os olhos de Crowley. Quaisquer que fossem seus pensamentos naquela hora, quaisquer que fossem os planos que tivesse feito, foram sugados pelo redemoinho dos intensos olhos dele.

Eles eram cinzas, impressionantemente escuros num rosto tão pálido. Suas pupilas eram pontas de alfinete, de um negro abrasador, e penetraram direto em Aemy como se avaliassem com minúcias a sua alma. O cinza em volta daquelas pupilas parecia vivo, móvel, uma criatura coberta por uma névoa, e naquelas névoas dos olhos de Crowley, Aemy viu coisas, vislumbres fugazes que logo se perdiam. Havia uma inteligência fria espreitando por aquelas névoas.

Mas havia também uma fera, escura e assustadora, acorrentada e raivosa, irada em meio à neblina. Gargalhada, solidão, paixão cruel: Crowley tinha tudo isso em seus olhos. Mas acima de tudo havia força neles, uma força terrível, uma intensidade tão inexorável e impiedosa como o o fogo que havia consumido o mundo. Em algum lugar daquela neblina, Aemy podia sentir o fogo se movimentando, lento, muito lento e  era capaz de ouvir o assustador pedido de socorro de uma centena de almas, da humanidade e toda sua esperança. Aemy superou muitos homens com seu olhar, e encarou-o o maior tempo possível, mas finalmente teve que desviar os olhos.

Aemy conseguiu sentir a energia se remoendo dentro de si, agitada como uma tempestade, pedindo para sair. A pequena garota se sentiu uma grande bomba relógio, pronta para explodir em luzes a qualquer momento... Apenas tinha que... Levantar a mão.

- Cuidado com o que você faz - Ele indicou apontando para ela - Se usar isso aqui, vai explodir toda a Atalaia - Ele sorriu suavemente - Ou não, quem sabe? - O homem parecia se divertir com aquilo - Preciso que me faça um favor - Ele se abaixou, para ficar na altura dela mesmo que estivesse distante, do outro lado da mesa - Me dê essa esfera em cima da mesa, e eu prometo que seus amigos ou você não serão machucados - Ele estendeu as mãos suavemente esperando pelo objeto.




Thomas

Thomas ouviu os soldados em seu comando gritarem em respota, e ele sabia que eles o seguiriam, muitos que estavam sentados ou caídos se levantaram e ergueram suas espadas, motivadas. Aerys pôs uma mão sobre o ombro de Thomas - Muito bem, faremos do seu jeito - E saiu para começar a gritar ordens para seus soldados, e com um pouco de trabalho ele conseguiu posicioná-los, arqueiros preparavam suas flechas molhadas em água benta e os soldados erguiam seus escudos e espadas prontos para avançar, eles não eram um exército mas naquele momento haviam se tornado um. Thomas tomou a visão do campo de batalha e a manopla em sua mão reagiu, e ele pode ver assim como viu as auras o local onde estava o selo que protegia a entrada, era um desenho enterrado em baixo da neve, e estava exatamente no começo da ponte... Embaixo do inimigo. Mas felizmente, eles não sabiam disso, e continuavam a lutar entre si.

Darwishi já havia visto muitas coisas em seu tempo como guardião, mas ainda não havia visto tamanho massacre entre os próprios demônios, eles se dilaceravam com fúria como se atacassem seu pior inimigo e eram centenas deles, seus olhos não alcançavam qualquer local onde não houvesse batalha, o horizonte estava pintado de vermelho, a guerra que cercava a Atalaia por todos os lados. Para lá do abismo e da ponte de entrada a Atalaia dos Guardiões estava o inimigo. Aquele que lutara por tanto tempo, em uma quantidade que ninguém havia visto antes, pronto para arrancar a cabeça de cada um deles ali. E nesse momento ele sentiu um arrepio em quanto observava a paisagem vermelha, verde e branca a sua frente. Sangue, fogo e neve se misturavam, aço e carne. O cheiro de morte encheu seu nariz, e era como se ele pudesse sentir o próprio ceifeiro o encarando, pronto para levar cada guardião e cada vida naquela Atalaia.

- Senhor! Capitão! - Uma voz o despertou do transe - Conseguimos reativar algumas torres e... - Ele sorriu, era um garoto. Na verdade era uma criança, provavelmente alguns anos mais jovem que ele, o rapaz tinha cabelos castanhos e enrolados e olhos do mais puro verde - Conseguimos ativar a extinção estelar - Ele disse animado. A experiencia de Thomas como guardião lembrou-lhe do que se tratava. Uma arma capaz de canalizar um milhar de luzes sagradas e envocá-las em uma única coordenada, varrendo qualquer existência demôniaca independente de quão longe fosse. Uma invenção tecnológica absurda, que havia custado muito para ser feita mas que só atirava uma vez, estava incompleta da última vez que haviam mencionado o assunto, e Thomas sabia o quão potente aquilo era, e talvez, se usado de forma correta era capaz de destruir um exército, ou grande parte dele. - Ele está ligado, mas precisa de algum tipo de energia para ser ativado! uma energia específica de algo ou alguém! -




Blake

Blake não conseguiu reagir a tempo. Teve chance apenas de se esquivar um pouco para a direita e a arma do maldito acertou o ombro metálico dele, não entrando completamente e travando no caminho. Então ele puxou a lança e com uma mão socou o rosto do guardião. - Pff, patético - Disse quando tomou um impulso para trás - Não se mova dessa vez, e seu fim será mais que certo - Ele ergueu a lança, e a jogou pelo ar, então correu na direção dele em quanto a arma ainda estava pairando e indo na direção dele. Uma velocidade admirável, e Blake sabia que ele não estava brincando, aquele podia ser realmente o fim dele.




Myra

Saiu a tempo, antes que os escombros a levassem junto, mas com um olhar por cima do ombro conseguiu ver Asgard voando na direção de onde o portal sugava, com facilidade pôs a amiga de Asgard sobre o ombro e saiu do local. Em quanto atravessava a Atalaia a destruição se tornou notória, aparentemente mais que alguns disparos haviam atravessado a barreira que protegia o local, e muitas construções haviam caído aos pedaços, mas a quantidade de feridos era pequena e isso de certo modo era bom. Mas ainda sim, muitos deles corriam de um lado para o outro desorientados.

Ignorando a confusão e indo em frente Myra alcançou o local que Thomas havia ordenado que ela protegesse. Era assim como as outras entradas uma longa ponte que se conectava a atalaia e levava para fora dela, a diferença era que essa entrada não era protegida por nada a não ser um simples portão de madeira preso com correntes de ferro, afundado numa muralha negra que apesar de ser uma muralha era baixa o suficiente para ser escalada. Haviam sim guardiões por ali, mas todos eles estavam feridos ou caídos, e não se podia esperar qualquer reação vinda deles.

Myra viu o exército demôniaco parar à borda da proteção mágica da Atalaia e um homem avançar e se por a frente de todos os outros demônios. Era um ser montado em um cavalo, de cabelos longos e negros, a pele era tão vermelha quanto o próprio fogo do inferno.
- Eu, Alastor venho a seu portão com uma oferta - A voz do homem era a de um líder, poderosa como um trovão - Rendam-se, abram a barreira e eu garantirei que meus demônios não os toquem - Ele esperou uma resposta de qualquer um - Devo tomar isso como um não? - Perguntou quando ninguém tomou a frente para respode-lo. Myra sentiu seu poder crescer dentro de si, sentiu a alma flamejante queimar e fluir por seu corpo.




Status da galerinha que ficou diferenciado.

Joker: 65% de Life - 20% de Energia DA

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Dom Dez 20, 2015 11:27 pm

Creio que havia feito a escolha certo, ou será que havia sido sorte? Independente se eu tive sorte ou não, não podia esperar um milagre em tão pouco tempo, tomei a amiga de Asgard no colo e a apoiei em meus ombros, eu podia ser pequena, mas tinha a mesma força que qualquer um de meu grupo. Segui em frente, vendo o caos e o terror, pessoas correndo sem uma direção, apenas tomados pelo medo do que havia do outro lado do da proteção.

Me apressei e finalmente cheguei onde fui designada a proteger, ao olhar a situação, senti  uma pontada de desapontamento, era o portão mais precário e simples que havia visto em toda a Atalaia, possuía uma muralha, mas qualquer um poderia escalá-la. Procurei outros guardiões para me ajudar, mas estavam todos desabilitados ou com ferimentos graves, teria de agir sozinha, eu, eu mesma, apenas eu. Coloquei Elizabeth no chão e disse para ela se esconder, me aproximei da entrada e olhei o que me esperava.  - Há você consegue Myra, o seu grupo acredita em você, seu capitão acredita em você, senão ele não teria te mandado aqui... - Andei de um lado para o outro olhando o exercito de demônios se aproximando cada vez mais - Você vai ter medo agora? Olhe até onde chegou..bom, não é muito longe, mas ainda sim, essas pessoas precisam de você, não faça tudo que você passou se tornar um vazio sem objetivo! - Dei um tapa em minha face e empinei meu peitoral, como se quisesse impor respeito, algo que provavelmente não adiantaria contra demônios.

Eles chegaram na borda, ali era seu limite, entre eles pude ver um ser maior, com certeza era o líder, parou na frente de todos os outros e disse para abrirmos a barreira, dei um sorriso e disse o mais alto que pude.

-Você realmente acha, que eu acreditaria em um demônio? Há, alguns são burros o suficiente para acreditar nessa sua "oferta". Mas eu não. Lutarei, até que a ultima parte de minha alma seja corrompida pela sua escuridão, demônio tolo.

Ao terminar de falar uma forte sensação nasceu em meu corpo, eu sentia o poder fluir em cada fio de cabelo, em cada parte do meu ser, minha alma estava queimando. Nunca havia me sentido tão forte em toda minha vida. Estava preparada, com meus demônios summonados ao meu lado, prontos para ganhar por sua mestra.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
52

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Seg Dez 21, 2015 12:16 am


A visão que teve quando abriu a porta a decepcionou um pouco… Esperava ver um salão grandioso e belo como as que vira anteriormente, mas o que viu a sua frente era apenas uma sala simples com uma iluminação precária.

Os olhos de Aemy se fixaram na esfera que havia sobre a mesa. Era aquele o objeto que deveria entregar para o Tomas? Parecia uma tarefa fácil... Estava esperando encontrar monstros ou criaturas malignas ali dentro.

-
Parece fácil... – sussurrou, olhando de relance para Biki.

A loira deu um passo a frente e estendeu a mão para pegar a esfera, mas uma iluminação estranha tomou conta do ambiente e, depois, uma voz foi estucada. Aemy olhou ao redor, um pouco alarmada, pois imaginava que apenas Biki e ela estariam ali dentro durante aquela jornada. Profeta? Ela? O que diabos aquilo queria dizer afinal... Manteve os olhos fixos naquele homem, com uma expressão desconfiada e um pouco assustada; ela deu um passo para trás e abraçou o urso.

-
Hm... – apenas o fitou quando ele se apresentou e seus olhos se encontraram.

Não quis parecer fraca e tentou encará-lo, mas se arrependeu. Aemy estreitou os olhos, assustada e curiosa com todas aquelas coisas que via através dos olhos de Crowley... A princípio parecia algo sinistro e oculto, depois um misto de sensações. O que diabos eram todas aquelas coisas? O rosto de Aemy tornou-se assustado diante daquelas visões, daqueles gritos. Quem era aquele homem? Certamente alguém que só trazia sofrimento ao mundo... A energia dentro de si começou a se manifestar, talvez aquilo fosse um sinal de que deveria destruí-lo...

Ela chegou a começar a movimentar a mão para cima, desejando explodir aquele homem maligno. Quando Crowley continuou, percebeu que ele talvez tivesse razão e ficou em dúvida sobre como proceder. Olhou para biki, em dúvida... Não sobre o pedido dele, mas se deveria tentar mata-lo ali.

-
Estão mortos... – começou dizendo, a voz um pouco assustada, receosa, se lembrando de sua vila – Meus amigos. E você... Você parece malvado. Biki está me dizendo que você é mau. Essa esfera... Não é pra você, eu sinto muito... Me disseram para entregar isso para outra pessoa, então...

E não terminou a frase, sentia-se desconfortável falando com aquele homem. Ele não [b]parecia[b] mau, mas as coisas que ela viu através dos olhos dele... Aquele fogo que lhe lembrava das chamas que consumiram sua casa, monstros na nevoa; ele definitivamente não parecia confiável. Além disso, o leão havia lhe dito para entregar a esfera para Tomas.

Aemy deu alguns passos em direção a mesa, para se aproximar da esfera.

-
Não... – parou e fitou Crowley de novo, apenas por um instante antes de desviar o olhar novamente - Não tente. – disse, em dúvida se o homem seria capaz tentar tomar aquilo dela a força, ele havia aparecido ali do nada afinal – Certo? Ele não vai deixar que você me toque e você pode morrer se tentar algo.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Seg Dez 21, 2015 1:06 am

Os olhos de Darwishi olhavam atentamente toda a desolação que se iniciava na sua frente e não podia descrever aquilo com algo menos do que perturbador. De alguma forma, aquela visão onde demônios lutavam contra si acabava lhe enojando. Mas o que era que lhe incomodava? Talvez o fato de que muitos anos atrás o primeiro passo para a extinção do que um dia chamaram de lar, tenha sido os humanos fazerem a mesma coisa que aqueles demônios imundos faziam bem ali na sua frente: lutar e matar a própria espécie. No fim, aqueles que eram dominados pelo mau e que não tinham a orientação de Deus se tornavam como demônios, possuídos pela sede de sangue e pela ganância.

Pensava nisso quando um garoto lhe chamou atenção para lhe relatar alguma coisa. Seus olhos se fixaram nele por um tempo e depois de ouvi-lo, ainda congelou a expressão séria e confusa. - Quantos anos você tem? Qual sua posição na Atalaia? - Como poderiam deixar que um garoto daquela idade lutasse em meio aquelas condições? Não se arrependia de ter perdido a própria inocência como uma criança para salvar o futuro de sua raça, mas fazer isso com todos era injustiça. De qualquer forma, tinha que volta ao que era trivial. - Aerys! - Chamou o rapaz que há pouco estava no comando. - Vá com esse garoto. Ajude a reunir mais soldados e a reorganizar a ordem dentro da Atalaia. Meus soldados estão a postos nos outros portões onde estão os selos. Vocês já tem uma direção, não estão mais perdidos. Redirecione parte dos soldados mais competentes para proteger a torre que esse garoto fala. A Extinção Estelar é o que nos fará vencer a guerra. Não deixe ninguém se aproximar do local. - E segurou o braço do rapaz. - Eu disse.. Ninguém. - E isso incluía todos os seus subordinados. - Quando terminar, volte para o posto... Temos uma guerra pra lutar.

E voltou a olhar a carnificina na sua frente, pensando em quanto tempo teria de esperar antes de se lançar ao combate.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Seg Dez 21, 2015 1:52 am

Estava muito concentrado para saber mais sobre Loki do que outra coisa, mesmo o mundo se acabando em minha volta, tanto que a brisa forte que tocava suavemente meu rosto me fazia relaxar um pouco mais para entender o que ele dizia. A conversa não durou tanto, pois Loki obrigava a perceber o nosso redor e a sensação que acabou surgindo a partir do meu estomago, uma sensação de agonia tremenda junta com nervosismo, ansiedade e até medo, não foi nada legal.

Quando pousei, por ter sido sugado com escombros por um tipo de vórtice cujo seu núcleo estava sendo o motivo de minha sensação, somente fiquei parado vendo um dos meus aliados, Joker, perder o ombro como se fosse uma madeira podre. Aquele ser não era pra ser enfrentado de um pra um, e sim com o bando todo, nem precisava do Loki alertar sobre isso que era mais do que evidente pra mim, nem mesmo com o novo poder junto com todos meus equipamentos seria possível causar dano o suficiente para enfraquecê-lo ao menos.

Talvez minha presença não fosse o bastante para ele, e tinha certeza que concordava dessa vez, mas seu exército não. Peguei todas as bombas de água benta que continha nos bolsos e as amplifiquei para que causassem maior dano possível depois do choque, tacando elas de forma que se chocassem e explodissem logo acima dos inimigos e até mesmo de Mah’A sem acertar a frota de demônios que Myra criara, deixei a espada celestial a ponto de saque e corri para a floresta a procura de mais ingredientes para criar a bomba de agua benta, além de aumentar meu tempo de conversa com Loki e a recuperação do mesmo. Talvez aprendesse a manejar o poder que ele me proporcionara.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asmodeus em Seg Dez 21, 2015 4:42 pm

Havia passado implacavelmente por cima de todos aqueles que se puseram em sua frente, não planejava parar e não pararia, ao menos que um de seus tios a fizesse parar, e foi oque aconteceu. Já estava perto do selo quando viu Mah’a em combate com alguns humanos, presumiu que fossem os tais guardiões das trevas, seu pai já havia a explicado que os humanos tinham essa organização que inutilmente fazia frente contra as forças de Lúcifer. Assim que seu tio a avistou começou uma investida em sua direção, o coração de Alice palpitava, sabia que mesmo tendo a arma que seu pai a confiará, não era certa a vitória contra um dos príncipes. Sabia que tinha pouco tempo para pensar, mas era como se o tempo tivesse parado por alguns minutos, a menina se acalmou e pensou claramente, um confronto direto não seria algo muito inteligente a se fazer. Sabia que poderia alcançar o selo caso corresse um pouco, só precisava de algo para distrair o perigo eminente que estava a sua frente, foi então que tomou sua decisão, materializou a maior pedra de gelo que pode fazer a sua frente e então ordenou que Belphegor a fizesse evaporar com seu fogo sagrado.

Com a cortina de fumaça feita, teria sua melhor, e talvez única chance de quebrar o selo e ir salvar seu pai, jogaria seu corpo para o lado, para o caso de seu tio não interromper a investida e então correria com todas as suas forças até o selo, e o quebraria com um golpe bruto de Albeiron. Caso se sucedesse iria de encontro ao seu pai deixando Belphegor e seus homens para ganhar tempo, e ainda debocharia de seu tio dizendo:

- Da próxima vez que formos reunir a família, irei trazer meu pai para que os dois possam conversar!
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
35

Data de inscrição :
11/02/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Spark em Seg Dez 21, 2015 5:15 pm

A tensão do campo de batalha fez Spark ficar parado por um bom tempo, se escondendo nas sombras e esperando por um momento certo. Sabia que não era um guerreiro e que não poderia ajudar seus amigos efetivamente se entrasse em combate, mas também sabia que não era um covarde e não os deixaria ali para morrer sem ao menos dizer nada. Dessa vez a mascará chamou por Spark e o vestiu como se ela fosse viva, mostrou para ele a alma do poderoso demônio que estava a sua frente e ao admirar tal beleza selvagem, soube na hora que não eram capazes de sequer segurar o mesmo ali.

O desespero fez o sátiro vacilar, será que conseguriam? Três deles não eram nada a frente de um dos príncipes, imagine contra Lúcifer... Mas não se deixaria por vencer, tinha uma missão a cumprir e não iria deixar que seus amigos morressem em vão, e foi ai que viu a chance perfeita para uma retirada, um exercito de demônios adentrou o lugar e tomou toda a atenção do príncipe para eles:

- VAMOS APROVEITAR ESSA CHANCE E NOS RETIRAR, TEMOS QUE JUNTAR TODOS OS GUARDIÕES QUE PUDERMOS CASO O CONTRÁRIO NÃO TEREMOS CHANCE ALGUMA DE SOBREVIVENCIA!

Spark correu até Joker visando ajuda-lo a sair dali sabia que ele estava muito ferido, mesmo com o seu manto, ninguém sairia ileso após ser arremessado tão brutalmente.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
22

Data de inscrição :
07/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Seg Dez 21, 2015 9:10 pm

THOMAS

- Eu... Dez, senhor... Sou apenas um ajudante - Ele respondeu meio confuso, e Aerys chegou ao lado dele rapidamente, com a arma de longa distância em mãos, ele parecia ansioso e era vísivel a sua preocupação. - Pode deixar comigo - Ele olhou para a criança e falou - Vá indo, já te alcanço - Aerys tomou um tempo para si, respirou fundo e olhou para ele - Fiz um juramento quando entrei nos guardiões, Thomas, e pretendo cumpri-lo. Minha vida e alma pelos guardiões - Aerys levantou o rosto, confiante, e uma vez que fora liberado se afastou com passos largos e alcançou a criança, e os dois desapareceram no horizonte.

Todo segundo ali parecia uma eternidade, os demônios pisoteavam o selo sem nem mesmo saber onde estavam, mas a paisagem de morte começou a mudar. Um deles montava a cavalo e conforme avançava sua arma decapitava os seres inferiores, destruindo tudo oq ue estava em seu caminho, ele, diferente dos outros vestia-se como um verdadeiro lorde, uma armadura que transitava entre o vermelho e o negro, com uma grande pedra no centro, o rosto desse ser não era visível, uma vez que ele vestia um elmo, mas uma grande energia emanava para fora daquela armadura, uma energia azul mas ainda sim sinistra. Ele levava em sua mão direita uma arma feita de puro gelo pintado de vermelho, o vermelho do sangue dos demônios.

Ele avançou entre a guerra limpando o caminho pelo qual passava, e com uma facilidade absurda para alguém de seu tamanho ele alcançou a entrada da Atalaia. E sem qualquer explicação de como ele sabia, ele fincou a lâmina através da neve, concreto e terra e alcançou o selo abaixo da terra. Thomas sentiu o arrepio que correu por seu corpo, e presençiou uma camada da barreira de defesa se desfazer, queimar de pouco em pouco a sua frente, ele se ergueu e entrou sozinho. Ergueu uma das mãos e lançou uma esfera de energia contra o portão negro. O portão afundou com o impacto, mas resistiu. Então ele se preparou para lançar a energia uma segunda vez. Alguns soldados tremiam com aquela situação, eles olharam para Thomas, esperando o comando. Nesse momento Spark chegou a seu lado junto de joker, ferido.




MYRA

Myra se convenceu de que conseguia, e apesar das chances serem mínimas, ela ainda sim era uma das melhores guardiãs que existia em Valiheim. Não era à toa que estava ali, naquela missão. Tudo o que ocorreu até ali a levou aquele momento. O demônio desmontou e caminhou alguns passos até quase encostar na barreira, a mão se levantou e ele encostou a energia que protegia a Atalaia - Parece que... Não está tão forte quanto antes, acredito que um dos lados fora aberto - E ele deu um passo para dentro.

Os demônios atrás dele tentaram seguí-lo mas foram repelidos - Interessante, aparentemente eles não tem força o suficiente para entrar aqui - Disse em quanto olhava por cima do ombro. Ele sorriu, como se estivesse se divertindo - Logo mais um dos lados cairá, e mais dos meus entrarão - Alastor empunhou seus machados gêmeos e abriu suas asas majestosamente, como um lorde - Esta é a última vez que proponho uma trégua, leve-me à prisão mais bem protegida da Atalaia, ou venha que provarei de seu sangue - Ele provocou em quanto pisava cada vez mais a dentro da cidade protegida, do território sagrado.




AEMY

Aemy se aproximou para pegar a esfera, e assim como ela Crowley deu um passo a frente mas então ela ouviu um tintilar, um barulho semelhante a correntes. Mas ela não as via.

- Ó, pequena profeta. Entenda que... - Ele parou por um momento, hesitante, como se esperasse que ela o explodisse ali e agora, e respirou fundo uma vez que viu que ela não o faria - Vocês não podem impedir que cheguem até as armas, meu pai já capturou dois de vocês. E irá capturar você também. Uma hora você vai ter que sair e ir salvar seu amigo, ou dexará ele para morrer? Você deve estar se roendo ai dentro não é? - Ele riu - Venho tentando falar isso a seus companheiros a tanto tempo... Eu posso ajudá-lo... Só preciso da... Esfera - E Aemy por uns instante deu um passo a frente sem que ela quisesse, como se desejasse entregar a Crowley, como se tivesse que. Mas então a voz em sua cabeça dizia que não devia, podia ouvir Alsdram pedindo que ela entregasse apenas a Thomas. E de repente, não estava mais na sala.

Em um piscar de olhos estava em ... Lugar nenhum. Era apenas um cenário branco infinito, não havia céu, não havia chão, não havia horizonte. Existia apenas o branco que se extendia para o além e mais adiante. Só existia ela. Então duas portas surgiram. Uma era branca como marfim e a outra era escura, as duas se abriram simultaneamente.

Na primeira, ela via sua família, seus amigos, tudo o que desejava ter de volta. E Crowley saiu de dentro dela, e diferente de como ela se lembrava ele estava belo, e seus olhos eram encantadores, azuis gélidos, mas encantadores. Ele se abaixou próximo a ela -Eu sei que te dei uma má primeira impressão - Ele se levantou então e ergueu as mãos, e uma realidade começou a se formar em volta dela, o cenário branco começou a ganhar vida e de repente estavam em um local queimado, destruido. E Aemy o reconheceu. Era a vila em que morava. O cheiro de sangue subiu pelo ar e ela até mesmo viu os demônios vagarem por dentro das casas - Não tema, olhe - Ele falou, e aquilo soou mais como uma ordem do que um pedido - Eu posso fazer tudo isso acabar, pequena. Posso te fazer feliz, dar-lhe uma vida feliz, posso te dar um mundo todo, riquezas imensuráveis se assim desejar... Um mundo onde você possa ser feliz, com seus amigos que já se foram e até mesmo com sua família - E conforme falava acontecia, o cenário destruído de sua antiga casa passou a ser uma enorme colina verdejante, com cheiros agradáveis e flores, ela viu seus amigos de infância brincarem perto dali, mas nenhum deles a via - Vá, pode falar com eles se quiser - ele pôs uma mão no ombro da garota, suavemente - Talvez você não saiba, mas o responsável por tudo isso, eu o matarei - E o cenário mudou mais uma vez, e uma luz branca e ofuscante a cegou por instantes - Este é aquele que causou toda a sua dor, toda a dor no seu mundo, todas as pessoas que morreram e que ainda irão morrer, ele é culpado - A luz forte e sagrada passou a ser uma luz cálida e ela observou por um milésimo o homem que existia dentro dela, e perdeu as forças nas pernas e caiu, então a visão sumiu antes que a consumisse - Eu irei trazer paz ao mundo, eu irei recriar tudo o que foi destruído - Ele sorriu, como se falasse a mais pura das verdades.

O mundo se tornou uma grande cidade branca - A cidade prometida - Ele pegou um punhado de terra do chão, aquilo parecia ser real, era palpável, ela podia sentir, ela podia cheirar... Era vivo. Era tão real quanto podia ser - Lá dentro... Viverão anjos, demônios e humanos em perfeita harmonia, e eu pretendo criar essa cidade - E então ele sumiu, e a cidade sumiu, e o mundo todo desapareceu. E só restou Aemy e as duas portas. Uma que levava a seus amigos, sua família. Estava a dois passos de entrar nela e viver uma vida pacífica... E a outra porta, escura, feita de madeira negra e pintada de mal jeito, a maçaneta dourada parcialmente quebrada, esta se abriu e revelou seu interior. Era o mundo em que estava acostumada, demônios, matança e seus novos amigo, sua nova família... Os guardiões das sombras. Humanos que matavam por ganância e pura maldade, mesmo vivendo em um mundo destruído, demônios que lutavam contra demônios e devoravam sua carne e... Anjos que não existiam, e se existissem, havia os abandonado a muito tempo. Um deus morto, um mundo morto. Ela apenas tinha de escolher qual delas iria entrar.




JOKER, SPARK, ALICE, ASGARD

Assim que a grande pedra de gelo se materializou no ar, Belphegor lançou de sua mão direita as chamas brancas e azuis, e a pedra de gelo se desfez em segundos, criando uma enorme cortina de fumaça, mas assim como ela previra isso não parou o avanço de Mah'A que saltou por entre ela, Alice rolou para o selo e o alcançou, Albion desceu até ele e o rompeu. Em quanto isso, Mah'A levou Belphegor ao chão, fazendo com que o Warg o derrubasse de sua montaria, ele pôs as mãos para segurar a mandíbula do animal, e no momento em que um demônio de Alice parou para ajudar o anjo a chuva de água benta de um dos guardiões aconteceu, impedindo que qualquer ajuda chegasse à Belphegor.

O anjo tentou sair mas não conseguiu, e ainda em cima do Warg Mah'A riu - Deixará seu prometido às minhas mãos, sobrinha? - Ele olhou para Belphegor - Vocês não estão preparados para me enfrentar, e nem estarão, nunca-

A barreira fraquejou mais uma vez, e Alice sentia que seria capaz de entrar mas sabia que sofreria um pequeno dano para conseguir, talvez conseguisse abrir um caminho mais fácil com Albion por ela. Ela viu uma espécie de bode roxo que mais parecia um demônio, mas ainda sim se vestia como um guardião levar o garoto que vestia o manto de alma para dentro da barreira e ajudá-lo.

Joker não se sentia bem, e apesar da dor absurda que penetrava o ombro como uma faca e as costas por causa do impacto ele se levantou e o manto começou a brilhar na parte em que estava ferido, Spark o alcançou com rapidez e o puxou de lá antes que os demônios o alcançassem, e os dois se esconderam entre os escombros. Conseguiram ver Asgard correr para a floresta com cobertura de névoa e água benta, e nenhum dos demônios teve interesse de segui-lo. Spark soltou o guardião e os dois saíram dali.




ASGARD

Asgard alcançou a floresta e sentiu-se seguro por um tempo. Então ouviu algum galho se quebrar, e subiu em cima de uma árvore para ter visão melhor, a floresta era como sua casa, ele sabia como se virar nela perfeitamente, e transitar pelos galhos não seria qualquer problema. Foi então que ele viu.

O exército de Mah'A estava acampado ali, demônios juntos sentados em volta de uma fogueira, não por que estavam com frio naquele inverno mas haviam cabeças dentro das chamas, pedaços de corpos e Asgard reconheceu o arco de Aerys queimando entre o fogo. Também viu uma grande pilha de corpos atrás deles. Era uma centena de demônios ao ar livre, provavelmente esperando algum comando. E Asgard não estava tão longe deles. Havia um comandante com uma chave presa a cintura, e ele era maior e mais forte que qualquer outro ali. - O que vai fazer? - Perguntou Loki - Ei olhe aquilo, perto dos corpos - Na pilha de corpos existia uma grande quantidade de equipamentos e entre eles, uma dezena de granas de água benta - posso te emprestar grande parte de meu poder, você será capaz de criar rajadas de energia se assim desejar -

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
158

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Seg Dez 21, 2015 11:28 pm

Dez anos. Apenas dez anos. Thomas ficou pensando nisso enquanto o garoto sumia no horizonte com Aerys. Qual era o seu problema para mandar um garoto de dez anos para proteger uma torre, que a partir daquele momento, tinha se transformado num Ponto-Objetivo muito importante? Isso, porém, o fez questionar quantas pessoas sabiam daquela torre. Demônios saberiam da existência dela? Estariam tramando algo para conseguir chegar até lá? E Darwishi poderia ter chegado a uma conclusão mais lógica, não fosse pela criatura que irrompeu bem na frente dos seus olhos, aniquilando uma boa quantidade de demônios que estavam bem na sua frente. E não duvidaria que teria feito isso contra seus próprios subordinados.

Aquele demônio era forte. Quase que instintivamente ativou sua manopla. Sua nova arma. Contudo, arregalou os olhos e foi tomado pelo desespero quando notou que aquele demônio sabia onde estava o selo e sem pestanejar, atacou o local com toda a sua força. A barreira mágica se desfez e ele poderia enfim passar. A única coisa que o impedia de entrar ali era o portão de aço negro que residia entre Thomas e o Demônio. Obviamente os soldados estava desesperados e para piorar, Spark chegara com Joker em um estado grave. - Merda! - Disse para si mesmo. Não teria outra escolha. Não podia colocar Joker em combate e precisava de Spark ali. - Ataquem a linha de trás, criem baixa entre os demônios. O Chefe deles é meu! - Disse. Virou-se então para Spark. - Cuide Joker e mantenha o esquadrão organizado. Eu não vou deixar aquele demônio entrar aqui. - Finalizou e por fim, correu para o portão de aço, escalando-o com velocidade e habilidade.

Em poucos segundos, aterrissou na ponte onde se encontrava seu algoz. Sacou a espada e seu braço fora tomado por chamas azuladas que o envolviam com ferocidade. - Não vai passar ninguém! Ninguém! - E apontou a espada para o Demônio com a espada de gelo. - E isso inclui principalmente você. Você vai cair aqui, nem que pra isso eu tenha que morrer junto. - E aquilo eram palavras puramente sinceras. Thomas acreditava que seus subordinados tinha a capacidade de seguir sem ele e completar a missão. Tinha de acreditar naquilo. - Que Deus não tenha piedade da sua alma. - E avançou violentamente pra cima do seu oponente.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
95

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Phyress em Ter Dez 22, 2015 4:28 pm

Quando Crowley deu um passo a frente, Aemy ineditamente se virou para ele e abriu a palma da mão, preparada para reagir caso ele tentasse algo. Não chegou a erguer o braço ao notar que ele não se aproximaria mais. Os olhos estreitos e a postura era como de um animal assustado, um pouco rígida, pronta para reagir caso se sentisse ameaçada. Por que ele tinha que parecer tão humano? Ela viu coisas horríveis através dos olhos dele, certamente ele não era uma algo ou alguém bom, mas aquela aparência... Se ele fosse mais... Monstruoso, tudo seria mais fácil, não seria?

Dois dela? Dois humanos? Do que aquele homem estava falando? Sequer parecia que aquelas palavras iniciais eram direcionadas a ela. Será que ele estava a confundindo? Aemy o fitou com confusão. Quando ele disse que precisava da esfera, chegou a dar um passo para frente e sentiu vontade de entregar aquele objeto a ele... Mas a voz a impediu. Ela cessou o movimento e manteve os olhos nele.

Quando tudo mudou ao seu redor, Aemy hesitou. Por que tudo estava diferente? Será que algo havia dado errado? Apertou o urso em seus braços quando as portas começaram a se abrir... Será que algum monstro sairia por detrás de cada uma delas?

Os olhos se fixaram na primeira... Tudo... Tudo o que ela desejou não ter perdido estava ali. A postura de Aemy imediatamente deixou de ser rígida e seus olhos se arregalaram em um misto de tristeza e surpresa. A presença de Crowley sequer importou ali, ela mantinha os olhos fixos através dele; no cenário com o qual sonhava. Seria aquilo real?

E, depois, ao seu redor tudo se recriou em chamas. Aemy sentiu os olhos marejarem diante da visão de sua vila destruída... Os restos sendo consumidos pelas chamas, o cheiro de sangue e os demônios entrando por cada porta... Não se lembrava com perfeição do que havia acontecido, mas se lembrava desse cheiro, se lembrava do medo, dos gritos e das lágrimas.

A loira fechou os olhos com força, sentindo suas lágrimas escorrerem pelas suas bochechas. As mãos se ergueram e ela usou biki para cobrir o rosto, não queria ver aquilo, não queria se lembrar... As palavras de Crowley a fizeram abrir os olhos novamente e, diante da oferta, ela o observou em dúvida do quão real aquilo poderia ser.

Quando ele falou sobre o responsável, Aemy tentou observar por entre o feixe de luz e avistou um homem. Ele era o responsável? Não se lembrava de tê-lo visto no dia do ataque... Será que Crowley estava dizendo mesmo a verdade? A pequena voltou seus olhos novamente para ele, parecendo indecisa sobre aquelas palavras.

A cidade prometida...

-
Demônios? É isso... – o fitou – O que vocês são...?

Aemy os chamava de monstros até então, mas... Demônios. Eram essas criaturas que estavam destruindo tudo, que queimaram sua vila e pareciam ter feito do mundo um lugar caótico. Por que ela ia querer conviver em paz com eles? Os demônios haviam tirado tudo o que ela amava e continuaram a caçando depois, por que ela deveria perdoá-los e conviver com eles?

Depois que Crowley desapareceu, Aemy voltou sua atenção para as duas portas a sua frente. Uma delas lhe mostrando o lugar para onde sempre desejou voltar... Sua mãe, seu pai, seus amigos... Uma porta que lhe prenderia em um sonho eterno. Olhou para a outra porta enquanto ela se abria sozinha e recuou um passo com a visão... Não queria ter que lutar, não queria viver em um mundo coberto por morte e escuridão. Um mundo vazio e sem felicidade.

Deu um curto passo na direção de sua família. As lágrimas escorriam impiedosamente pelo rosto da pequena enquanto ela soluçava, aquele aperto no peito chegava a ser sufocante. Aquele era o caminho que desejava, mas...

-
Um sonho... – a voz soou rouca e ela olhou para seu ursinho - Não é, biki? Eles não estão ai de verdade... Eles não estão em lugar nenhum... – e fechou os olhos, deixando suas lágrimas levarem sua tristeza – Eu queria tanto voltar... Mas eu queria que fosse real, não um sonho...

Não queria voltar para um mundo onde não tinha nada. A loira abraçou biki com força e chorou copiosamente. Estava em dúvida. Não queria que demônios vivessem em paz, queria que eles pagassem pelo que fizeram. Se eles fossem destruídos, talvez o mundo pudesse voltar a ter lugares como sua vila...

“Você é a única salvação deles.”

Se lembrou das palavras do Alsdram. Ela levou as mãos até a cabeça e se lembrou do afagar de seu pai; quando ele bagunçava seus cabelos quando ela estava triste por coisas bobas; quando ele lhe contava sobre histórias de heróis que sacrificavam sua própria felicidade pelos outros.

Aemy levou a mão até a maçaneta da porta que a levava para seus sonhos. Hesitou e fungou várias vezes, tentando respirar fundo para conter as lágrimas.

-
Biki... – a voz falhou e ela engoliu, sentindo um nó doloroso em sua garganta - Parece que vamos ser só nós dois.

E Aemy empurrou a porta, a fechando devagar, o movimento trêmulo e cheio de hesitação. Aquela era a última vez que veria aqueles rostos... Logo não teria mais como se recordar de como eles eram, não lembraria de seus rostos, nem do toque deles... Sentiu um vazio na barriga, uma sensação estranha de que aquilo seria o fim de algo... E fechou a porta a sua frente.

-
Pai... Mãe... – tocou a mão na porta e fechou os olhos com força - Adeus... – cerrou os dentes, tentando conter aquele choro sem sucesso.

Mesmo que não conhecesse aquelas pessoas, não queria que aquele lugar acabasse como sua vila. Alsdram disse que apenas ela poderia ajuda-los... Não queria abandonar outras pessoas para se prender em um sonho.

Com os passos pesados e a visão embaçada por conta das lágrimas, Aemy seguiu para a feia realidade. Pegaria a esfera e a entregaria a Thomas, como havia dito que faria.


“Não tenha medo... Não tenha medo...” tentou fixar o pensamento em sua mente, se lembrando das palavras que ouviu. Não ousou olhar para a outra porta novamente, não queria se lembrar daquela oportunidade e hesitar de novo. Talvez pudesse ser uma heroína como a das histórias algum dia... Expulsar os demônios do mundo e trazer paz. Abraçou biki contra si usando um dos braços e atravessou a porta.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
62

Data de inscrição :
26/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Dom Dez 27, 2015 11:11 pm

- Não pense besteiras Loki, seu poder vai ser melhor usado em outra hora. Estou em casa. - Dizia a Loki mentalmente. Traria facilidade para explodir aquelas bombas? Sim, mas assim traria atenção demais caso alguém saísse ileso. Antes de fazer qualquer coisa, comecei a me preparar para fazer a emboscada em que pegaria o chefe primeiro e o resto seria morto sem gastar nenhuma bomba.

Vasculhei pela floresta o mais rápido que podia por cipos e galhos resistentes, para usar como armadilhas e fazer raspagem dos galhos para criar uma cortina de fumaça dos mesmos. Apos tudo pronto fui armando as armadilhas o mais rápido que podia, sendo elas 3: uma rede aérea, blocos de espinhos a serem arremessados e a cortina de fumaça. Por estar na floresta isso não demorou muito e principalmente, me oferecia a melhor forma de ativar tudo com a ajuda das próprias árvores. Posicionando os cipos estrategicamente, conseguiria me movimentar a partir deles e ativar as armadilhas.

Com o jogar de uma pedra chamaria a atenção deles, fazendo com que fossem até as armadilhas. Enquanto isso, ia me movimentando para parecer um vulto ou um animal da floresta. A movimentação era para despistar os menores e eliminar com mais certeza o maior com a chave, em momento oportuno, cortaria ele com a espada divina e caso alguém percebesse meus movimentos, tinha raspa de arvore e folhos o suficiente para me fazer sumir.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Out of The Darkness, Into the Fire [ FINALIZADA ]

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 5 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum