Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Qui Mar 26, 2015 10:22 pm

Começou a parecer que entrar e seguir caminho por ali tinha tornado uma má ideia, mas nunca fui homem de sair arrependido das escolhas que fiz, então aquilo era só mais experiências em que estaria colhendo. Talvez um odor de carne nunca tivesse me incomodado, por estar habituado a caçar, e mesmo vários demônios continham um cheiro de morte bem forte, mas aquele recinto com certeza superara todas essas experiências. Ainda sim, o impacto foi menor em mim pelo costume, e vasculhando um pouco, os corpos pareciam ser de seres vindos do mesmo local, deixando evidente meus analise no momento em que avistamos o símbolo que nos representava.

- Será que... – Não achava que seriam realmente compatriotas antigos ou até mesmo tutores perdidos. Minha preocupação era pequena, já que estavam mortos e meu interesse por possíveis itens esquecido em seus corpos me seriam de grande ajuda, mas começou a torna-se grande pelos estrondos escutados.

Há horas em que odeio fortemente meus instintos. Quando menos esperávamos, uma grande criatura aparecera, estávamos em meio a uma investigação sobre uma tumba ao qual se tornava o centro dentre as outras, pelo seu ornamento, nome e alguns traços desenhados especificamente para a tal. Cercados pela criatura, tínhamos varias escolhas a tomar, mas as mais sensatas envolviam o monstro e sua força bruta: Deixá-lo abrir passagem pela tumba ou abrir passagem pela porta tampada pelas pedras que ele mesmo acabou colocando no momento em que destruiu o teto. Precisava de intenções de Aharon para ver se prosseguíamos juntos ou nos separávamos para saber se teríamos mais chances.

Tentei me posicionar entre os dois caminhos para caso a movimentação da criatura fosse inesperadamente mais rápida do que a nossa, aproveitaria para analisa-lo e buscar pontos fracos ou frágeis. Ainda não estava tão afim de uma briga, e provavelmente aquele seria um inimigo bastante difícil de enfrentar. O real sentimento em que sentia na hora, era de escapar de uma vez, mas como era o mais impossível de acontecer, queria que o monstro perseguisse Aharon ao invés de mim.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
63

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Qui Mar 26, 2015 11:22 pm

A world full of liars
"As they said, the time has yet finally to come"


Quanto maior fosse o tempo que permanecia naquela Atalaia, maior era minha vontade de deixar aquele local amaldiçoado. Cada respiração parecia corrompida, repleta de maldade e de algo mais, um sentimento que ainda não podia diferenciar. Era pesado, terrivelmente sólido e acima de tudo, coberto pela maldade.  Ainda que soubesse que aqueles símbolos estranhos guardavam algum tipo de poder oculto, algo que impedia nossa total concentração, ainda que sentisse como se deixar aquele lugar fosse a opção mais sabia, eu ficava. Confiava na autoridade do jovem capitão, devia fazê-lo pois era isso que devia ser feito, não tinha uma escolha. Na realidade pouco desejaria ter uma em mãos, não precisava de algo que pudesse tomar minha consciência e nublar minhas escolhas. Era graças a isso que me permitia encostar as costas e partir para uma terra de sonhos escuros e longos.
Por sorte, não era visitado por sonho qualquer. Havia anos que minhas visões em sonhos eram resumidas a massacres e dor, cenas que me torturavam noite após noite, situações que não seriam esquecidas, não importava quantas vezes tentasse, quanto lutasse contra. Ainda assim, o sono sem sonhos era um alivio, uma recompensa me arriscava a dizer, algo ganho por todos os embates travados no dia, um presente entregue por meu próprio cansaço. Uma pena que a situação a nosso volta não poderia ser tão simples assim. Despertava-me assustado, com uma voz convocando a nossa presença. Miya e Spark não estavam em local nenhum a nosso alcance, era estranho e por isso me punha em guarda. A mão repousando fragilmente por sobre o cabo da lamina, esperando que algum ser maligno saltasse pela porta do quarto, buscando meu pescoço. Nada. Era isso que vinha até nós. Tudo a nossa frente era a confusão e o delírio, um espaço repleto de insanidade e loucura onde ao abrir de uma porta tudo se transformava. O tapete era escarlate e fedia a morte, os quadros e janelas quebrados e demolidos, pouco reconhecia aquele lugar, mas a visão era a bela a sua maneira doentia. Me colocava de pé, olhando para o jovem capitão a quem guardava, pronto para deixar o local, só precisava de uma ordem.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Spark em Sex Mar 27, 2015 7:38 pm

Como imaginará, aquele caminho de tochas magicas que se apagavam sozinhas realmente levava a algo, um grande portão com multiplas trancas espalhadas por ele, porém com somente três buracos, três buracos para três possiveis chaves, a imagem das chaves na cintura de Aegon, logo ele... se fosse qualquer outra pessoa Spark iria imediatamente correndo roubar as chaves para poder descobrir oque tal mistériosa porta guardava, mas aquele homem parecia ser perigoso, e o pequeno capitão também havia aconselhado a todos a manter distancia. Spark deu meia volta e voltou pelo caminho que havia vindo, passou a mãe em seu corpo procurando a carta que joker havia o dado para informar a ele sobre oque havia descoberto, mas foi em vão, a cartão não estava com ele, provavelmente o feitiço havia se desfeito ou Spark houvera a esquecido no quarto, chegando ao seu ponto de inicio, viu que já era tarde pra seguir os rastros dos guardas que antes estavam empurrando uma caixa, então decidiu ir a outro lugar. Chegando ao circulo onde antes haviam duas moças se degladeando por surpresa Spark não encontrou ninguem, o local estava completamente vazio, ao contrário do que pensará as lutas não se estendiam por toda noite, afinal ali ainda era um local de soldados dos guardiões, lembrou-se da guerreira pela qual havia se interessado e resolveu seguir o cheiro do suor dela, coisa que só conseguiu graças a seu olfato que fora amplificado, planejava chegar até ela ainda invisivel ver oque estava fazendo e caso fosse propicio se aproximar e iniciar uma conversa usando a luta que havia visto mais cedo.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
22

Data de inscrição :
07/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Dom Mar 29, 2015 5:31 pm

Tudo havia acontecido rápido demais. O sonho onde eu era chamada por vibrantes olhos vermelhos no infinito, acabou rápido, não havia dormido muito, mas estava descansada o suficiente, e neste momento Blake atravessou a parede de seu quarto e a acordou, deixando uma trilha de cascalhos e poeira em sua volta, olhei através dele e pude notar que todos os quartos estavam unidos em só um. E com isso Thomas começou a tentar a ler os papeis com a escritura estranha, coisas estranhas e indescritíveis aconteceram, mas decidimos finalmente descansar. Blake ficou de guarda enquanto o resto do grupo dormia, eu me deitei na cama e fiquei observando enquanto Eins dormia. O tempo passava lentamente, o tédio estava me consumindo aos poucos, foi quando pude ver Blake desabando no chão do nada, o ar se tornou pesado e gélido, me encolhi na cama e cobri minha cabeça, deixando apenas os olhos e nariz para fora.
               
                 Um ser estranho e belo entrou no quarto de Thomas, o mesmo se encontrava desacordado e totalmente vulnerável. O ser portava uma espada azul e a apontava para o capitão. Eins acordou e abriu seus pequenos olhos, mas se manteve em silencio, alcancei uma de minhas tesouras da correia localizada em minha coxa direita, em um movimento rápido pulei da cama e corri em direção a Thomas. No caminho atirei uma das tesouras em direção à mão do ser, fazendo com que sua espada caísse no chão, por sorte fui rápida o bastante para pular em suas costas e o apunhalar pela garganta. E a surpresa me fez recuar, sua carne se regenerou quase instantaneamente - Tá de brincadeira comigo né... - disse em um tom alto o bastante para ele escutar, vira sua  face, feita de uma mascara de madeira, e de pequenos ramos de flores e folhas variadas, em minha direção, seus olhos acompanhavam meus movimentos, vejo Thomas atrás do ser resmungando, teria de ser rápida.

                  O ser olha para o capitão por alguns segundos, e essa era minha única chance, alcanço a outra tesoura e a lanço precisamente no seu olho direito, a coisa parada em minha frente se encolhe, e neste momento, corro o mais rápido possível em direção a uma lamparina, a qual se encontrava na mesinha ao lado de minha cama. Retiro a tampa e me preparo para atirar a chama no ser, assim que ele solta minha tesoura e volta a olhar para mim, chamas consomem sua face (de madeira heh), ele se joga no chão em uma tentativa falha de apagar o fogo. Com o tempo ele para de se mexer, e para ter certeza,  corto sua cabeça. Me aproximo do Capitão e cutuco sua bochecha - Capitão, é melhor o senhor acordar... - me sento ao seu lado e Eins se junta a mim, ela vem voando em círculos com um brilho nos olhos, se aproxima e abraça minha bochecha - Está tudo bem Eins, eu cuidei do moço ruim, estamos todos seguros por enquanto, quer dizer, nós três... - lhe dou um beijo na cabeça e ela se esconde em meus cabelos, como de costume. Me foquei tanto em proteger Thomas que me esqueci do resto do grupo, olhei para a porta por onde haviam saído, o carpete estava ensaguentado, janelas e portas quebradas, mas teria de esperar o capitão acordar para fazer algo, ele era minha prioridade.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
49

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Ter Mar 31, 2015 11:52 am

Tão logo adormeceu. Não sabia o motivo, mas sentia-se cansado. Apesar de ser treinado como um Guardião e ter ascendido ao posto de Capitão rapidamente, Thomas ainda tinha o estado corporal e biológico de uma criança de quinze anos. Seus reflexos e seu poder mágico eram altos, mas sua resistência e força física ainda não tinham mudado tão drasticamente. Mesmo assim, Thomas tentou resistir mais... Porém, não conseguiu.

----

Quando ouviu aquela voz na sua mente acordou sobressaltado e rapidamente sacou sua espada. Estava tudo silencioso demais e somente aquela maldita voz ainda continuava ecoando e lhe chamando para um lugar que seu instinto dizia que ele deveria ir. Olhou para os lados e Blake e Joker também estavam acordados e ao que parecia tinham escutado a mesma voz com aquela maldita ordem. Thomas respirou fundo e olhou ao redor. Myra e Spark ainda não estavam presentes. Spark era compreensível, mas Myra teria saído do quarto no meio da noite? Impossível dizer. Decidiu então ir para fora.

Thomas estreitou os olhos quando viu aquela cena. Virou-se para Joker e Blake. – Isso não pode ser real. Não podemos ter dormido tanto tempo para uma destruição desse calibre e mesmo que tivesse acontecido, teríamos acordado com os barulhos. – Mesmo assim, as coisas ainda estavam palpáveis e sólidas, fazendo com que Thomas duvidasse das suas próprias palavras pela primeira vez. Olhou as janelas quebradas, o sangue no chão e sentiu o frio no corpo. Indicou com a cabeça para Blake e Joker o seguirem. – Mantenham a guarda. – E seguiu para onde seus instintos indicavam.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
92

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Qui Abr 02, 2015 9:14 pm

@ Myra

A criatura pareceu se surpreender com a presença de Myra, como se não tivesse a notado no local antes – Como ? – Perguntou, para ninguém em especial. Ele olhou de relance para Thomas, como se procurasse algo nele, ou buscasse uma resposta. E a garota de cabelos roxos já havia disparado, pulando em cima dele sacando a espada e fazendo a da criatura cair ao chão, e Myra o cortou com precisão e velocidade, a sensação de cortar madeira a incomodou e por um momento fez a espada retesar, parecia mais difícil do que o esperado.

A criatura se afastou e o corte não fazia qualquer diferença no modo que agia, ela lançou a tesoura no olho da criatura, o homem ( ou o que quer que fosse aquilo ) não reagiu com diferença, como se nem tivesse sentido, arrancou a tesoura de seu olho que começava a se restaurar de uma forma no mínimo... Nojenta.
Ele era lerdo, bem lerdo. Demorou um século para conseguir pegar a espada do chão, nesse tempo a guardiã das sombras já tinha pego a lamparina e jogado contra ele. O vidro se quebrou e o fogo se espalhou pela madeira rabiscada da cara do monstro, em seguida pelo seu corpo e ele gritou qualquer coisa inumana, finalmente algo tinha feito efeito... Um efeito ruim.

O fogo do homem-madeira começou a se espalhar pelo chão do cômodo, que era feito de madeira, e estava seguindo para as paredes com uma velocidade considerável, se demorasse mais alguns minutos todo o local estaria em chamas... E tinha três pessoas para tirar dali, a não ser que tivesse uma ideia melhor. Thomas, Joker e Blake não pareciam acordar por nada.

@ Spark

Spark atravessou os corredores da Atalaia mais uma vez, passou pelo local onde ficava o círculo anteriormente, e seguiu os rastros de suor que muitas vezes haviam sumido no ar, e aparecido várias outras. Não havia sido fácil acha-la, passou por muitos cômodos de soldados, postos de guarda e outras coisas, até que chegou a ala médica. Diversas camas posicionadas contra a parede, lençóis brancos, odores de remédio, sangue, queimados, suor e tudo mais misturados em um só local, até mesmo cheiro de perfume havia ali.

Era apesar de tudo, bem organizado, médicos da atalaia iam de um lado para o outro, soldados moribundos estavam ali também, alguns outros só tinha um ferimento ou dois mas Spark viu um coberto por uma coberta toda manchada por sangue, que se espalhava por toda a cama e até mesmo pingava no chão, os médicos pareciam realmente preocupados com quem quer que fosse, o levando para uma sala separada.

Após isso a situação pareceu se acalmar um pouco, não eram muitos os guardas meio-mortos. Spark a avistou se retirando de lá e indo pro lado de fora, retirou o colete que ainda usava desde a luta, não parecia ter tido a oportunidade até agora. Desequipou as outras partes de couro por cima do vestido azul e quando se virou viu Spark ali, parado. – Oi? – Ela disse, dessa vez parecia bem menos ofensiva do que antes, afinal, não tinha a lança em mãos e nem vestia os trapos de antes, e também tinha uma voz agradavelmente “ fofa “ . Spark não pode deixar de notar uma agitação longe dali, em direção aos corredores que levavam ao quarto. – Ahn, você é um daqueles do grupo de Valiheim não? – Ela perguntou sorrindo gentilmente.

@ Blake, Joker, Thomas

As vozes haviam sumido de suas cabeças, não puderam deixar de sentir o alívio que era não ter alguém dentro de sua mente, definitivamente tinham uma sensação estranha quanto aquilo, o ar envolta deles começou a esquentar subitamente, fora isso nada demais... A não ser as paredes e o chão sumindo por questão de segundos, como uma ilusão mal feita ou algo do tipo. – Estou tentando alcança-los mas tem algo me impedindo – Uma voz diferente da primeira... Já haviam a escutado antes, em um sonho, aquele que tiveram depois de atravessarem o abismo. – Ele – A voz falhou, assim como o cenário - Sozinho – Ela parou, estavam sozinhos novamente.

O caminho era tão destruído que por vezes não reconheceram os corredores com paredes pintadas á sangue, mas sabiam por onde deviam seguir, tiveram que esquivar de destroços e partes da parede derrubados e durante todo o tempo não encontraram qualquer sinal de vida, inimigo ou amigo. Até chegarem no pátio. A estátua do anjo, antes majestosa agora era apenas ruína, partida em vários pedaços. Os cacos de vidro se espalhavam por todo o chão, assim como sangue... Principalmente sangue, mas o odor deste não era tão forte quanto o odor do demônio que apareceu na frente deles.
O cheiro de enxofre encheu todo o cômodo, a presença de um demônio era mais que óbvia.

A C R I A T U R A era uma das mais feias que já haviam visto até agora, tinham o formato parecido com o de um humano, trajava armaduras pelo corpo e carregava duas espadas, tinha quatro braços e a pele era medonhamente pálida, um líquido nojento escorria por ela.

A cabeça do demônio era protegida por um capacete que a fechava totalmente, ele deu dois passos para frente e o som metálico das armaduras ressoou – Blake... Nós a temos... – Aquilo não parecia fazer qualquer sentido, a criatura falava pausadamente como se tivesse complicações para isso, além de ter uma voz horrenda e duplicada.

Joker... Nós a temos... – Repetiu, agora direcionando-se ao tenente. E de um lado Nyx apareceu ao lado do demônio, do outro lado dele Lyn, e até mesmo Shade estava ali, ao lado de Nyx. Todos eles com sangue por seus rostos e roupas, mas inquebráveis, sem demonstrar qualquer submissão, afinal, tinham sido treinados para isso... para nunca quebrar. E as ilusões sumiram. – Larguem as armas – Ele ordenou, e não precisavam saber o que aconteceria se não obedecessem, ele moveu a cabeça como um animal na direção de Thomas, como se procurasse algo dentro do garoto, ou talvez só estivesse esperando uma resposta.

@ Asgard e Aharon

A indecisão. Na dúvida Asgard ficou no meio do caminho tentando se decidir o que fazer, e deveria ter decidido a algum tempo atrás. O demônio tentou socar as pedras a sua frente com força, e funcionou... Por partes. Uma das grandes pedras que impedia o caminho foi lançada na direção de Aharon que só teve tempo de se defender com o escudo, mas foi jogado contra a parede, a armadura o protegeu.

E mais desabamento, mas a criatura irracional pareceu ficar com mais raiva ainda e jogou todo o corpo contra as pedras que bloqueavam o caminho, mais pedras desabaram sobre o monstro “blindado” Que conseguiu se rastejar para o outro lado, com esforço. Ele tentava se levantar mas as pedras em cima de seu corpo impediam... E ele ia conseguir se levantar.

Por mais que Asgard buscasse por fraquezas inicialmente não achou nada a não ser os olhos, que não podiam ser protegidos, mas agora a armadura de metal do monstro parecia estar mais fraca por causa dos danos que as pedras causaram... Talvez conseguisse perfurar o metal. A criatura se levantou, mas não sem antes tropeçar no túmulo bordado a ouro e fazer esse se quebrar revelando seu interior: Uma caveira era tudo o que restou do antigo capitão daquele local, e uma C H A V E com um pentagrama na ponta presa ao pescoço.




as palavras separadas CHAVE e CRIATURA são clicáveis.

Prazo: 06/04/15
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
156

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Qua Abr 08, 2015 12:08 am

Caminhava sem esperanças reais. Tudo naquele local era ruína e morte, como se tudo que tivéssemos visto anteriormente, não passasse de uma grande ilusão. De forma objetiva, não poderia desmentir esta teoria. Já havia sentido tais ilusões em meu próprio corpo, com toda certeza haveria de ter alguém capaz de gerar algo daquele tamanho. Era isso que temia de forma quieta. Que tudo até agora não tenha passado de um caminho traçado por terceiros. Se isso realmente fosse verdade, não teríamos apenas problemas em nosso caminho, estaríamos caminhando direto à boca da fera, e o pior de tudo, nem ao menos sonhávamos com tal possibilidade. Precisaríamos quebrar aquela ilusão de forma forçada, sabia que isto teria um preço azedo, mas era algo que estava disposto a pagar pelo bem da missão, neste exato momento, não eram nossas vidas que mais valiam.
 
A resposta vinha até nós, juntamente do odor da morte e da podridão. O caloroso aroma do sangue invadia o cômodo quando nos deparávamos com aquele ser demoníaco. Uma criatura portadora de armamento e de consciência, o pior tipo de demônio para se lidar com. Um ser vil do qual não poderia ser confiado a fim, de modo que eu apenas ouvia cada palavra proferida pelo ser, observando estoico a tudo que era mostrado até para nós. E céus, não podia evitar a surpresa que sentia. Parecia receber uma pontada no peito quando observava aqueles três rostos feridos a minha frente, próximos demais para que eu pudesse distinguir se eram ilusões ou realidade. Aquele trio realmente teria sido pego tão facilmente? Seria difícil conte-los, sabia isso melhor que qualquer outro poderia saber. Assim como deveria saber o que estava em jogo naquele momento. Havíamos começado como catorze membros, todos soldados verdes que aos poucos se tornaram o que eu era hoje. Ao fechar os olhos, ainda me lembrava dos olhares em seus rostos, durante a primeira vista, principalmente dos sete que haviam falecido no decorrer do caminho. Se fosse claro, todos os três que haviam sido pegos eram nãocombatentes, mesmo com a morte dos três a missão deveria prosseguir. Tinha muito mais em jogo agora do que há algumas semanas atrás.
 
Caminharia frente ao grupo, sacando a lamina da espada com uma das mãos, enquanto com outra mantinha o livro aberto ainda acorrentado à cintura. Por todos que já haviam caído, por todos que ainda cairiam, não poderia hesitar neste momento, não poderia recuar diante da visão de três, quatro, ou de todos os membros de meu pelotão. A missão sempre viria em primeiro lugar, independente do quão difícil fosse cumpri-la, estaria disposto a muito mais para realizar algo daquele porte, era por isso que havia sido convocado a este pelotão. Se precisasse enfiar uma lamina no peito de um punhado de camaradas, em prol de uma infinidade de desconhecidos, a perda não valeria a pena? A humanidade não poderia prosperar apenas com Wild Cards, precisava demais. Parava com a lamina em riste, preparada para o combate.
 
- Permissão para realizar o abate senhor. 

Wild Cards:

Wild Cards era o antigo pelotão que era comandado por Joker, originalmente composto por 14 membros numerados de 1 até 14 de acordo com a capacidade de combate. Criados desde a infância, com o intuito de se tornarem armas biológicas contra o ataque dos demônios, nenhum dos membros do pelotão é completamente humano, muitos deles inclusive abraçando o lado demoníaco que possuem.

1 - Bael - Considerado não apenas o mais poderoso em combate, assim como também o mais instável, Bael é capaz de forçar seu sangue demoníaco a despertar, gerando impulsos explosivos de poder que consomem sua própria sanidade.
2 - Shade - O segundo em comando do pelotão, Shade é capaz de fundir seu próprio corpo com as sombras, gerando uma substancia que mesmo sendo considerada como uma sombra, pode assumir diferentes formas ou tamanhos.
3 - Freyia - Dona do maior potencial explosivo de combate, Freyja consegue convocar a partir do coto de seu braço, partes de criaturas que a mesma já tenha visto com os próprios olhos.
4 - Ulf - Sendo dentro todos o mais astuto, Ulf é capaz de gerar ilusões que afetam todos os cinco sentidos de qualquer um que possa estar no raio de ativação de sua aura mágica.
5 - Joker
6 - Nyx - Possuidora da capacidade de alinhar sentimentos uns com os outros, Nyx é capaz de usar a magia contida em si, para os mais diversos fins, desde transmissão de pensamentos entre alvos diferentes, até capacidades como leitura de mentes, ou infringir dor simétrica em dois alvos.
7 - Lyn- A capacidade de Ulf se resume ao seu olho direito, ele que é capaz de projetar a vista deste olho para onde quer que seja, enxergando normalmente locais distantes, como se ele mesmo estivesse ali.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Qui Abr 09, 2015 1:28 pm

A cada passo, as coisas se complicavam cada vez mais. Contudo, pelo menos as vozes tinham sumido de sua cabeça... Para dar lugar à outra. Thomas já tinha ouvido aquela voz. Quando seus poderes aumentaram ele sentiu-se mais forte, ele tinha ouvido aquela voz no seu sonho. Então aquilo que estavam passando era somente isso? Um sonho? Não sabia dizer, mas o que tinha aprendido com apenas aqueles dias de viagem e experiências fora dos Portões seguros de Valiheim era que sonhos eram também poderia ser muito reais. O cenários oscilou um pouco e ao que parecia, aquele ser estava do nosso lado, mas não estava tendo sucesso no que quer que fosse. Thomas ainda mantinham seu semblante sério e atento quando por fim ele sumiu e tudo voltou como estava antes: sangue e destruição.

Tinha que colocar em sua mente que não podiam contar com nenhuma ajuda dali pra frente. Era apenas o grupo e somente eles. Isso complicava um pouco às coisas, mas Darwishi tinha que cumprir seu papel como líder e deixar que coisas externas atrapalhassem a missão era algo que o pequeno capitão não iria tolerar. Então apenas continuou a seguir para ver onde tudo aquilo iria dar. Apesar de o caminho se encontrar completamente desfigurado e destruído, de alguma forma ele sabia por onde deveria seguir... Até encontrar aquilo que foram designados para encontrar. Thomas rapidamente sentiu aquele forte cheiro de enxofre, mas sua face permaneceu impassível. Olhou para frente e deu mais alguns passos antes de para com Blake e Joker logo atrás de si.

Thomas sabia reconhecer quando alguém era forte e definitivamente aquele demônio era mais forte do que os dois primeiros que tinham enfrentado no Vale, antes de passarem para os domínios de Lúcifer. Thomas não sentia nada em relação àquele ser. Medo, nojo ou repulsa. Ele fora treinado para fazer apenas uma coisa e isso se resumia a mandar aquela maldita raça para onde eles pertenciam: o Inferno. E desde que a Terra tinha se tornado o novo Inferno, Thomas se via na obrigação de banir aquele mal do local que pertencia ao seu povo por direito. Estava prestes a partir pra cima da criatura quando ouviu suas palavras e viu as pessoas que estavam como reféns. Thomas ainda tinha uma face impenetrável, assim como aqueles que foram capturados, porque ele também tinha sido treinado para não quebrar.

Conhecia aquelas pessoas. Não pessoalmente, mas sabia que tinham uma ligação com Joker e sabia que de algum modo, elas ainda importavam, assim como muitas pessoas em Valiheim importavam para Thomas. Mas a questão é que eles tinham uma missão e tinham de ser realistas: certas coisas tinham de ser sacrificadas para um bem maior, mesmo que esse sacrifício fossem vidas humanas. No futuro, quando aquele grupo fossem lembrados como Heróis que trouxeram de volta a paz na Terra, todo o esforço e sacrifício certamente não será considerado em vão. - Joker... Eles já estão mortos. - Disse, Thomas, virando a face para olhá-lo. Entretanto, o Tenente, assim como Thomas, sabia do propósito daquela missão, pois assim como Thomas ele era um Guardião das Sombras. Darwishi segurou sua arma com firmeza e respondeu. - O último golpe é seu. Não se contenham. Nenhum de vocês dois. - E dito isso, partiu com a arma em riste para cima da criatura.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
92

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Frist em Sab Abr 11, 2015 9:25 pm


As vozes em sua cabeça já não eram novidade, desde que essa missão começou algo estava diferente e outros intervinham por eles de maneiras desconhecidas, realmente essa é uma cruzada diferente de todas que já havia participado. Um das vozes lhe soou familiar, era a daquele sonho compartilhado que haviam tido, aquela voz da estranha luz que parecia fortalecer-lhe, porém sem perceber mais efeitos desde então. Era certo que não apenas vozes "aliadas" que tentava alcançá-los e isso impossibilitou contato com a voz da luz e o trio continuou a seguir pelos corredores, ou pelo menos o que antes eram corredores. Agora o lugar estava totalmente arruinado, o cheiro metálico de sangue estava por toda parte do lugar agora irreconhecível aos seus olhos, parecia que haviam passado a noite em um e a cordado em outro.

Blake não se demorou em sacar um cigarro e o isqueiro em um dos bolsos de seu sobre tudo e acendê-lo em sua boca, enquanto alternava entre tragar e soltar a fumaça, acompanhava seu capitão e Joker pelo lugar, a visão não era das mais novas, acreditava que já havia visto piores, mas mesmo assim não era um lugar agradável. Foi então que aquele odor pútrido invadiu seu olfato e logo o semblante horrendo estava a sua frente - Tsc! - suspirou, pouco antes de aquele demônio bastardo começar a tentar proferir palavras, antes de poder fazer nada surgiram pessoas e aquilo pareceu afetar Joker, porém poucos momentos depois ele e o capitão já estavam a posto para combater esse inimigo e as ordens foram dadas. - Quer saber, parece que quanto mais forte vocês capetas são, mais fedorentos ficam! - E assim Blake deu a ultima tragada no cigarro antes de atirá-lo para frente com os dedos.

Aquele demônio podria ser problemático de se lutar contra, aqueles múltiplos braços permitem que ele lute com mais de um inimigo ao mesmo tempo, mas para o azar dele talvez eles fossem os piores oponentes para ele ter encontrado. Blake se inclinou para frente e cerrou os punhos enquanto usava sua magia e sentia o vapor ao seu redor misturar com a fumaça que soltava ainda do cigarro, após liberar 40% de sua força se preparou para começar a investida, seu objetivo era investir o mais rápido possível, passando por seus companheiros para com seu ataque deixar uma abertura para que eles aproveitassem, para isso cruzaria os braços um momento antes de chegar a ele e quando o alcançasse, os abriria com um golpe com as costas das mãos contra as espadas do demônio e uma cabeçada subsequente contra seu estômago.

avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
27

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Dom Abr 12, 2015 4:01 pm

- Olhos... - Era só o que conseguia me focar antes de tudo começar a desmoronar de uma vez. Aquele soco fazia com que a estrutura ficasse ainda mais instável para se ter tempo de pensar, e como Aharon estava impossibilitado de fazer uma ação rápida naquele instante, por estar saindo de traz da pedra arremessada, só tive tempo de deixar meus instintos falarem por mim e arriscar o que estava vindo em minha cabeça.

Com o conhecimento da chave no tumulo, não pensei muito para pega-la de uma vez, se o monstro estivesse atras dela, e reposicionar para um abate, fuga ou até mesmo isca. Sacando a espada, averiguei a situação do ambiente em que estávamos: quanto tempo tínhamos até tudo desmoronar, locais de fuga, armadilhas prontas de estruturas frágeis. Não era uma analise perfeita, mas a que fosse a de fácil realização e mais próxima de mim, seria a que seria mais vista para conter o máximo de erros possíveis, já bastava a perda de uma mão e o ganho de uma espada divina para que me tornasse duas vezes mais cuidadoso, mesmo em situações desesperadoras e rápidas.

Qualquer das duvidas, tentaria passar próximo do monstro e ver se a espada roubada do Djjin faria algum ferimento de larga escala, cortando-o em suas articulações. O monstro sendo mais rápido do que eu, faria uma finta, parando meu ataque e seguindo com o plano de fuga.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
63

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Qui Abr 16, 2015 12:05 am

A situação havia saído do controle, foi um erro ter lançado fogo na criatura, a fogo se espalhava rapidamente pelo chão de madeira em direção as vigas de madeira que sustentavam as paredes. Os símbolos na parede, impossibilitavam-me de usar magia, e sem magia, todos morreríamos ali. A única solução seria destruir os símbolos, não poderia me afastar muito, tinha de ser rápida, pois assim que os símbolos fossem destruídos teria de agir. As tesouras estavam no chão ao lado do corpo do homem em chamas, as alcancei e retirei um fio da minha roupa, forte o suficiente para ser capaz de puxá-las de volta.

Pego a manta perto da cama e atiro sobre o corpo em uma tentativa de atrasar as chamas, me preparo para acertar os símbolos com as tesouras, caso meu plano funcionasse, os símbolos parariam de funcionar e a magia poderia ser usada novamente. Invocaria o demônio encouraçado, os colocaria em suas costas, com sorte o chão não cederia, seguiríamos pelo corredor até chegar em algum lugar seguro, mas caso cedesse continuaríamos pelo andar de baixo, até estarem todos seguros. Respiro lentamente e enquanto as tesouras são disparadas à seu objetivo, penso comigo mesma. -  Isso tem que dar certo.- Eins se segura firmemente em meus cabelos e se prepara para caso tudo de errado.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
49

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Seg Abr 20, 2015 11:15 pm

Myra - 10 mp


A destreza que a garota tinha com suas armas era certamente incrível, ela lançou a tesoura de forma certeira no símbolo, e o outro nem mesmo foi preciso por que este queimou junto com o resto do quarto. E como ela previu, o chão cedeu, principalmente com a invocação daquele demônio no local. Ele fez o ar ficar impregnado com o cheiro de sangue que ele exalava e o fedor de carne podre, ele obdecia com a maior facilidade de todas, era como se ele não tivesse qualquer cérebro para pensar por si só. Finalmente o chão cedeu, afundando com Myra e os outros pendurados no demônio.

A escuridão os envolveu em quanto caiam, aparentemente o quarto ficava em cima do... Nada? Depois de um tempo ela soube que o chão estava distante, o demônio que ela havia envocado afundou primeiro e ela ouviu o baque da queda, em seguida ela começou a sentir frio e se aproximar do chão, não conseguia ver um palmo a sua volta, e de repente ela afundou na água.

O frio e a sensação repentina de perder o ar não eram nada agradáveis, mas os pés da garota encontraram o fundo rapidamente e permitiram que ela se erguesse. O demônio estava bem, aparentemente ele tinha algo que o impedia de ser danificado em quedas. Os amigos dela também, mas acabariam fedendo depois de ficar grudados naquela coisa.

O caminho na sua frente começou a clarear, conforme os olhos adaptavam-se... E ela estava vendo no escuro?, não tinha certeza de como conseguia fazer aquilo, mas fazia. Uma grande porta de ferro com um anjo esculpido em pedra de cada lado, os dois com apenas uma asa.  Runas circulavam a porta, e um círculo mágico no chão.

O estranho aconteceu nesse momento. UMA CRIATURA flutuante segurando um tipo de lamparina surgiu no circulo mágico, iluminando a área. A Lamparina não era uma qualquer, ela exalava energia negra, apesar de brilhar em branco. Ele trajava roupas totalmente negras, de couro. E no rosto usava uma máscara de metal totalmente fechada, com dois chifres, um em cada lado da cabeça. Também tinha uma espada de pequeno porte atrás de si.

- Ei, você! Qual seu nome? - Ele movia sua cabeça como se a analisasse -Me tire daqui! -


Asgard

Obteu a chave e disparou na direção do monstro, onde o acertou com o facão do Djinn. A arma bateu com força contra a articulação do braço do gigante, no momento em que ele estava se levantando. E ele se inclinou para o lado por causa da dor, berrando qualquer coisa inumana. E Asgard viu que Aharon não estava mais ali, por algum motivo, ele simplesmente havia desaparecido.

Mas ele não tinha tempo para ligar pro amigo agora "pulverizado". O monstro era lerdo, mas forte, ele pegou uma das pedras do chão e lançou contra Asgard, se pelo menos tivesse um escudo como o de Aharon... E ele tinha. A espada divina flutuou no ar, brilhou fortemente como o momento em que o terço do companheiro havia feito, e assumiu a forma de um escudo azulado como o metal da lâmina, que o protegeu contra a pedra, apesar de fazê-lo recuar forçadamente.

Após isso o escudo voltou a ser uma espada. O gigante já preparava outro ataque, novamente com uma rocha na mão... Mas ele não ia lançar essa, ele ia tentar esmagar Asgard. - Ei! - Uma voz distante - Por aqui! - Era uma voz feminina chamando, de uma porta que não estava alí antes, atrás de Asgard mas havia surgido agora como magia. Se virasse para olhar poderia ver a aparencia DELA.

Usava um cachecol vermelho, roupas pretas com o símbolo de Valiheim bordado em fio de prata no ombro direito, no esquerdo o símbolo de alguma das divisões, seguido pelo de tenente.



Blake, Thomas, Joker


O monstro era certamente ágil, recuou fazendo o golpe de Blake acertar o ar, mas por um momento ficou quieto... O que havia acontecido? por que ele parou? Não importava. O soco do capitão da vanguarda afundou a máscara da criatura e pentrou, acertando o rosto dele, ele até tentou cortá-lo com uma de suas espadas mas não conseguiu, então cambaleou para trás. Thomas se aproximava e o acertou atravessando a espada no rosto da criatura, o metal não foi facilmente perfurado mas com um pouco de pressão conseguiu. O demônio  não conseguia se recompor de tão rápido que os ataques vinham, e Joker cortou sua cabeça com um golpe final.

A criatura caiu contra o chão, aparentemente sem vida. E tudo ficou quieto... Até as partes do monstro começarem a se juntar. Uma arrastando-se para junto da outra de forma nojenta, quando se aproximaram o suficiente os músculos começaram a grudar um no outro, se entrelaçando e puxando até voltar ao normal. As feridas se fecharam e a máscara desquebrou-se voltando a estar intacta.

- Minha vez - E eles sabiam que nada de bom viria. - Você não tem medos... Joker?... Você.. Se vê.. No espelho... ? Ou você vê... - Ele começou a transformar-se no tenente, era idêntico, exceto pela voz. O demônio olhou para ele e disse - Isso - E chifres começaram a se erguer na cabeça dele, os olhos a serem contornados por preto e a pele descascando. Então voltou para a forma anterior, monstruosa e demôniaca, com quatro braços. - Maldito... Anel - Ele cansou de falar. Ele avançou com uma velocidade intensa contra os três, primeiro contra Joker usando seu primeiro braço direito para acertálo, e o segundo esquerdo também empunhava uma lâmina, a qual ele direcionou contra Thomas, e em quanto lutava com os dois parecia não dar muita atenção para Blake. Joker começou a se sentir tonto.




Prazo: 25/4

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
156

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Sab Abr 25, 2015 11:36 pm

Uma euforia começava a crescer no peito, o monstro a minha frente podia ser machucado e estava precisando descontar os últimos acontecimentos, mas ainda sim tinha que conter isso, pois a desvantagem era nítida, sua lerdeza era minha única vantagem já que sua grande resistência e força eram mais do que necessário para me abater em um golpe se eu vacilasse.

Chave em mãos e um acerto bem colocado em suas juntas talvez eu não devesse abusar da sorte e sair logo dali, mas as passagens estão bloqueadas e no meio da única saída está à criatura... Poucas opções e em pouco tempo, a base onde estávamos está comprometida e o teto não suportara tantos impactos do monstro sem ajuda dessas bases.

Devo dizer que ainda sou descrente, mas isso está mudando bem rápido.

Com o movimento do monstro, só pude pensar em tentar cortar a pedra arremessada, já que era minha única defesa, e qualquer coisa que tivesse nos bolsos somente sairia uma grande explosão aumentando minhas chances de ter uma morte pior, pois já estava morto. Ou era o que pensava. Com aquele brilho, somente guardei a espada o mais rápido que pudesse para segurar aquele objeto brilhoso em minha frente e fixar meu corpo como desse.

Devo ter morrido e deus está mostrando que ele existe ou algo parecido, se não, por que infernos teria uma criatura como ela naquele local e exato momento? Chamando-me para segui-la para uma gruta escura, mas como uma passagem secreta. A segui sem pensar duas vezes, só esperava não ser armadilha. Pensei nisso após tatear o próprio corpo, assegurando que ainda estava vivo.

Correndo para chegar mais próximo dela, mantive a espada divina em mãos para clarear o caminho.

- Obrigado pela ajuda... Desculpa mas... quem é você e por que está me ajudando? – Era visível minha desconfiança, mas naquelas circunstancias. A espada divina era também um bom motivo para se estar em mãos.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
63

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Dom Abr 26, 2015 10:41 pm

Fade
"We won't fade away, we'll find peace while others change"

Em instantes o odor da carne podre e do sangue negro passavam a invadir o ar. Aceitava aquele fedor com um repudio silencioso, já havia cortado eu mesmo a cabeça daquela criatura deturpada, bem sabia que isso não faria bem algum, mas não deixaava de sentir-me um tanto mais aliviado em ver aquele cranio rolando pelo chão. Não podia dizer com certeza o final que o esquadrão havia encontrado, poderiam muito bem estar vivos enquanto jaziam presos em algum calabouço, essa sim era a alternativa mais viavel para meus olhos. Eu mesmo conhecia-os, sabia mais do que ninguém sobre o que eles eram capazes de fazer, justamente por isso tinha a certeza de que não seria algo fragil como aquele ser, que os faria encontrar seu fim, meu maior problema era que mesmo sabendo disso tão bem, não conseguia evitar o mau agouro que sentia dentro de mim.

Era assim que permitia-me um momento silencioso de luto, no pior dos casos sabia o que aconteceria, e por mais que confiasse em qualquer um deles, sabia que era justamente o pior dos casos o que mais se repetia. Infelizmente, sentia-me ainda mais perto de saber a verdade nestas mesmas palavras enquanto observava a cabeça decepada da criatura. Lentamente, aquilo que estava morto passava a se unir com uma sinfonia deturpada de carne sendo costurada e refeita. Observava com certo espanto, e até mesmo alguma admiração, enquanto o pescoço do demonio era refeito o colocando de pé perfeitamente imune. Se roubar-lhe a cabeça não bastava para que pudesse observar a criatura encontrando seu fim que assim seja, não me importaria em mata-lo até que ele finalmente caisse morto no solo.

Com uma das mãos seguraria o grimorio que carregava preso ao cinto, noutra tinha a espada escarlate fixa e pronta. Estava prestes a saltar para corta-lo mais uma vez enquanto faria surgirem a partir da ponta da lamina que tocaria o livro, quatro novas cartas do julgamento, laminas flutuantes de formato curioso que circulariam ao redor de meu corpo a espera do momento do bote. Estava a um único momento, quando a fala da criatura interrompia-me de súbito. Via com desgosto enquanto sua forma diminuia e se transformava em um espelho para mim, podia me ver naquele ser infernal, e não gostava nem um pouco do que era mostrado. Por um breve momento em meio a confusão, observava meu próprio rosto cedendo ao sangue demoniaco, observava os chifres, as presas e a podridão que emanava juntamente de minha vida, encarar-me daquela forma, era minimamente asqueroso. Sentia meus sentidos nublando enquanto o estomago revirava na barriga, a partir deste exato instante teria mais uma razão para degolar a criatura que se punha no caminho da missão.

O anel carregado pelo capitão freava a ilusão, mas não o avanço daquele ser, duas de suas laminas saltavam para beijar nossos corpos, não pretendia ser eu o atingido por qualquer uma delas. Saltaria em rumo do combate, agiria com sutileza e precisão usando o livro como uma forma não tão necessária para concentrar nas quatro cartas que manteria ao meu redor, um amuleto que usaria para garantir o controle das cartas. Com elas defleteria o ataque que viria contra mim, atirando duas das cartas diretamente com o braço da fera, uma delas miraria contra seu pulso, enquanto outra buscaria atingi-lo no antebraço. O movimento que buscava não apenas ferir como frear o impacto que viria, seria realizado em sincronia com um avanço da outra parte de meu corpo. Com a lamina reta estocaria contra o peito da criatura buscando atingir exatamente aquilo que ele poderia chamar de coração. Com a lamina sendo cravada contra sua carne manteria ambas as outras cartas livres girando ao redor de meu corpo. Prontas para cortar em filetes qualquer retalhação servindo tanto para manter a criatura relativamente afastada, quanto para auxiliar em algum próximo movimento que tomasse.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Qua Abr 29, 2015 2:19 am

Blake tinha sido o primeiro a atacar. Como sempre era de seu feitio, não precisava de armas. Suas armas eram seus punhos. Entretanto, um movimento daquele demônio fez Thomas estreitar os olhos. O que tinha sido aquilo? Porque ele tinha parado? Ainda pensando nisso, avançou contra a criatura para não lhe dar tempo de fazer alguma coisa e lhe infligiu um grave corte no rosto, deixando que Joker terminasse o serviço cortando-lhe a cabeça fora. Deu alguns passos para trás, olhando aquele corpo sem vida no chão. Mas algo ainda lhe incomodava e fora justamente o movimento estranho que o demônio fizera antes do soco de Blake.

Como resposta, a maldita criatura se ergueu e se juntou. Thomas estreitou os olhos mais uma vez, mas manteve a concentração. Sabia que não seria assim tão fácil derrotar um monstro daquele calibre, então precisava raciocinar. Contudo, dessa vez o foco tinha sido Joker. Aliás, o foco estava sendo o rapaz desde o início. Thomas se aproveitava daquela situação para pensar e tentar achar uma forma de derrotar aquela besta. Uma surpresa, porém, fora o fato de o anel trabalhar como anulação de uma das magias daquela criatura. Darwishi ainda não entendia o poder do Anel, mas ao que parecia tinha a função de lhe revelar coisas ocultas e sempre mostrar o que era verdadeiro diante de tantas mentiras naquele mundo caótico. Aconteceu com Aegon, mostrando sua forma pútrida e agora tinha acontecido com aquele maldito ser, fazendo-o regridir para a sua forma original. Argo certamente sabia do que poderia acontecer depois que Thomas decidisse partir em sua viagem pelas Armas Celestiais e aquele Anel fora a última esperança de proteção contra todas aquelas inverdades.

Notou também que o Anel pareceu cansar-lhe. Mas não o corpo. E sim a magia. Observou bem o ataque daquele ser que voou para cima de si e, envolvendo sua espada em chamas, moveu-se para frente. Até que ao seu redor o ar explodiu numa conhecida circunferência ao redor de Thomas. - Joker, ataque de longe com as cartas. Não entre no círculo! - Enquanto isso, Thomas avançava com a espada, procurando finalizar aquela luta rapidamente.

[Usei minha Skill de Anulação]
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
92

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Sab Maio 02, 2015 10:01 pm

Como previsto, o chão cedeu, parecia uma queda sem fim, mas algum tempo depois pude sentir o ar gélido e em seguida, água. A sensação de ficar sem respirar fora agonizante, mas logo pude sentir o chão sob meus pés e voltei a superfície. Chequei o demônio e os meus companheiros, todos pareciam bem, e não era como se eu me importasse com o demônio, ele era quase uma pedra na maior parte de seu corpo.

O caminho se iluminou, não havia luz, então será que eu estava vendo no escuro? - Legal - disse a mim mesma. Continuei andando pelo caminho,não podia ver muito então continuei em linha reta, o demônio me acompanhava, com os três apoiados em suas costas, ainda desacordados. Conforme me aproximei, pude ver uma porta, com anjos em cada lado, na frente da porta possui uma criatura envolta a runas, que acredito, ser a razão de não poder sair(do circuloé). Ele, creio eu, flutuava, e possuía uma lamparina que mesmo tendo uma aura branca e que normalmente representa a pureza, podia sentir de longe a maldade e o ódio, assim que me avistou a criatura começou a me olhar, como se estivesse observando todas minhas características, e por fim disse -  Ei, você! Qual seu nome? Me tire daqui! - eu o olhei desconfiada e o respondi. - Quem eu sou não é do seu interesse, e por que eu deixaria um demônio livre? E olha, está na cara que você não é do bem, da pra notar por essa lamparina indecisa, e se podes fazer essa pergunta, eu também posso. Quem é você?. -  cruzei os braços e o observei com uma expressão de desdém.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
49

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Dom Maio 03, 2015 1:52 am




@ Blake, Joker, Thomas.

“ E não é maravilha, porque o próprio satanás se transfigura em anjo de luz “ - (2 Coríntios 11: 14, 15)


O demônio era certamente um incômodo. Por mais planejados que os ataques de Joker fossem, eles foram impedidos pela magia de Thomas que afastou o tenente e Blake. Avançando contra o ser de quatro braços o capitão descobriu que ele podia ser rápido também. As duas espadas e braços de baixo se ergueram para defender a lâmina em chamas, e de repente a criatura começou a se desfazer, sua pele se desfez como papel queimado caindo ao chão, e a lâmina cedeu quando trincou em vários pedaços.

- Ora ora... – A voz duplicada começou a falhar, e de repente para o demônio a fala era algo muito difícil.

Quando as lâminas do monstro se desfizeram o fogo acertou o que restou dele e o queimou, ali em pé, e ele não saiu do lugar. Em quanto as chamas consumiam cada pedaço de carne no monstro ele apenas ficou parado e de repente uma risada maligna preencheu o cômodo, em quanto o chão começou a se desfazer, e tudo em volta de Thomas. E ele entendeu que aquilo se devia a sua magia, que estava desfazendo o cenário.

As rachaduras no chão se estenderam até Blake e  Joker e o chão desabou... Mas eles não caíram. Flutuavam no ar como se o piso continuasse ali, mas não viam nem sinal dele, apenas uma escuridão que começou a se estender pelas paredes e cerca-los até estarem no nada, e os três sentiram frio, como se estivessem dentro de um rio.

- És sortudo ou pensou nisto? – A voz veio mais uma vez.



E reconheceram, era a mesma que havia os chamado. O som de asas batendo veio do céu e puderam vislumbrar asas de fogo nas costas de um guerreiro com armadura negra. Ele tinha um capacete com dois chifres e não carregava qualquer arma, mas será que ele precisava de uma? ” podia sentir algo estranho vindo dele. Não passava de uma sensação, mas sabiam reconhecer alguém forte na sua frente e definitivamente aquele cara era bastante forte “. Pousou na frente deles e as asas se apagaram, revelando serem negras como o próprio cenário, além de não ter nenhuma pluma... Apenas carne. O homem misterioso começou a bater palmas, todo movimento que executava fazia sons metálicos vindos de sua armadura, que parecia brilhar.

- Por quê eu não consigo entrar na sua mente? – Ele deu dois passos na direção de Thomas, e apontou para a cabeça do garoto. – Tens alguma proteção? Algum anjinho te tocou? – Então olhou para Joker – É bem mais difícil entrar na sua cabeça, mas eu consegui o suficiente, não é? Sabe... Já ouviu aquela frase “ Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não torna-se também um monstro” ? O seu pior inimigo... É você. – E sorriu como se fossem amigos, mas a presença dele era uma pressão no peito de cada um ali.

- E você... Não tens uma mente para que possa invadir? – E inclinou a cabeça tentando entender o que se passava ali. Deu um passo para trás e se apresentou – Peço perdão pela minha má educação, meu nome é Crowley – E sorriu – É costume ajoelhar perante um príncipe – E ficou ali esperando, mas ajoelhariam?




@ Asgard

O caminho a sua frente era escuro e a única luz que eles tinham era a espada mágica. A passagem atrás deles havia se fechado. A garota pegou algo dos bolsos, era um tipo de dispositivo que se abriu e formou uma lamparina que se acendeu automaticamente, algo no mínimo interessante. – Christine, Tenente da divisão de reconhecimento Asa Negra – Ela apontou para o símbolo na jaqueta, e então ergueu a camisa até a altura do umbigo, onde pode notar o símbolo dos guardiões marcado a fogo. – E você? Quem é ? – Ela carregava uma mochila de couro nas costas, mas nenhuma arma a vista.

As roupas dela eram manchadas de sangue e sujas, tinha alguns cortes também mas a garota parecia suficientemente bem... Apenas cansada. O caminho não era tão longo, e logo a luz da lamparina e da espada não eram mais necessárias, pois haviam chegado a uma SALA clara.

E apesar de clara, não era nada arrumada. Estava quase inundada. Uma grande poça de água se estendia no meio dela, o local era circular e um dia já havia sido uma biblioteca, com dois andares. Tinha uma mesa no meio dela, com alguns livros já prontos, e a garota apontou – Ali estão os relatórios dos últimos dias, tenho certeza que vais entender alguma coisa se os ler – E se afastou para sentar em um banco.

Asgard ouviu passos metálicos se aproximando de uma das entradas da biblioteca, então o som do arrastar de uma estante, mesa ou qualquer coisa assim. – Fechei! – A voz avisou e se aproximou deles. Um HOMEM todo em armadura, com um mante grosso e laranja, assim como a maioria dos detalhes de sua roupa.
Ele tinha um capacete com apenas um buraco grande e vários outros que impedia Asgard de ver seu rosto, e também segurava uma grande lança... E não mostrava o símbolo de Valiheim em lugar nenhum, nem da Atalaia. – Oh, temos um convidado? – Ele brincou – Darius, a sua disposição – E curvou-se com gentileza, caminhou então até um baú ali próximo e o abriu com esforço, tinha comida dentro, e água também. – Fique a vontade – E sentou-se em um dos bancos... Aquele dois não pareciam ser ofensivos.




@ Myra

O demônio pareceu respirar fundo, como se não tivesse gostado de algo. Mas ele não tinha muito o que fazer ali, e mesmo que quisesse não poderia... Afinal, estava preso. - Turech – Ele respondeu – Meu nome – E balançou a lamparina brilhante e medonha. Ele flutuava e aquilo era de certa forma engraçado, andou até a borda do círculo e pôs a mão sobre o ar, como se houvesse uma parede invisível ali.

– Se me libertar, estarei em débito com você – A voz dele era duplicada, ou triplicada, não dava pra perceber direito, mas era tão medonha quanto os chifres em sua cabeça. – A ajudarei a abrir aquela porta – E apontou para o portão com vigas de ferro, que estava fechado. – Só tens de me libertar – E apontou agora para o chão, em volta dele. O círculo era algo moldado no chão e para quebra-lo precisaria de um golpe de algo forte.




@ Spark

- Ah. O batedor – Ela sorriu e continuou mexendo nas caixas que estavam ali, até que alguém se aproximou. Uma garota se aproximou, trajava azul com o símbolo da atalaia bordado nas costas com fio de prata, os cabelos da garota eram longos e no pescoço estava um colar com uma esfera azul brilhante, algo realmente belo... Assim como ela. A GAROTA tinha cabelos castanhos e olhos azuis – Tenente Sarah! – Lyela se curvou em forma de respeito.

- Temos um problema – Ela disse e só então notou a presença de Spark – Você... Te conheço, não? – E saiu andando, fez um sinal com a mão para que eles acompanhassem – Os quartos que os soldados de Valiheim se hospedaram, eles estão pegando fogo – Conforme atravessavam os corredores podiam ver a agitação aumentar, guardas vindos de todos os lados, alguns pareciam apenas curiosos, outros carregavam baldes de água, quando finalmente chegaram no corredor dos quartos o fogo já não deixava alcançar nenhuma porta.

Uns cinco guardas lançavam água contra as chamas mas não parecia funcionar. - Existe um caminho por baixo dos quartos, talvez dê para chegar lá dentro através deles, não sei – Concluiu ela – Eles são seu grupo, quer tentar a sorte? – Perguntou para Spark.




CROWLEY

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
156

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Sab Maio 09, 2015 2:31 am

- Asgard, primeiro em comando nos requisitos em caça... – Inicialmente não senti confiança em prosseguir com a frase dizendo o que era, mas o símbolo dos guardiões em seu corpo fez sentir um pouco mais a vontade, e a pausa antes prolongada transformava em uma extensão de uma palavra só como forma de continuidade da frase. - ......eeeeeh... um dos guardiões. Acho que temos algo em comum. – Talvez certa tristeza em minha frase e voz, mas era pelo fato de não ter completa noção do quão grande era a região em que morávamos e quantas guarnições poderiam existir.

A luz da grande sala cegara temporariamente por existir mais escuridão do que luz, mas logo meus olhos acostumaram. Se ainda estivesse com a mão esquerda, iria saltitando pelas estantes vasculhando livros ou qualquer outra coisa que chamasse a atenção, mas isso não ocorreria tão cedo. O cansaço de estar sempre correndo era grande, podia perceber por ela também que não estava tão disposta como ela gostaria e mesmo assim mantínhamos um espirito para nos manter em pé não importa o que fosse. Como estava mais interessado nos livros que poderiam ter restado e sobrevivido nas estantes, nem observei a mesa com livros arrumados e prontos para leitura.

- Hum... Quantos dias já esta por aqui? – Talvez não devesse ser direto, mas pelas circunstancias e precisava de informações solidas. – O que realm... – Interrompido por um barulho ao fundo. Um lanceiro de grande porte e pelo modo de se comportar bem receptivo. – Hum... Asgard meu nome... Bom, desculpem pela minha grosseria – Interrompido pela indicação de Darius pelo baú com suprimentos disponíveis para os três. – Novamente, perdoem-me a grosseria, mas o que realmente são vocês? Estão nos perseguindo? – Dirigindo-me ao baú e aos livros indicados pela Christine, mantendo a percepção elevada para qualquer movimentação suspeita, não importando quão inofensivos parecessem.

Desde que cheguei ali, sendo salvo por Christine, comecei a pensar em varias coisas, mas elas basicamente afunilaram com a chegada à biblioteca. Uma parte dos pensamentos era em relação aos dois a minha frente, ajudando um desconhecido achado batalhando contra um monstro, ainda por cima traziam relatórios dos últimos dias.... Como poderia saber algo? Relatório deles nos observando? Dos locais e pessoas vistas? Do que realmente? Era deixada uma informação muito vaga. Em contra partida, poder observar aquela quantidade de livro deixava-me animado para aprender uma nova tecnologia ou, até mesmo, magia que ajudaria em novas armadilhas e curas, mas também um ato desesperado pela recuperação da mão. Mobilidade era necessária , pelo menos até conseguir me adaptar.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
63

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Aehoo em Seg Maio 11, 2015 10:02 pm

O ataque repeliu a magia de Joker, mas não somente ela, assim como tudo ao seu redor. Thomas não parou o ataque e seguiu finalizando até acertar aquele demônio, mas o que veio a seguir conseguiu surpreender Thomas mais uma vez, mesmo que sua expressão facial estivesse completamente indiferente. O cenário todo começou a desaparecer. Tinha noção que era por causa de sua magia e tinha pensado nisso, mas não sabia que todo o cenário seria afetado. Sua magia estava mais forte, certamente, mas um poderio enorme também era necessário para erguer um cenário daqueles cheio de detalhes. Quando deu por si, estavam totalmente na escuridão, apenas os três e então Thomas simplesmente esperou, até porque ele sabia que não iria acabar ali.

E como desconfiara, aquela voz veio de algum lugar, acompanha de um ser que Thomas sentiu imediatamente ser muito forte. A sensação de poder que ele causava lhe afetava e Darwishi pela primeira vez tomou conhecimento de que chegar à Lúcifer ou até àquelas armas não seria fácil com todos aquele servos poderosos aparecendo. Até mesmo porque a Atalaia estava corrompida como Thomas bem podia ver. As pessoas pouco a pouco perdiam a esperança em tudo aquilo que a humanidade tinha construído, mas o que mais lhe decepcionava era o fato de terem perdido as esperanças em Deus. Isso era uma coisa que Thomas nunca iria deixar acontecer consigo. Ele tinha uma missão que era levar paz ao mundo e a missão de Deus era sublima; Thomas não poderia decepcioná-lo.

Enquanto aquele ser falava, Darwishi permaneceu calado. Provavelmente sua mente estava protegida também por causa do anel que Argo lhe dera. Ainda não sabia de todos as propriedades daquela joia, mas agradecia o fato de ela estar consigo. De qualquer forma, estava sendo bem protegido durante aquela jornada. O Demônio se intitulava Crowley, um Príncipe. Provavelmente um dos Príncipes do Inferno. Thomas nunca tinha estado frente a frente com um deles. Entretanto, não se ajoelhou e tinha certeza de que nenhum de seus parceiros também o faria. - É um prazer, Crowley. Se não entrou em batalha novamente, é porque tem algo a dizer ou algo a oferecer. Eu não tenho o tempo todo. Tenho uma Atalia pra destruir. O que você quer? - Indagou, sério e sem recuar um passo.

Thomas era pequeno, mas seu tamanho não se traduzia na imensidão de sua coragem.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
92

Data de inscrição :
08/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Gregar em Qua Maio 13, 2015 10:40 pm

Onslaught
"They say we all have the beast in our hearts, let's prove them right"


Cada novo instante fazia aquela sensação crescer dentro de meu peito. Sentia como se encubasse dentro dele algo negro e corrompido. Medo, era essa a forma mais clara de classificar o que sentia, uma pegajosa mistura de energia pesada e caótica que fluía de dentro para fora, comum a mim que sempre havia conseguido aprisiona-la dentro de minha consciência, mas agora? Agora tudo aprecia tão terrivelmente poderoso e descontrolado, tão corrompido por mim mesmo que a própria realidade chegava em formas falhadas até mim. O estomago revirava com tudo que acontecia, sentia a força deixando-me enquanto caia apoiado por sobre um dos joelhos. Fraquejava era verdade, não era desprovido de motivos, não como anteriormente. Tudo ao meu redor parecia turvo, como se a escuridão fosse na verdade as profundezas marítimas, as palavras gritadas pelo ser que se intitulava príncipe atravessavam meu crânio sem fazer um real sentido.
Mesmo sem ouvir as palavras, sabia o significado por trás delas, era forte o bastante para me fazer cair apoiado com as palmas ao solo. Minha mente vagava pelas memórias a muito esquecidas. Uma infinidade de sangue parecia cobrir todo o caminho a minha frente, enquanto a morte acompanhava a todos de perto, havia falho de novo? Poderia facilmente erguer a mão ao céu e tocar a vivida lembrança da razão por eu liderar as cartas. Todos éramos armas, criados para nada além do massacre, a missão vinha a frente de tudo, sempre acreditei que era essa a maneira certa de se manter vivo. Não temia a morte, temia o esquecimento, ser taxado como falha e abandonado a escuridão era muito mais que um simples pesadelo, era o que me mantinha em combate. Pelo medo pude lutar, era o pavor meu verdadeiro combustível, e fora graças a eles que pude mudar. Éramos  quatorze quando tudo começou, mas o sangue estava em minhas mãos antes que pudesse perceber, era eu o melhor para fazê-lo, era o exterminador de todos os que caiam a loucura, inclusive daqueles sete. Era estranho como me lembrava de seus nomes e atos, mas não de seus rostos, nunca havia parado para refletir sobre, mas nem ao menos nesse instante suas faces voltavam a minha mente. Merecia isso por tê-los matado em nome da missão? Não precisava admitir, sabia que todos estavam fadados a desaparecer, o sangue do demônio faria com que todos caíssem por nossos próprios poderes, como eu seria diferente? Jurava ser o ultimo de minha linhagem, tudo terminaria comigo? Meu próprio tempo estava escorrendo pelos dedos, podia sentir melhor que todos, se fosse para tombar, o faria como o guardião, não como a besta.
Ainda hesitante me colocaria de pé. Estava aterrorizado, mas não era o descanso que viria juntamente da morte que me marcava, era o medo de não resistir à tentação que cobria meu corpo. Com espada em uma mão, abriria o livro em agilidade completa, e puxaria ambas as cartas guardadas nele para serem disparadas. Primeiro arremessaria o Mago contra a figura a nossa frente, em uma tentativa de com a explosão gerada ao primeiro toque criar uma distração ágil o bastante para que o Tolo se fincasse contra aquele ser. Meu segundo movimento seria gerar outra carta do Tolo e dispara-la em rajada juntamente de quantas cartas do Julgamento conseguisse atirar contra a figura. Não me importava, não no momento.
- Senhor, mantê-lo-ei preso comigo aqui, por favor, nesse meio tempo peço que avance em direção ao nosso verdadeiro alvo. Falaria gerando uma ultima carta sob a ponta dos dedos. A Força. Com espada em riste e ciente do que ocorreria avançaria contra a criatura, deixando a carta colar-se em meu peito, assim que estivesse próximo o bastante para ver apenas aquele ser. Tudo que aconteceria em seguida seria deixar o instinto guiar-me para o combate que se erguia a minha frente.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
66

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Frist em Qui Maio 14, 2015 10:39 pm

Perto do limite!


O estranho demônio que se recuperou da ofensiva do trio, se preparava para a verdadeira luta, porém  não dava muita atenção para Blake que já se preparava para investir novamente, porém assim como o demônio seus companheiros começaram a agir por si só e o capitão ativou sua magia, que acabou por ter uma potência impressionante. Mesmo amparando o golpe de Thomas, a criatura, ou melhor, a estranha voz que já não era mais estranha começou a falhar e o demônio a se desfazer, porém não apenas ele, mas também o chão, as paredes e tudo ao redor, Blake não se mexia, apenas observava o local ao seu redor se transformando em escuridão e sobrando apenas três figuras naquele meio, ele, Thomas e Joker.

Foi então que o som do bufar de asas tomou conta do local, Blake já franzia as sobrancelhas e se preparava para mais uma das peripécias demoníacas que dominavam esse novo, e estragado, mundo. Então um guerreiro, todo armado de armadura e uma arma toda ornamentada desceu com asas em chamas, cuja presença emanava algo diferente de tudo que já havia visto, diferente de qualquer demônio que havia enfrentado, aquele era um oponente diferente, era realmente forte... Blake se portava como seu companheiros, apenas observava e escutava o que o demônio fazia e falava, aquele era Crowley, algum tipo de figurão dos infernos e o frio que percorria todo o lugar somente com sua presença, dava um vislumbre a Blake de um pedacinho do próprio inferno gélido.

Thomas não demorou para responder a Crowley, ninguém ali se ajoelharia a um ser tão baixo como aquele e de prontidão Thomas o respondeu e Joker tomou suas ações, Blake nem tinha tempo de responder a Crowley, sua mente também estava celada junto de suas verdadeiras habilidades e nenhuma criatura imunda como aquela poderia tocá-la, o mais importante agora era ajudar Joker que simplesmente atacava a figura que parecia ser tão forte, não podia deixar um companheiro correr para a auto-destruição daquela maneira. - Porra, ele não passa de um muleque!!!- Blake flexionou os joelhos e bateu punho contra punho a frente do corpo, deixava sua própria magia fluir mais forte em seu corpo, sentia seus braços esquentarem e o vapor sair em grande quantidade das fissura... - metade... não... vou precisar de mais para alcançar ele antes que de mais merda... 60... 70 VAI TER QUE DAR!!! - As veias de seu pescoço e sua testa saltavam, sua pele ia ficando avermelhada em meio a todo aquele poder sendo liberado, seus pés precionavam mais forte contra o chão em que pisava e mal enxergava e de uma vez, como se fosse o próprio disparo de um canhão se projetou para a direção de Crowley e Joker - Merda!!- enquanto avançava o mais rápido que conseguia e vendo as cartas do rapaz serem disparadas.

Assim que alcançasse o jovem, o agarraria pela parte de trás de seu casaco com seu punho mais forte e o sacudindo no ar, durante o próprio movimento o jogaria para trás, para perto de Thomas, torcendo para não ter exagerado em sua força, e então ainda continuaria para a direção de Crowley aproveitando do momento que as cartas de Joker criassem e quando chegasse a pouco menos de dois metros dele, levantaria os braços para o céu e juntaria as mãos, entrelaçando os dedos, quem vê pensa até que ia rezarem?!, e então as chocaria com toda a força contra o chão para que o impacto seguisse na direção do inimigo, para promover pelo menos um abalo que o fizesse recuar um pouco.

avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
27

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Spark em Sex Maio 15, 2015 1:59 pm

Acontecera tudo muito rápido, ou talvez não, Spark havia perdido a noção do tempo por uns instantes sem saber o motivo, talvez só estivesse cansado afinal desde o começo da jornada não havia por um momento parado para ter um descanso apropriado. Ainda em frente a  mulher da enfermaria Spark juntou suas mãos e levou até seu rosto, puxou a respiração e então se deu dois tapas nas bochechas, isso não o faria despertar por completo mas adiantou um pouco para trazer de volta sua atenção.

Antes que pudesse responder qualquer coisa fora interrompido por uma pessoa, uma bela mulher de cabelos castanhos e voz suave, sem perder tempo com apresentações ou coisas do tipo ela anunciou que os quartos onde seu grupo estava hospedado haviam pegado fogo. O sátiro ficou um pouco confuso, não faziam muitas horas desde que ele havia se separado de seu grupo, como diabos os mesmos poderiam ter posto fogo no lugar?
Aharon deve ter retornado e arranjado uma briga com o mago” – Esse foi o primeiro pensamento que veio a cabeça de Spark, mas achou que não seriam idiotas ao ponto de incendiar o lugar por tal coisa. “Um ataque, devemos estar sobre o ataque de alguém!”.

Seguiu as duas mulheres calado até chegar aos alojamentos e viu que todos eles estavam em chamas TA PEGANDO FOGO BICHO, foi uma supressa, não achava que o fogo se propagaria aquele ponto, mas dai lembrou que Blake havia quebrado todas as paredes e transformado aquilo em um quarto só.

Existe um caminho por baixo dos quartos, talvez dê para chegar lá dentro através deles, não sei – Concluiu ela – Eles são seu grupo, quer tentar a sorte?

Depois de ouvir isso o pediu por instruções de como chegar lá e seguiu se dizer mais nada, viu que se encontrava em um calabouço, o lugar tinha muito pouca iluminação, para não dizer que não havia iluminação alguma. Não sabia que perigos aquele lugar o podia trazer, então pela segunda vez na mesma “noite” ficou invisível para investigar o local. Andou um pouco sem ver nada até chegar em um corredor inundado, era um local bem iluminado, olhando pelas grades que haviam em seu teto podia-se ver que era logo abaixo de algo que parecia um salão. Continuou a andar por um tempo até que começou a sentir um cheiro pútrido, não havia como não reconhecer o cheiro daquele demônio que ele e Asgard haviam encontrado logo no inicio da expedição, seguiu aquele cheiro e pode ver ao longe a silhueta da criatura e ao lado dela a garota do grupo.

– Se me libertar, estarei em débito com você.
Ouviu uma voz que não pode identificar ao fundo, não parecia ser um humana, se fosse provavelmente seriam duas ou três pessoas falando ao mesmo tempo.


Não sabia se a situação era segura ou devida para fazer uma aparição, então ainda invisível se aproximou de Myra com passos leves e deu uma leve apalpada no traseiro da garota esperando que a mesma percebesse que era ele, ao chegar perto viu também que o demônio fedido carregava em suas costas os outros integrantes do grupo que estavam desacordados. Decidiu que não faria nada, iria esperar em posição preparado para atacar o demônio caso ele resolvesse tentar algo contra Myra e seu grupo.

Off:To destreinado então não consigo fazer post muito bem, desculpa clã asuhasuhasuh

Ps: O bode ta meio lerdão por causa do sono e meio atordoado pelo cheiro do bicho da menina Myra.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
22

Data de inscrição :
07/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Myra em Sex Maio 15, 2015 11:12 pm

A criatura disse seu nome, era estranho, mas deveria ser normal para um demônio. Pareceu se ofender com o meu tom orgulhoso, apenas ignorei e comecei a refletir sobre o que poderia acontecer. Bom, ele poderia me matar, ou não, poderia me ajudar com a situação...ou não também, um tempo se passou e senti uma mão em minha bunda...não, apenas três malditos dedos, ou seria uma pata? Enfim, sabia que o bode estava ali, então presumi que seria seguro libertar o demônio, dei um sinal para o meu servo "acomodar"  meus companheiros debaixo de uma queda d`água, que saia de uma das tubulações de esgoto do local, em uma tentativa de fazê-los acordar.  Me viro para o demônio aprisionado devido as runas sobre seus pés - A propósito, me chamo Myra, e estou confiando em você, considere-se com sorte, pois eu poderia deixá-lo apodrecendo ai. - dou um sorriso e aponto para as runas sobre os pés do demônio, esmago um inseto que passava por ali, apenas como demonstração para o que era para ser feito, sem hesitação o demônio fez como mostrei e Turech foi libertado. Me posicionei e segurei uma de minhas tesouras com força, caso faça qualquer gracinha, ele não iria se safar sem nenhum arranhão.E sobre a criatura, chamada Spark, eu cuidaria dele depois, havia sumido e voltado como uma ilusão, o que ele era, já que passava mais tempo invisivel.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
49

Data de inscrição :
09/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por A Morte em Sab Maio 16, 2015 12:43 am




Thomas, Blake e Joker

( Ouve com esse treco aqui pra ficar mais legal ) )

Crowley estava prestes a falar algo, mas foi interrompido. Ele não expressou qualquer sentimento em quanto Joker se aproximava, Blake notou e avançou com toda a velocidade que o corpo permitia, o selo demoníaco se desfazendo. Sentiu o sangue ferver, sentiu a visão mudando conforme a energia negra consumia seus olhos, com cada vez mais vontade... Parte do cabelo se tornou branca e os braços queimavam, a cabeça doía fortemente, e o poder fluía pelo seu corpo com grande facilidade, ele se sentia mais poderoso do que nunca... Thomas percebeu que não podia mover o corpo, estava paralisado com pedra, mas algo aconteceu. O anel brilhou e assim como havia mostrado a verdadeira forma de Aegon anteriormente, agora mostrava a de Blake... Uma energia verde crescente o circulava.

Blake então sentiu o seu poder devastador começar a ser diminuido constantemente conforma se aproximava do demônio e de Joker, até o ponto de que as mudanças pararam de afetá-lo. As cartas alcançaram Crowley rapidamente, mas elas se desintegraram totalmente segundos antes de encostar nele, todas elas, ignorando o efeito de cada uma.

E Finalmente Blake havia alcançado Joker, o lançando para trás, impedindo que a lâmina do tenente se aproximasse o suficiente para causar danos no inimigo e se preparando para executar um movimento que forçasse o recuar do príncipe. Teria dado certo, mas Crowley já não estava mais no local quando Blake socou o chão, Joker porém havia sido projetado metros de distância.




O que sobrou onde estava Crowley era apenas uma névoa densa. Mas Joker viu quando o demônio tomou forma na frente dele e perfurou seu peito com uma das mãos, a névoa se dissipou, em quanto a mão do ser encontrava o coração do tenente... Sentia cada pulsação, cada batimento. E então o braço continuou o caminho para fora do corpo dele, atravessando-o dessa vez por completo, e levando consigo o coração de Joker... Ele ergueu o corpo do tenente no alto, e na outra mão a lâmina negra se materializou, e Crowley decepou a cabeça do guardião.

- Humanos... Tão fracos.. Tão... Descartáveis - E jogou o corpo de Joker para o lado, chutou a cabeça dele para os pés de Thomas e por fim esmagou seu coração. - Mais alguém? - Ele gesticulou em quanto perguntava, o rosto agora estava manchado pelo sangue de Joker.
- Thomas Darwishi, vocês não vão conseguir completar essa missão, vocês NÃO vão achar estas armas, vocês vão morrer, um por um. Vocês são fracos, são inúteis e incapazes - Ele flutuou até o capitão do esquadrão. - A última esperança da humanidade é uma piada - Ele pousou a mão sobre o ombro do garoto, que estava imóvel.

- Eu sou a única chance que vocês tem - Ele ergueu a outra mão ao céu e o cenário escuro começou a se reconstruir, e de repente estavam em um corredor, e a frente deles uma grande porta com entrada para três chaves - Eis a sua chance: Mate Aegon, pegue a chave e abra aquilo - Ele sorriu - Recusem e o destino de vocês já está traçado... Estamos decididos?. O cenário começou a ser invadido por um frio leve e água escorrendo pelas paredes, Crowley se afastou e tocou a água - A garota - Disse para si mesmo

Blake sentiu seu poder começar a voltar de pouco em pouco, porém agora os efeitos da magia já estavam se revertendo, o corpo não parecia cansado, e podia se mover perfeitamente... Então Blake começou a ver algo. Um espelho a sua frente flutuava, e através dele podia ver uma garota loira de provavel 13 anos, ela estava suja e numa situação deplorável, mas brilhava... Brilhava com a luz que haviam visto no sonho em conjunto.

Joker: 0% HP - MORTO




Joker, Myra, Spark

O tenente despertou desesperado, o ar pareceu correr com força por seu corpo, sentia uma dor suave no peito e em sua garganta, lembrava-se perfeitamente do que havia acontecido... Mas estava inteiro, nenhuma perfuração e a cabeça parecia estar encaixada perfeitamente no corpo. Estava envolvido no frio da água, e molhado, bem molhado. A escuridão os envolvia e tornava quase impossivel de ver alguma coisa mas conseguiu identificar Thomas e Blake deitados ao seu lado, aparentemente dormindo, e próximo a eles algo grande... Já tinha visto antes, o demônio encouraçado.

Aquela certamente não era outra vida. Myra estava de pé mais a frente, e proxima a ela se encontrava um espírito que flutuava. O demônio encouraçado estava sobre o comando da garota, ele andou para perto do ser cinzento e socou o chão, rachando o circulo e o libertando. - Liberdade - Ele abriu os braços e fez um gesto que pareceu respirar, mesmo que não houvesse qualquer indicio de buracos na máscara metálica dele.

Então andou até o portão e o empurrou, sem qualquer segredo... Apenas o moveu, com a mão. - Viu? disse que eu iria abrir - E desapareceu, deixando um caminho a ser seguido. Água correu pela entrada e molhou o pé deles, encontrou encaixes no chão e fez a passagem pela qual Spark tinha vindo se fexar. O barulho de uma grossa camada de pedra ocupando a entrada era alto e irritante, principalmente para Spark. Ouviram em seguida o som de correntes balançando, vindas da passagem, que estava iluminada.

Era um sistema de esgoto, longo que parecia passar por baixo de toda a atalaia. Era quase impossível duas pessoas andarem uma ao lado da outra na parte elevada do local. ( Aquela em que não corre esgoto ). Mais a frente havia um pequeno altar repleto de caveiras, Turech não reapareceu, mas ouviram a voz dele.

- Tenho presas, e pelagem e caso mude a primeira letra de meu nome, tornarei-me meu pior inimigo, o que sou?. -





Asgard

- Não muitos dias - Ela explicou, já aproveitando a segunda pergunta dele - Fui enviada junto com meu esquadrão para procurar por sobreviventes do subterrâneo, não recebiamos notícias a dias... Descobrimos o que aconteceu - Ela não parecia bem em falar sobre aquilo, e apontou para os livros, como se o resto da história estivesse lá - E você? como veio parar aqui? - O homem grande apoiou a lança em uma parede e se apoiou na parede, sentado.

- Eu pertencia a um grupo de sobreviventes " de fora " , viviamos pelo subterrâneo e encontramos esse lugar, e com esse lugar a morte deles... Eu já vasculhei cada corredor aqui dentro, cada sala, o que encontrei de suprimentos está naquela caixa, e não existe uma maneira agradável de sair daqui - Ele parou de falar.
Christine se moveu até a mesa com livros e puxou um papel debaixo deles, dobrado, então o entregou na mão de Asgard - Essas são as unicas saídas - Apontou no mapa da caverna - Uma delas é protegida pelo gigante que estava te perseguindo, a outra é protegida pelos lobos infernais, não sabemos onde dá, mas certamente é fora dessa desgraça -

Concluiu, então se dirigiu até a mesa novamente - Nós achamos isso aqui também - E entregou um papel azul, com escritas em qualquer língua que Asgard não conhecesse, ele brilhava suavemente como se fosse algo divino - Mas ninguém de nós consegue ler -

Os livros em cima da mesa contavam a história daquele local: Anteriormente uma mina subterranea pertencente a Atalaia dos Guardiões, mas apesar disso também era usada como local de testes por ser isolada, analises em demônios e afins haviam sido conduzidas naqueles tuneis, e em uma das invocações para teste um demônio despertou e com ele trouxe vários outros, que causaram a destruição local. As cavernas também haviam sido usadas como "lixeira", e até mesmo cemitério, onde oficiais importantes foram enterrados. Após os relatorios existiam anotações de Christine e Darius:

" Christine: Essa droga de lugar não é nada bom. Já perdi três do meu grupo para aquela criatura gigante que continua nos pertubando cada vez mais, duvido que vá sair daqui, e se não sair Valiheim provavelmente nem perceberá, afinal, aquele general cuzão não liga para nada além do próprio nariz. Eles confiam em mim para tirá-los daqui... Ouvi alguns barulhos pelas paredes, vou verificar... Parece ser alguém. " E mais tarde " Todos estão mortos, logo eu também estarei... Mas aqueles novos dois no túnel, parecem ser guardiões, vou ver mais de perto "

" Darius: E quem diria que esse local faria com que eu me perdesse do grupo, reecontrei-os mais uma vez aqui dentro e... Bem. Já vasculhei cada centimetro de pedra que fosse possível, mas não conseguirei sair sozinho, tenho que convencer Christine a me ajudar... Os outros sumiram... "
- Bom, vamos descansar, pegue o que quiser dentro da caixa, se estiver de acordo... Asgard. Sairemos daqui amanhã - Disse Darius. Eles se acomodaram em alguns livros e cadeiras para dormir, não era confortável mas não tinham escolha... O cansaço fazia o guardião querer nunca mais acordar, talvez realmente devesse ir comer e dormir.




Asgard decide o caminho que vão ir no seu post já.

Spark: - 40 de mp = 60

Blake não perdeu mp... ? :O




Prazo: 20/5/15

__AOD__
Death is Coming for Everyone and Everything... A Darkness that Will Swallow the Dawn
avatar
Ver perfil do usuário http://ageofdarknessrpgsata.forumeiros.com
Mensagens :
156

Data de inscrição :
03/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Asgard em Sab Maio 16, 2015 2:45 am

Com as falas só pude assentir pelas perdas que todos tivemos naquele maldito lugar que podia dizer ser um labirinto. Mesmo que utilizasse meus métodos de caça para sair de lá, ainda sim era arriscado de o labirinto ser totalmente remodelado, já que estávamos em terras enfestadas de demônios. O mapa dado por Christine deixava-me um pouco intrigado, e por saber que Darius havia vasculhado o máximo do ambiente só fazia essa sensação aumentar.

Os deixei a espera de minhas palavras, mas ambos pareciam ter aceitado nunca mais sair daquele local, faziam o que faziam para passar o tempo e ver se a morte poderia chegar o mais cedo, mas por estarem decididos a tentarem que mantive o pensamento e não os falei nada.

Comecei a ler os livros, até mais do que estava em cima da mesa, pelo menos todos em que conseguisse ler alguma coisa. Era uma boa forma de ocupar a mente e talvez aprender algo...mas pelo o que acabei lendo, uma das minhas suposições estavam corretas, um demônio abitava por lá, e provavelmente tornava os caminhos duvidosos e totalmente novos, mesmo que conseguisse vasculhar tudo, seus corredores mudariam e em cada saída certa um protetor. Ali onde estávamos era o núcleo provavelmente, mas pelo estado das coisas...nada bom.

Ainda poderia me manter em pé por mais um tempo para ler mais, mas eles já deveriam estar em uma busca desde mais cedo, somente balancei a cabeça para concordar que iriam se retirar e que logo os acompanharia. Peguei um pouco de comida, peguei alguns materiais de meus bolsos e do chão para improvisar um objeto para escrever. Fiquei analisando os textos e mapas em mãos e comecei a anotar pequenas coisas como observação nas próprias folhas. Em meio a isso, bolava uma forma para obter material para minha pequena invenção explosiva, mas em escala maior.

Com o alinhar dos pensamentos, acabei lembrando-me do papel com o texto luminoso em que Christine me dera antes. O analisei, tentei decifrar, mas era burrice continuar com aquilo. Assim como nas escrituras da espada...

Saquei a espada divina rapidamente e passei próxima ao papel para ver se surtia algum efeito, e torcendo, talvez mostrasse o que se estava escrito. Caso contrario, guardaria e dormiria para tentar explicar possíveis planos que teria para tentarmos sair de lá.
avatar
Ver perfil do usuário
Mensagens :
63

Data de inscrição :
06/01/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Simpathy For The Devil [ FINALIZADA ]

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum